NÃO TIRE SUA VIDA

NÃO TIRE SUA VIDA

Quando a desesperança ronda a vida, muitos gostariam apenas de fechar os olhos e acordar em um outro mundo onde supostamente todas as necessidades atuais seriam supridas. Quando as diversas pressões se tornam insuportáveis, a alma clama desesperadamente por uma solução. É nesse instante que tirar a própria vida parece ser a única saída.

A Bíblia é um livro realista e reconhece a dor, o desespero e a vergonha das pessoas. Saul, Aitofel e Judas são personagens que ao passarem por dores, infelizmente tiraram suas vidas. Moisés, Jó, Elias e Jeremias, diante de suas dores, desejaram morrer.  

A Bíblia não é apena um livro realista em relação à dor das pessoas, mas é um livro de esperança. Ninguém nessa vida passou por maiores dores do que Jesus. Em Mateus 26.37 ao chegar no Jardim do Getsêmani, o texto diz que Ele: “… começou a entristecer-se e a angustiar-se.” No versículo 38 Jesus diz: “A minha alma está profundamente triste até à morte; ficai aqui e vigiai comigo.” Seu sofrimento e angústia foram agravados quando da realidade de enfrentar a cruz. Jesus sabia que Ele pagaria na cruz pelos pecados e cumpriria as Escrituras, especialmente em Isaías 53. Lucas 22.44 afirma que: “…estando em agonia, orava mais intensamente. E aconteceu que o seu suor se tornou como gotas de sangue caindo sobre a terra.”

 No meio de suas maiores dores, Jesus orou fervorosamente ao Pai, e por Ele foi ouvido.

Mesmo diante de suas maiores dores, não tire sua vida. Há esperança! Essa esperança não está em você, nem em pessoas, nem nas circunstâncias e muito menos na morte. A esperança está em Jesus. Ele diz em João 10.10: “…eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância.” Ninguém melhor do que Ele conhece a sua dor. Ele sabe que o escape dela está em segurar-se nEle e somente nEle. O Senhor Jesus é poderoso para encher o seu coração de paz e tranquilidade no meio da dor. Ele é capaz de trazer a solução; de reorganizar e reorientar sua vida. Diga apenas a Ele: “Senhor, seja a minha vida; livre-me de erros; eu quero a vida e não a morte; eu quero essa vida abundante que o Senhor promete, e quero e preciso agora. ”

Jesus ouvirá sua oração! Jesus lhe dará a vida que Ele promete. Creia nisso! Não tire sua vida!

SENHOR, SALVA-ME

SENHOR, SALVA-ME

Em Mateus 14:30 lemos a seguinte oração: “Senhor, salva-me.” 

Essa é uma dentre outras pequenas orações da Bíblia. Ela foi feita por Pedro quando estava se afogando. Essa é uma oração feita a Jesus no meio de um grande desespero; o desespero da morte. 

Essa simples oração nos ensina algumas verdades:

1 – Devemos orar.

Devemos orar sempre; orar sem cessar. Devemos orar a cada instante e por qualquer coisa que a nossa alma necessita ou que esteja afligida. Devemos orar sempre. Se nossa alma está aflita devemos orar também: “Senhor, salva-me.”

2 – Devemos orar à pessoa certa: Jesus.

Pedro em sua oração não clamou a Abraão, a Moisés ou a alguns dos profetas. Ele foi direto a Jesus. Devemos parar de ir na direção errada ao orar. Devemos parar de buscar intermediários. Como Pedro devemos orar diretamente a Jesus, e a Ele devemos dizer: “Senhor, salva-me.”

3 – Devemos orar em qualquer circunstância. 

Pedro orou no meio da possibilidade de sua morte por afogamento. Ele não nadou um pouco mais; ele não se esforçou um pouco mais. Pedro apenas orou. Devemos orar diante de qualquer circunstância que estejamos passando. Devemos orar agora! Devemos orar dizendo: “Senhor, salva-me.”

4 – Devemos orar em qualquer lugar. 

Pedro orou no mar. Devemos orar no trânsito, no trabalho, na escola, em casa, na rua, no shopping, no estádio, no hospital, no supermercado, na fila, etc. Devemos orar em qualquer lugar. De onde estivermos podemos orar: “Senhor, salva-me.”

