OS MILAGRES

OS MILAGRES

Em João 2, Jesus e seus discípulos foram convidados para um casamento. De repente, no meio da festa, acaba o vinho. “Acabar o vinho” era uma grande gafe social. Naquele estilo de sociedade, falhar em fornecer o vinho aos convidados numa festa de casamento seria um erro tremendo, que com certeza nunca seria esquecido pelos convidados e nem pelos noivos.

Diante desse grande problema Jesus é convidado a intervir. Para dar uma solução a esse dilema, Ele pede aos servos da casa que encham os potes até à borda com água. E após obedecerem a Jesus, o milagre ocorreu: a água transformar-se em vinho. Não num vinho qualquer, mas num bom vinho. O casamento foi salvo. Todos ficaram felizes e gratos.

O texto termina dizendo no versículo 11: “Com este, deu Jesus princípio a seus sinais em Caná da Galiléia; manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele.” Naquele dia memorável os noivos ficaram alegres, os convidados ficaram alegres, os discípulos ficaram alegres, Jesus ficou alegre, mas mais do que isso, pessoas creram em Jesus e abandonaram a incredulidade.

Há pelos menos quatro verdades sobre os milagres nesse texto. O primeiro é que quando Jesus é convidado para estar na vida de alguém, os milagres acontecem. Deve-se esperar grandes coisas quando Jesus está presente na vida. O segundo é que nada é sem importância quando apresentado a Jesus. Jesus fez um milagre que salvou um casal de noivos de uma grande gafe. Assim, Ele miraculosamente pode agir em qualquer pessoa e em qualquer necessidade, desde que se creia nEle e o peça. Em terceiro lugar, os milagres podem incluir a participação de pessoas. Homens colocaram água nas talhas; homens levaram a água ao mestre-sala; a água é transformada em vinho. Assim, milagres acontecem e por vezes Deus usa pessoas para que eles se realizem. Em quarto lugar, milagres surgem quando se há disposição para obedecer. Aqueles homens fizeram tudo como Jesus ordenou e viram os milagres. A obediência é o caminho para os milagres. Por isso é sempre importante lembrar que milagres nunca ocorrerão onde há incredulidade, falta de perdão, egoísmo, orgulho, a pratica da imoralidade sexual, mentiras e qualquer outro pecado gritante. O pecado impede os milagres.

Tudo é possível para Deus! Você pode experimentar grandes milagres quando convida Deus para intervir em sua vida. Esqueça fórmulas; não se preocupe em tentar fazer orações bonitas e perfeitas, apenas convide Jesus para agir em todas as situações em que você precisa de um milagre.

O Milagre não é importante e nem relevante até que você precise de um. E mais, nenhum argumento humano é páreo para alguém com uma experiência divina.

NÃO DESISTA!

NÃO DESISTA!

Durante muitos anos uma mulher temente a Deus orou por seu filho, um usuário de drogas. Seu filho vivia sob o poder e a influência das drogas e dos traficantes. Escapou várias vezes da morte. Mas ela perseverantemente buscava ao Senhor pedindo a transformação da vida de seu filho. E depois de longo tempo de oração, seu filho a procurou e resolveu definitivamente abandonar o vício. Decidiu se submeter ao que era necessário e foi para igreja. E a partir de sua decisão espiritual muitas portas se abriram para sua vida. Miraculosamente seu lar foi restaurado e o seu último emprego o recontratou. Ações tremendas de Deus foram chegando dia após dia em sua vida. Um dia com gratidão ele disse a sua mãe: “Mãe, muito obrigado por me amar, por orar e por nunca desistir de mim.”

O capítulo 12 do livro de Romanos está repleto de conselhos espirituais. E bem escondido, quase imperceptível, está uma tremenda e pequena frase no versículo 12: “…perseverai na oração…” O verbo “perseverar” no texto original significa “dedicar”, “ continuar”, “dar constante atenção e cuidado a algo”, “não desfalecer”, “estar em constante prontidão por alguém”.

Quando as circunstâncias difíceis vem sobre sua vida a forma mais natural de reagir é com amargura, culpa, ira ou deixar-se afundar numa profunda tristeza, desistindo das pessoas, circunstâncias e da própria vida. É bom lembrar que a reação ao problema é sempre uma escolha nossa. Muitos diante de problemas insolúveis e incontroláveis decidiram desistir, mas outros decidiram confiar no Senhor.

