ALEGRA-TE

ALEGRA-TE!

Salomão afirma em Eclesiastes 11.9:  Alegra-te, jovem, na tua juventude, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade; anda pelos caminhos que satisfazem ao teu coração e agradam aos teus olhos; sabe, porém, que de todas estas coisas Deus te pedirá contas.”

Queremos ser alegres e gostamos de gente alegre. Acreditamos que a alegria é melhor que a tristeza e vamos a procura dela.

Alguma coisa errada em ser alegre? Não, não há nada de errado.

O velho Salomão escreve aos jovens: “Alegra-te, jovem, na tua juventude, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade…” Os jovens estão atrás da alegria. Nem sempre com o discernimento e a prudência que precisa. Mas eles querem ser alegres.

Salomão ensina que a vida precisa de alegria, mas de alegria lícita; alegria legítima; alegria que alegra.

O que é errado é ir na busca da alegria pela alegria; é fazer da alegria o propósito da vida.  Assim como é errado viver na negação, no flagelo, no ostracismo e abnegação bem, é errado focar na alegria como fim último da vida.

O que Salomão orienta é que você deve se alegrar olhando para a eternidade. Salomão afirma: “..anda pelos caminhos que satisfazem ao teu coração e agradam aos teus olhos; sabe, porém, que de todas estas coisas Deus te pedirá contas.” O desafio é lembrar que um dia todos prestaremos conta de nosso viver diante de Deus.

Precisamos viver com um olho no dia a dia e outro na eternidade. Devemos viver a vida nos parâmetros de Deus. A orientação bíblica é: seja alegre com base nos limites de Deus. Viva o hoje com os olhos na eternidade. Fazer as “coisas da cabeça” podem trazer hoje e amanhã muitas “dores de cabeça”.

Assim, não faça da alegria o centro de sua vida. Alegre-se de forma lícita e legítima. Contudo, não esqueça que Deus é o Juiz da vida e da história e todos prestarão contas a ele.

A eternidade é algo real. Viva no presente com a cabeça no futuro. E acima de tudo é bom não que esquecer que o bem será recompensado e o mal será julgado.

Que a busca de sua alegria não seja um fim em sim mesmo. Que sua alegria seja antes um resultado de compreender a vida do ponto de vista de Deus conforme revelado em sua Palavra.

Quando a alegria se torna um fim de vida, a vida terá um triste fim.

 

OS “ESPAÇOS EM BRANCO” DA VIDA

OS “ESPAÇOS EM BRANCO” DA VIDA

Queremos decidir a vida apressadamente. Erramos porque por vezes não esperamos. Achamos que tudo precisa ser feito agora e rápido. Essa é uma das grandes tolices do século XXI.

Deus permite em nossas vidas os “espaços em branco”. Nesses “espaços” Ele quer escrever algo maior e melhor, mas precisamos esperar.

Comumente corremos à frente de Deus. Talvez seja um emprego, uma nova cidade para residir, uma decisão, um relacionamento, uma proposta ou qualquer outra coisa. A verdade é que queremos correr adiante de Deus e preencher os “espaços em branco” da vida.

O salmista foi enfático ao dizer no Salmo 40.1:     “Esperei confiantemente pelo SENHOR; ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro.” Davi aprendeu que esperar em Deus é uma demonstração de fé e confiança. Ele também aprendeu que Deus ouve a seu tempo.

Esperar não é fácil. Esperar promove dor. Mas esperar faz bem para alma. Tudo nesse mundo espera: a gestação espera; a árvore espera; a noite espera; o dia espera; o frio espera; o calor espera; a semente espera; tudo basicamente espera. Só nós que não queremos esperar.

É importante saber que enquanto esperamos Deus trabalha em nós. A espera faz com que Deus nos transforme para sermos mais úteis para Ele e seus propósitos. “Espaços em branco” da vida significa que Deus está nos moldando para algo maior e melhor.

Nunca vá adiante em nada sem a orientação de Deus. Se houver dúvidas, pare; não faça nada. Não aja por impulso. Seja lá o que você fez, não é errado voltar atrás e dizer: “Errei; me perdoe mas não vou e não posso continuar.” Errado é manter-se inseguro, indeciso e continuar algo pelo orgulho e talvez colher as consequências para o resto da vida.