A verdade é que se temos um coração para orar, Deus tem um ouvido para ouvir e uma mão para agir.

O nosso problema central é que não oramos. Pedro em poucas palavras orou muito. Ele nos ensina a efetividade da oração.

Assim, ore a Deus! Apenas fale com Ele. Fale de forma simples; fale com sinceridade; converse com Ele sem empostar a voz e sem tentar impressioná-Lo. Conte a Ele sua dor, suas lutas, seus pecados, suas misérias, sua falta de esperança, sua intranquilidade e seu desespero. Ore a Ele! Diga apenas: “Senhor, salva-me.”

Pedro foi salvo naquela noite porque orou humildemente e com simplicidade à pessoa certa: Jesus. Faça você o mesmo hoje. Diga a Ele: “Senhor, salva-me.”

NÃO PERCA SUA ALMA

NÃO PERCA SUA ALMA

Jesus afirmou em Mateus 16.26: “Pois, que adiantará ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou, o que o homem poderá dar em troca de sua alma?”

A riqueza, o status, o poder, a influência, a autoridade, o “nome” e a glória seduzem muita gente. Pessoas podem perder sua alma por ir atrás de coisas mundanas.

Achamos que esse princípio explicado por Jesus apenas se aplica aos que não O conhecem. Mero engano! Muita gente que um dia foi fiel ao Senhor se deixou seduzir por aquilo que o mundo pode oferecer. Pessoas que venderam suas almas e nunca mais as tiveram de volta. Gente que morreu espiritualmente! Gente que apostatou.

São pessoas que se perderam tentando “ganhar o mundo”; tentando dar visibilidade a sua vida; tentando agradar pessoas; tentando justificar seus erros. Pessoas que comprometeram a verdade do evangelho, a integridade pessoal e o valor da família. Gente que viu tudo sucumbir. Perderam a dignidade; perderam a alma.

Não vale a pena ser mais do que é; não vale a pena ir adiante comprometendo prioridades, desprezando valores; não vale a pena lutar por mais domínio, mais posse, simplesmente para se evidenciar e se sobressair. Salomão em Eclesiastes nos diz: “Tudo é vaidade!”

Ananias e Safira (Atos 5) nunca pensaram em vender suas almas por um pedaço de terra. Mas foi isso que fizeram. O preço deles foi alto demais. Eles morreram. Venderam suas almas por um “chão batido”.

Nunca negocie princípios espirituais por valores mundanos. Sua alma sempre correrá risco. Viva com menos, sem influência, na obscuridade, mas viva com consciência limpa e pura diante de Deus e dos homens. Não venda sua alma!

Ninguém venderá sua alma quando o seu amor e lealdade estiverem somente em Deus. O pregador A. W. Pink disse: “Feliz é a alma que foi tomada pela majestade de Deus.”

Assim, abra seu coração para Deus e peça que Ele possa sondá-lo. Peça-O para o tirar dos caminhos escusos e aparentemente “bons”. Peça para que Ele o guie na verdade. Peça que Ele seja o centro de seu coração. Peça ajuda a Ele antes que seja tarde demais. Peça e Ele lhe responderá.

Nunca barganhe sua alma. Ela tem muito valor. Não troque sua esperança em Deus por nada nesse mundo.

Firme seu coração em coisas eternas e deixe ecoar todos os dias a confrontadora e amorosa voz de Jesus: “…que adiantará ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?”

A PRIORIDADE DAS PRIORIDADES

A PRIORIDADE DAS PRIORIDADES

Todos temos necessidades. Há diversos níveis de necessidades. As necessidades de um não são necessariamente as necessidades de outro. Jesus sabe o quanto são reais nossas necessidades. Ele sabe o quanto elas nos afligem e o quanto podemos ser dominados por elas. Mas Ele ordenou em Mateus 6.25: “Não andeis ansiosos pela vossa vida…” 

No contexto, as necessidades abordadas por Jesus são as de ordem básicas: comida, bebida e roupas. Ele não só ordena que não nos preocupemos com elas, ou com qualquer outra suposta necessidade, mas nos apresenta uma prática e prioritária solução. Ele diz em Mateus 6.33: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o Seu reino e Sua justiça, e todas as coisas vos serão acrescentadas.” 