Os que decidiram confiar no Senhor afirmaram que o problema não teria a voz final, e sem negá-lo decidiram orar perseverantemente; decidiram falar momento a momento, dia após dia do problema com Deus. O problema tornou-se uma grande oportunidade para uma aproximação mais intima e real com Deus; tornou-se uma oportunidade para maior dedicação, dependência e confiança no Senhor.

Assim, não desista porque os problemas chegaram. Ore! Ore um pouco! Ore um pouco mais! Ore mais! Ore sempre! Ore perseverante! Ore como estilo de vida. Não desista! Ore!

 

 

VERDADEIROS ADORADORES

VERDADEIROS ADORADORES

Fiji é um pequeno país formado por ilhas no Oceano Pacífico. O país foi representado na Olimpíadas “Rio 2016” com 52 atletas para competir em 10 modalidades. Fiji não tinha grandes expectativas de ganhar medalhas nestes Jogos.

Surpreendentemente, conquistou sua primeira medalha na história dos Jogos Olímpicos no “Rugby de Sete”, e foi de ouro, vencendo por 43 a 7 sobre a favorita, o Reino Unido. Durante o jogo, vários atletas apontavam para o céu após marcarem pontos. No final, os jogadores se reuniram no centro do gramado, fizeram uma oração. Abraçados, cantaram o hino “Vencemos pelo sangue do Cordeiro.” Depois de cantar o hino, o capitão Osea Kolinisau foi questionado pela imprensa a razão para o sucesso do time, e ele disse: “Primeiro de tudo dou graças ao Senhor; Ele tem sido a nossa fonte de força…O Deus que nós servimos está aqui conosco no Rio de Janeiro.” O time de “Rugby de Sete” de Fiji entende o que é “adoração”.

No Salmos 29.1,2 somos ordenados: “Tributai ao SENHOR, filhos de Deus, tributai ao SENHOR glória e força. Tributai ao SENHOR a glória devida ao seu nome, adorai o SENHOR na beleza da santidade.

Adorar é mais do que cantar a Deus, mas inclui cantar. Adoração envolve atribuir a Deus o valor que Ele é digno, fazendo isso com a mente e as emoções.

Os verdadeiros adoradores expressam seu amor a Deus porque O reconhece nas realidades da vida. Adorar significa reconhecer Deus na vida enquanto se come, compra, limpa o carro, passeia, trabalha, ajuda alguém, pratica esportes, etc.

A razão de nossa existência é adorar a Deus, e fazemos isso de forma pessoal e coletiva. Na verdade a adoração coletiva é o resultado de uma adoração pessoal diária.

Os jogadores de Fiji adoraram juntos a Deus por terem ganhado a medalha de ouro porque eles reconheceram que tudo aquilo que eles se tornaram, Deus foi o responsável. E quem traz Deus para vida, O serve e O adora.

Adoração é o resultado final de quem aprendeu a reconhecer a Deus em tudo o que é e faz.

IMITANDO A CRISTO

IMITANDO A CRISTO

Em 2008, Joseph Schooling com apenas 13 anos de idade tirou uma foto em Singapura ao lado de seu ídolo, Michael Phelps. Em 2008 ele era apenas um jovenzinho de 13 anos apaixonado pela natação. Michael Phelps, algumas semanas depois ganharia oito medalhas nos Jogos Olímpicos de Pequim. Oito anos depois, Nos Jogos Olímpicos “Rio 2016”, Joseph Schooling tira uma outra foto ao lado de Michael Phelps, agora como campeão olímpico dos 100 metros “nado borboleta”. Após as comemorações Joseph Schooling afirmou: “Muito disto é por causa do Michael Phelps… Ele é a razão pela qual eu quis ser um melhor nadador.”

Essa linda história do esporte olímpico nos faz lembrar as palavras de Paulo em 1 Coríntios 11.1: “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.” Paulo tinha um alvo: ser como Jesus. Ele estudava a Jesus, ensinava a Jesus, pregava a Jesus e acima de tudo vivia como Jesus. Jesus era tudo para ele. Jesus era a razão do viver de Paulo.