Espere a hora de Deus. Seu tempo não traz dor, mágoa, ressentimento e nem desapontamento. Seu tempo é perfeito e bom.

Se Deus lhe der um “espaço em branco”, não preencha rápido; espere nEle. Se você se manter em sintonia com Ele, sem dúvida Ele lhe mostrará o que fazer e como fazer.

Se Deus lhe deu “espaços em branco” na vida, espere que Ele lhe dará também a “caneta” para que se escreva na hora certa e definitivamente uma nova história que será para o seu bem e para a glória dEle.

CENTRE SUA VIDA EM DEUS

CENTRE SUA VIDA EM DEUS…

Senhor, tu és o meu Deus; eu te exaltarei e louvarei o teu nome, pois com grande perfeição tens feito maravilhas, coisas há muito planejadas. (Isaías 25:1)

Como você pode centrar sua vida em Deus?

1 – DEIXE O SENHOR SER O SEU DEUS…

Isaías diz: “Senhor, tu és o meu Deus…”

Ainda que oremos somente ao Senhor, por vezes não o elegemos como o dono de nossas vidas. Ele pode nos servir apenas para resolver nossos problemas e nunca para que nós o sirvamos como nosso Dono, subtendo a Ele nossas vontades e desejos. Isaías afirmou que “…tu és o meu Deus…”

2 – CONHEÇA AO SENHOR…

Isaías afirma: “…pois com grande perfeição tens feito maravilhas…”

Isaías conhecia ao Senhor. Ele experimentava Deus em sua vida dia a dia. Ele parava para ver que Deus agia em sua vida de forma maravilhosa. Isaías não cedeu a religião vazia.

Todos os que buscam ao Senhor verá Ele agir. Ele tem um estoque de bênçãos e maravilhas para revelar aos que o buscam.

3 – ADORE AO SENHOR…

Isaías diz: “…eu te exaltarei e louvarei o teu nome…”

Porque Deus agia em seu favor, Isaías adora e glorifica a Ele.

Nossas orações sempre são oportunidades para sintonizar com o plano de Deus e O ver agir. Quando Ele age, só Ele deve receber a honra e a glória. A adoração é antes de tudo um ato de reconhecimento e submissão ao Senhor que age em nossa história para Sua glória.

4 – CONFIE NOS PROPÓSITOS DO SENHOR…

O profeta afirma:”…coisas há muito planejadas.”

Isaías sabia que as ações de Deus na história eram resultados de seus planos e propósitos na eternidade passada.

Deus tem um plano e o está cumprindo. Precisamos nos sintonizar com esse plano. São os propósitos dEle e não os nossos que devem prevalecer e ir adiante. Quando descobrimos isso nossas orações e atitudes mudam completamente.

Se você centrar sua vida em Deus, tudo o que você está procurando para a ela terá significado e propósito.

Centrar em Deus é encontrar o centro da vida.

O PODER DAS PALAVRAS…O PODER DO SILÊNCIO

O PODER DAS PALAVRAS…O PODER DO SILÊNCIO…

Assente-se solitário e fique em silêncio…” – Lamentações 3.28

Fomos criados por Deus com a habilidade de comunicar especificamente pela linguagem falada. Isso é tão interessante e natural que um dos momentos mais alegres para os pais é quando a criança começa a formar suas primeiras palavras, como também o mais triste é quando pessoas queridas perdem a capacidade de falar ou por invalidez, lesões ou morte.

Se fomos criados para falar, por que o profeta Jeremias nos chama ao silêncio?

A questão é que como nossos corações estão contaminados pelo pecado, isso significa que em certas horas e momentos falamos de forma errada. Falamos dominados pela ira, ganância, cobiça, ciúme, hipocrisia, falsidade, engano, dolo, sarcasmo, deboche etc. Nem sempre falamos como deveríamos fazê-lo. E nesse caso o silêncio é melhor.

O conselho de Deus é que por vezes precisamos pausar a vida; precisamos ficar só e refletirmos sobre nós mesmos, olhando para dentro de nossos corações.

Não é porque fomos criados a comunicar que precisamos nos comunicar a todo tempo. Provérbios 10.10 nos ensina: “…o insensato de lábios vem a arruinar-se.”

Como as palavras expressam o coração (Mateus 15.18), a cura para a má comunicação começa por dentro. Davi nos ensina no Salmo 51.10: Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável.” É com um coração limpo que se tem uma verdadeira comunicação.