O que Jesus basicamente está dizendo é: “Não se preocupe com suas supostas necessidades. Não foque nelas. Não se deixe consumir por elas. Elas são apenas meios, e não fins. Foque no verdadeiro objetivo da vida: coloque o reino de Deus como prioridade. Faça do reino de Deus a prioridade das prioridades.”

O “Reino de Deus”, segundo a Bíblia significa o pleno governo e domínio de Deus sobre tudo e todos. O “Reino de Deus” é a realidade que em um dia da história Ele reinará. Literalmente esse reino se efetivará por meio de Jesus Cristo, Seu Filho Amado.

Quando de Sua primeira vinda, Jesus ofereceu esse Reino ao povo de Israel, visto que a eles foi prometido no Antigo Testamento. Para participar desse reino, Israel foi chamado ao arrependimento de seus pecados, tanto por João Batista como pelo Senhor Jesus. Mas a nação não se arrependeu e o reino físico e literal foi adiado.

A realidade e a extensão do “Reino de Deus” após a morte, sepultamento e ressurreição do Senhor Jesus, não é visto mais de forma visível, mas invisível; no coração. 

Todas as pessoas, em todas as épocas, são convidadas a participar do “Reino de Deus”. Os requisitos desse convite são os mesmos apresentados por Jesus há 2.000 anos atrás: os que querem participar do “Reino de Deus” precisam se arrepender de seus pecados, abandonar a vida que levam, morrer para si mesmos, entregar suas vontades e desejos a Jesus e servi-Lo, expandido o Seu “reino” até que Ele volte para reinar física e literalmente sobre tudo e todos.

Assim, a ordem de Jesus hoje e agora é “buscai o Reino de Deus e Sua justiça”. Os que não entregaram suas vidas ao “Rei” não entraram no “Reino” e estão cansados, frustrados, sem propósito de vida, e mais, estão se perdendo hoje e eternamente. A única forma de encontrar a vida é entregando-se totalmente a Jesus, fazendo dEle o Senhor e Salvador.

Aqueles que de alguma forma já disseram “sim” ao “Rei” estão no “Reino de Deus”. Esses não podem e nem devem focar nessa vida como o “fim último”. Eles precisam entender que o objetivo de suas vidas não é a vida em si. O foco agora é ampliar e fazer Jesus, o “Rei”, conhecido às pessoas. 

O perigo de focar prioritariamente em suas necessidades é que elas podem vir a se tornar um reino particular. A vida pode girar em torno delas. Mas Deus nunca prometeu cuidar de suas necessidades simplesmente para que você se sinta bem, confortável e viva tranquilo sem nenhum problema. Suas necessidades são por Ele supridas simplesmente para que “Seu Reino” avance. 

O “Reino de Deus”, segundo Jesus, é, e deve ser sempre, a prioridade das prioridades.

UM DIA DE CADA VEZ

UM DIA DE CADA VEZ

Jesus nos ordenou em Mateus 6.34: “Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã se preocupará consigo mesmo. Basta a cada dia o seu próprio mal.”

O que o Senhor nos ensina é que a fé nEle nos diz que precisamos viver uma vida simples hoje, de plena confiança e sem ansiedade quanto ao futuro. Viver o hoje é o grande desafio de cada um de nós. Estamos onde estamos pela soma dos “ontens”, e o amanhã torna-se uma bússola para as decisões do hoje.

O desafio da vida é manter a fé em Cristo para os problemas e lutas do hoje. A preocupação com o futuro não ajuda em nada, na verdade, apenas piora. O amanhã fica fácil quando vivemos passo a passo o dia de hoje.

Na prática há situações que não poderão ser mudadas ou transformadas no dia hoje. Não dá também para lamentar o que ocorreu no passado. O passado, passou. Devemos aprender a concentrar a vida no aqui e agora. O que se deve fazer é aprender a dar um passo de cada vez; viver o problema, a luta, a dificuldade e até mesmo desfrutar as alegrias que nos são proporcionadas no dia de hoje.

O Salmo 118.24 nos ensina: “Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele.” Devemos receber o dia de hoje como uma bênção de Deus. Devemos pensar, nos preparar e viver o dia de hoje com intensidade e alegria. O momento presente deve ser encarado como o momento mais significativo da vida. Alegrar-se no momento; alegrar-se no dia, é isso que Deus quer.