Em João 14.6 estão registradas as palavras do Senhor Jesus: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida…” Aqueles que se entregam a Jesus tem uma direção certa, um conceito certo e uma vida certa para viver. Aqueles que decidiram por Jesus tem um foco e uma motivação para a vida. Os que são de Jesus o querem mais do que tudo, e faz dEle a referência para o modo de pensar, falar, agir e reagir. Os que são de Jesus querem imitá-lo.

A vida cristã inicia-se quando você nega-se a si mesmo, arrepende-se de seus pecados, rende-se a Cristo e se dispõe a segui-Lo, servi-Lo e imitá-Lo diariamente e constantemente. A.W. Pink afirmou: “A vida diária pela fé em Cristo é o que faz a diferença entre um cristão doente e um saudável, entre um cristão derrotado e um cristão vitorioso.”

Quem imita a Cristo será como Ele.

AS PROVAÇÕES

AS PROVAÇÕES

Em Tiago 1.2-5 lemos: “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes. Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não censura; e ser-lhe-á concedida.” 

Quando as provações chegam, a primeira postura que temos é orar pedindo a Deus que as tire rapidamente. Não queremos dor; queremos conforto.

Mas segundo Tiago, há um PROPÓSITO glorioso nas provações. Deus por sua graça e sabedoria permite provações para testar nossa fé; para nos fazer sadios espiritualmente. Agostinho afirmou: “As provações vêm para nos provar e nos melhorar.”

Tiago nos ensina que quando as provações chegam devemos nos alegrar. Mas nos alegrar por quê? Porque toda provação traz consigo frutos espirituais. Deus tem sempre um propósito por meio delas. 
Warren Wiersbe afirmou: “Deus tem um propósito para provas e testes.”
O principal propósito das provações é a perseverança da fé; a firmeza da fé. 
Perseverança é a capacidade de permanecer firme diante das lutas e dores, e essa resistência produz uma fé íntegra e completa.

George Mueller escreveu: “Aprendi que a fé para ser forte precisa aguentar grandes provações. Eu sei que a minha fé é forte porque ela passou por vários testes… Deus se deleita em aumentar a fé de Seus filhos…Tribulações, obstáculos, dificuldades e as vezes até derrotas, são o próprio alimento da fé.”

É certo que por vezes falta um melhor entendimento sobre as provações. Alguém pode “surtar”, se entristecer, desanimar ou se abater quando as provações chegam. Mas Tiago orienta que quando elas vierem deve-se orar por SABEDORIA. É preciso pedir para que Deus revele Seu propósito e o capacite a lidar momento a momento diante das dificuldades.

Por isso, não despreze, não se chateie, não se irrite com Deus por causa das provações em sua vida. Deus as permite com a finalidade que você tenha fé nEle, ou para fortalecer sua fé que já está nEle.
Dê “boas-vindas” as provações porque Deus tem um propósito. E caso não saiba como lidar, peça sabedoria e o Senhor lhe dará.

As provações são o meio de Deus “malhar” os músculos espirituais de sua fé. Ward Henry afirmou: “Estamos sempre na bigorna. Pelas provações Deus está nos moldando para coisas mais elevadas.”

Creia nisso!

DIANTE DE UMA DOENÇA

DIANTE DE UMA DOENÇA

“Doença” é uma palavra que traz consigo algo ruim. Ninguém em sã consciência encararia uma doença de forma banal, insensata e insensível. Doença é sempre um sinal de dor, de desconforto, de incerteza, de instabilidade e de insegurança.

A Bíblia conta-nos a história de um rei que ficou doente: Ezequias. Ele foi um rei bom e temente a Deus. Em um certo dia ele foi acometido de uma doença mortal. Em Isaías 38.1-5 lemos a seguinte história: “…O rei Ezequias ficou doente e quase morreu…Então Ezequias virou o rosto para a parede e orou assim: Ó SENHOR, lembra que eu tenho te servido com fidelidade e com todo o coração e sempre fiz aquilo que querias que eu fizesse. E chorou amargamente…Aí Deus mandou que Isaías voltasse a falar com Ezequias e lhe dissesse:…Vou deixar que você viva mais quinze anos.”