O seu silêncio e suas palavras podem ser uma arma para machucar outros. Contudo, se o seu coração estiver limpo, você saberá comunicar para glorificar a Deus e edificar pessoas.

UMA ALMA SACIADA

SUA ALMA ESTÁ SACIADA?

Jesus disse: “Aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna.” (João 4.14)

A alma de todos está sedenta. Ela busca algo para preencher e ser saciada. E é em Jesus que essa busca cessa.

A mulher samaritana estava em busca de algo para sua alma. Achava que vários relacionamentos preencheria o vazio; achava que a religião o pudesse fazer. Mas ela nunca imaginou que naquele dia comum, algo incomum aconteceria: ela encontraria tudo o que precisava para sua alma em Jesus.
Jesus explica como uma alma pode ser saciada.

Em primeiro lugar NINGUÉM PODE PROVIDENCIAR SEU PRÓPRIO SACIAMENTO.
Jesus disse: “Aquele, porém, que beber da água que EU LHE DER.” A resposta está em Jesus. Ele é a origem da satisfação; vem dEle; é uma ação espiritual e fora do âmbito da normalidade. O saciar da alma não é providenciado pelas próprias mãos, mas em Jesus.

Em segundo lugar A PESSOA PRECISA QUERER VIR A JESUS.
Jesus disse: “aquele, porém, QUE BEBER…” A transformação de uma vida não vem por imposição, por atos religiosos, por esforço ou pelo conhecimento. Não, ela vem por EXPERIMENTAR. Não adianta saber e ter o remédio se a pessoa não se dispõe a toma-lo. A mudança não vem pelo conhecer a “água”, mas por experimentar, por “beber”. Jesus só é real para quem nEle crê, O recebe e O vive.

Em terceiro lugar A ALMA SACIADA EM JESUS FICA COMPLETAMENTE SATISFEITA.
Jesus disse: “…nunca mais terá sede…” Quem vem a Jesus completa em sua vida aquilo que a religião, os prazeres, as pessoas, as circunstâncias, os esforços, a cultura, a filosofia, o entretenimento nunca conseguiram dar. Jesus vem na vida e completa tudo o que faltava. Quem vem a Jesus NUNCA MAIS precisa buscar satisfação em nada mais.

Em quarto lugar A ALMA SACIADA EM JESUS TORNA-SE UM CANAL DE BENÇÃO
Jesus disse: “a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna.” Quando a alma está satisfeita a vida vive. Á água espiritual que Jesus dá produz uma “fonte” de benção para si e para os outros.

Sendo assim, pare de tentar produzir a própria satisfação. Entregue-se a Jesus e deixe Ele preencher todos os vazios de sua alma.

SENHOR, SALVA-ME!

SENHOR, SALVA-ME!

“Senhor, salva-me” (Mateus 14:30)

 

Essa é uma das orações mais curtas da Bíblia. Ela foi feita por Pedro quando estava afogando. Essa é uma oração curta, feita a Jesus, no meio de um grande desespero, o desespero da morte. 

 

Essa é uma oração que nos ensina muitas verdades:

 

1 – Devemos orar.

Devemos orar sempre; orar sem cessar. Devemos orar a cada instante e por qualquer coisa que nossa alma necessita ou que esteja afligida. Devemos orar sempre.

 

2 – Devemos orar a pessoa certa: Jesus.

Pedro não clamou a Abraão, a Moises ou algum dos profetas. Ele foi direto a Jesus. Nossas orações precisam ir a Pessoa certa.

 

3 – Devemos orar em qualquer circunstância. 

Pedro no meio da possibilidade de sua morte por afogamento orou. Ele não nadou mais um pouco; ele não se esforçou mais, ele apenas orou. Devemos orar diante das circunstâncias que estamos passando. Devemos orar agora!

 

4 – Devemos orar em qualquer lugar. 

Pedro orou no mar. Devemos orar no trânsito, no trabalho, na escola, em casa, na rua, no shopping, no estádio etc. Devemos orar em qualquer lugar.

 A verdade é que se temos um coração para orar, Deus tem um ouvido para ouvir e uma mão para agir.

 O nosso problema é que ou não oramos, ou oramos errado.  Apenas fale com Deus; fale de forma simples; fale com sinceridade; converse com Ele sem empostar sua voz; não tem impressionar Deus. Conte a Ele sua dor, seus pecados, suas misérias, sua falta de esperança. Diga apenas: “Senhor, salva-me!”