Quando vivemos um dia de cada vez aprendemos a viver confiantemente em Deus. E a fé nos permite enfrentar cada dia sabendo que o amanhã também está nas mãos de Deus. E se está tudo com Deus não há espaço para ansiedade, pois a ansiedade apenas age para multiplicar nossa miséria e escurecer nossas perspectivas.

É centrando em Cristo que você pode viver o dia de hoje. É certo que Aquele que começou tudo em você, sabe o fim de tudo. Quando o futuro gritar tentando trazer a ansiedade, você pode pela fé em Cristo enfrentar qualquer doença, perdoar qualquer pessoa, dominar qualquer medo, peitar qualquer obstáculo, alegrar-se em qualquer tristeza e manter-se forte diante de qualquer fraqueza ou insegurança e esperar o que realmente precisa. É em Cristo que enfrentamos tudo que nos assola.

Alguém disse sabiamente: “O ontem é história. O amanhã é um mistério. Hoje é um presente. É por isso que ele é chamado de PRESENTE! Por isso, devemos saborear cada momento.”

Assim, faça da ordem de Jesus um lema de vida: “…Não se preocupem com o amanhã… Basta a cada dia o seu próprio mal.”

JESUS E A MORTE

JESUS E A MORTE

Todos os dias pessoas morrem. Nos deparamos com o falecimento de estranhos, de um amigo, de um vizinho, de um conhecido ou de alguém famoso. Quando as notícias sobre a morte chegam, todos, sem exceção, somos lembrados de como a vida é transitória e passageira. Recordamos de que a morte é algo real e sempre está perto de cada um de nós.

A Bíblia fala e muito sobre a morte. Ela afirma que todos morrerão. O Salmo 89.48 declara: “Que homem pode viver e não ver a morte, ou livrar-se do poder da sepultura?” A Bíblia também ensina que a morte é um resultado direto da entrada do pecado no mundo. Em Romanos 6.23 lemos que “o salário do pecado é a morte…” Ela deixa claro que o homem morre apenas uma só vez. Em Hebreus 9.27 está escrito que “ ao homem está ordenado morrer uma só vez, vindo depois disso, o juízo.”

Em João 11.25,26 Jesus declarou uma das maiores verdades sobre a morte e a eternidade. Ele disse: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto?”

Nesse texto Jesus ensina três grandes princípios. No primeiro Ele afirma que há duas mortes: Há uma morte terrena. Jesus diz: “ainda que morra…” Há também uma morte eterna: Ele afirma: “não morrerá, eternamente.” Jesus apresenta a realidade pavorosa, destruidora e implacável da morte.

O segundo ensino refere-se diretamente a Ele. Jesus diz que Ele é a “ressurreição e a vida”. Ou seja, ainda que a morte revele sua face negra, ela não tem nenhuma força para com Ele, porque Jesus tem o poder para trazer a vida novamente. A passagem fala especificamente sobre Lázaro, que havia quatro dias que estava morto, e Jesus o ressuscitou. Jesus o tirou da morte física.

O terceiro ensino tem a ver com a crença e confiança nEle. Por três vezes Jesus usa o verbo “crer”. Ele diz: “….Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto?” Jesus deixa claro que a morte perde todo o seu poder e suposto “glamour” quando alguém crê nEle. Aquele que nEle crê não precisa temer a morte, porque Jesus tem autoridade e o poder da morte em suas mãos. Em Apocalipse 1.17,18 Ele mesmo afirma: “…Não temas; eu sou o primeiro e o último e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno.”

A morte é uma realidade para todos. Iremos todos morrer. A questão não é a morte e o pavor mental que ela traz. A questão é onde estamos buscando vida.

Se você está buscando vida nessa vida, você está morrendo aos poucos. As coisas, circunstâncias, pessoas e crenças à parte de Jesus, não podem trazer vida. Buscar a vida na vida é viver sem propósito e sem esperança.

A proposta crucial e única de Jesus é ampla. Ele fala de vida. Vida que nada e ninguém pode dar e muito menos tirar. Jesus fala de si mesmo; de Sua pessoa. Quem nEle crê tem vida; vida hoje; vida eterna; vida para essa vida; vida após a morte.

Jesus para a morte propõe a todos uma esperança firme e inabalável. Ele diz: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente…”

A pergunta dele para você é: “…Crês isto?”