Diante de sua doença, Ezequias sabia que Deus estava no controle de sua vida, de sua doença e de sua possível morte. Deus permitiu sua doença e só Ele poderia curá-lo. A doença sempre nos oferece uma oportunidade a espiritualidade. Ela deveria conduzir-nos a uma reflexão mais humilde sobre nós mesmos, sobre Deus, Seus planos e Seus propósitos.

Diante de sua doença, Ezequias não entrou num estado de negação. Ele não escondeu, não fugiu l, não omitiu e não minimizou a dor. Ezequias chorou amargamente diante do Senhor. Ele falou poucas palavras, mas expressou ali todo o seu coração. É improdutivo do ponto de vista emocional, relacional e espiritual, negar, fugir e esconder uma doença.

Diante de sua doença, Ezequias também reconheceu que só o Senhor poderia curá-lo, e por isso ele ora. Não se pode deixar de orar pela cura diante de qualquer doença. Não é só uma questão de alívio dos infortúnios da doença, mas orar sempre é uma oportunidade para que Deus revele sua ação poderosa no meio de um mundo cético, racionalista e secularizado. Deus poderosamente manifesta seu poder curando o corpo humano.

E por último, diante de sua doença, Ezequias não desprezou o cuidado médico. Em Isaías 38.21 o profeta diz: “…Ponham uma pasta de figos em cima da úlcera do rei, e ele ficará bom…” Não sabemos o efeito terapêutico da “pasta de figos”, mas isso nos faz lembrar que diante de uma doença é preciso procurar o médico certo, o diagnóstico certo, o remédio certo e o tratamento certo. Em Sua soberania, Deus resolveu usar a orientação de um profissional médico e os medicamentos, para a cura.

Diante de qualquer doença, grandes coisas podem ocorrer, porque sempre Deus e não a doença, tem a palavra final!

PERCEBENDO A DEUS

PERCEBENDO A DEUS

No Salmo 23.6 Davi afirmou: “…bondade e misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida.”

Os dias bons e difíceis virão para todos. Haverá momentos em que tudo irá bem. Mas haverá dias em que nada poderá ser explicado pela lógica, pela filosofia e muito menos pela teologia. O que fará a diferença nos dias bons e negros da vida é a visão que se tem de Deus.

Davi recebeu um claro discernimento divino quanto a vida em si. Ele diz: “Bondade e misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida.” Ele estava inteiramente apercebido da presença de Deus e da necessidade última de Sua bondade e misericórdia.

Davi sabia que nem sempre as coisas boas viriam em sua vida. Ele reconhecia que quando tudo estava indo bem, isso revelava a “bondade” de Deus. Mas também sabia que quando a vida estava ruim, a Sua “misericórdia” se manifestava de forma especial.

Uma das grandes afirmações da Bíblia está em Romanos 8.28: “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” A Bíblia ensina nesse texto que Deus está usando tanto o bem como o mal para trabalhar em conjunto na vida de todos aqueles que tem a Jesus como seu Senhor e Salvador. Não há desastres, dilemas, derrotas ou dificuldades que Deus não use para o bem daqueles que O amam.

É essa percepção de Deus que faz com que a vida mantenha o equilíbrio. E a vida lhe trará alegria e dissabores. Em ambas você precisa confiar que Deus está olhando e cuidando de você.

Deus quer que você caminhe por fé. Em Hebreus 11.6 somos exortados de que “…sem fé é impossível agradar a Deus.” Nem sempre Deus lhe dará a resposta que você tanto quer e deseja. Ele sempre lhe chama a confiar em Sua bondade e misericórdia, porque a fé nEle, independente das circunstâncias, tira dEle um sorriso.

Só quem caminha por fé tem a nítida percepção de Deus. A fé não se alimenta de circunstâncias, sejam elas boas ou ruins. A fé em Deus contempla o ilógico, o sobrenatural e o surreal.

Foque em Deus! Ganhe uma visão de Deus! Aperfeiçoe sua percepção de Deus! Creia em Deus! Quando a percepção de Deus está clara, nada mais está escuro. Creia sempre que Ele é bom quando os dias são favoráveis ou ruins.

George Washington Carver disse: “Onde não há visão, não há esperança.” Quando sua visão de Deus é nítida, tudo ao seu redor faz sentido. Quando se decide perceber a Deus, a esperança brota; a vida floresce; a vida frutifica; a vida vive.