 Pedro foi salvo naquela noite porque orou humildemente e com simplicidade. Faça o mesmo hoje e veja Deus agir em sua vida.

CONTROLE “ZERO”

CONTROLE “ZERO”

Somos frágeis e fracos, mas não gostamos muito de admitir isso. Na verdade a nossa suposta demonstração de força apenas reflete a luta interna para reconhecer a nossa própria fraqueza.

Temos pouquíssimo controle sobre pessoas, circunstâncias da vida e nós mesmos. Podemos controlar o cabelo que cai da cabeça? Podemos controlar a reação das pessoas ao nosso redor? Podemos controlar a doença? Podemos controlar a morte? Do menor ao maior, não temos controle daquilo que expõe nossa fraqueza.

Quando Jesus estava na cruz, Ele falou pouco. A sua dor era insuportável. Mas antes de morrer Ele disse algo impressionante: “…Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito…” (Lucas 23.46). Em seu último suspiro Jesus ora confiante entregando sua vida. Aquele que entregava ao Pai o seu dia a dia, agora entrega de vez, em oração, sua vida.

O apóstolo Pedro ao confortar os cristãos que estavam em forte perseguição encoraja-os dizendo: lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.” (1 Pedro 5.7).

E essa deve ser nossa postura no meio do incontrolável. Devemos aprender a entregar nas mãos de Deus e lançar sobre Ele o que cansa, o que pesa, o que afligi, o que desespera, o que causa a ansiedade.

Muitos nesse dia buscarão controlar o incontrolável. Culparão pessoas e circunstâncias; manter-se-ão amargos. Tudo porque não reconhecem que são fracos e precisam desesperadamente do Senhor.

Tem algum controle “zero” em sua vida hoje? Independente do que seja, apresente em oração diante do Senhor aquilo que está apertando o seu coração.

Entregue a Ele e faça muito bem a sua parte. Peça sabedoria para enfrentar; peça por pessoas certas em seu caminho; peça uma direção; peça por paz e calma em sua alma; peça por força. Não se acanhe em pedir e colocar diante do Senhor.

Quando o controle “zero” chega em sua vida, entregue à Aquele que tem todo o controle.

A FÉ

A FÉ

A fé é muito importante na caminhada com Deus. A Bíblia afirma em Hebreus 11.6 que “sem fé é impossível agradar a Deus…”
         
Essa fé que agrada a Deus é um verdadeiro milagre. Ninguém a possui por si mesmo, antes é um presente que Ele dá para que as pessoas creiam.

Paulo escreveu: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.” (Efésios 2.8,9)

É Deus quem capacita as pessoas a crer nEle. É Deus quem capacita as pessoas a servi-lo, honrá-lo e  glorificá-lo. Tudo é uma ação de Deus.
Como nasce a fé?

Paulo afirma em Romanos 10.17: E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo.” Assim a fé nos é dada quando OUVIMOS A PALAVRA DE DEUS. Quando nos expomos a exposição da Palavra de Deus, a fé é gerada em nossos corações.

A vida de oração é uma demonstração clara de dependência e fé em Deus. Quando oramos estamos dizendo a Deus que precisamos dEle, que Ele é nossa esperança e que só nEle há a resposta. Nossa fé passa pela oração.

Marcos conta-nos a história que Jesus amaldiçoa uma figueira por estar com fome e não achar fruto nela.  Um dia depois, seus discípulos viram a figueira seca. Pedro diz: “Mestre, eis que a figueira que amaldiçoaste secou.  E Jesus afirma: “…Tende fé em Deus; porque em verdade vos afirmo que, se alguém disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se fará o que diz, assim será com ele. Por isso, vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim convosco.” (Marcos 11.21-24)

Assim, quando a fé está centrada em Deus e em Sua plena vontade, as orações serão respondidas; milagres acontecerão e o impossível se tornará possível.

Talvez hoje você tenha que começar sua caminhada de fé no primeiro passo: pedindo ao Senhor que Ele lhe dê a fé para crer nEle e viver para Ele. Esse passo colocará você na caminhada de uma experiência espiritual e fará você ver e experimentar como Deus é real e verdadeiro.

A vida que não anda por fé está paralisada.