ORAR É UMA NECESSIDADE

ORAR É UMA NECESSIDADE

Orar significa falar; conversar com Deus. Pouco importa nesse diálogo a posição física ou o fechar dos olhos. O que mais interessa para Deus é a postura do coração; é o desejo de querer estar em comunhão com Ele. 

Falar com Deus precisa ser um hábito de vida. Isso implica fazer da oração uma prioridade; um lema de vida; uma necessidade. Em Lucas 18.1, Jesus contou uma parábola aos seus discípulos “…para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar.” 

Jesus estava consciente da necessidade de orar. Ninguém mais nessa vida buscou tanto o Pai como Ele mesmo. Sua vida foi marcada pela oração. 

O Evangelho de Lucas menciona em cinco passagens a vida de oração de Jesus. Em 5.16 lemos: “Mas Jesus retirava-se para lugares solitários e orava…” Em 6.12 afirma que “…num daqueles dias, Jesus saiu para o monte a fim de orar, e passou a noite orando.” Em 9.18 o texto diz que “Certa vez Jesus estava orando em particular…” Em 9.28 declara que “…Jesus tomou consigo a Pedro, João e Tiago e subiu a um monte para orar.” E em 11.1 o texto afirma que “Certo dia Jesus estava orando em um determinado lugar…”

O que a maioria das pessoas fazem diante das lutas e tragédias da vida? Elas se abatem, se angustiam, desanimam ou se deprimem. Mas como Jesus enfrentava seus problemas? Ele orava! Esse é o segredo para enfrentar os dias difíceis da vida.

Você precisa orar. Você precisa orar porque Jesus ordena que você ore, e mais, Ele mesmo lhe dá o exemplo. É preciso que você ore, não necessariamente para ter respostas aos seus desejos do momento, mas porque a oração fortalece e renova sua fé nEle.

Decida hoje criar o hábito de falar com Deus. Mas decida orar porque você precisa desesperadamente dessa conversa. É nessa conversa que sua vida sai renovada.

Orar é uma necessidade.

ORAÇÃO É FALAR COM DEUS

ORAÇÃO É FALAR COM DEUS

Um dos princípios mais básico da vida cristã é a oração. Enquanto no mundo espiritual, ler, estudar e meditar na Palavra de Deus corresponde a alimentar-se, orar é como respirar. Ninguém pode manter-se vivo senão comer e respirar.

Quando você se converte a Cristo, torna-se uma nova criatura, nasce na família de Deus, a coisa mais básica, simples e normal que você fará é orar. Você terá desejo de falar com Deus. A oração se tornará algo natural para você como a respiração é para cada ser humano.

Desde muito cedo na vida cristã, precisa-se aprender que oração é uma conversa com Deus. Essa conversa visa alinhar a vida com os propósitos dEle. Paulo afirmou em Efésios 6.18: “Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos.”

Orar no Espírito não significa um transe espiritual. Orar no Espírito significa apenas orar de forma consistente com o Espírito de Deus; significa alinhar a vontade e o desejo com a vontade e o propósito de Deus.

A verdadeira oração não significa também repetir as mesmas coisas a Deus “infinitamente” e nem implorar que Ele faça tudo do nosso jeito. Oração é apenas uma conversa não sofisticada, mas simples e sincera com Deus.

Estabeleça hoje essa conversa com Deus como algo prioritário em sua vida. Aprenda a conversar com Ele sobre tudo, a qualquer hora, a qualquer momento, em qualquer lugar e de qualquer forma. Vá a Ele e conte todas as suas alegrias, tristezas, angústias, frustrações, desejos, interesses e intenções. Não O deixe fora de nada.

Lembre-se: oração é falar com Deus.

TEREMOS SEMPRE…

TEREMOS SEMPRE…

Teremos sempre coisas por envergonhar e se decepcionar.

Teremos sempre fracassos, sejam eles por um pecado na vida, sejam por um casamento falido, filhos rebeldes, pais egoístas, erros financeiros, morais, traições etc.

Teremos sempre pessoas que nos apoiarão e nos julgarão nos momentos duros da vida.

Teremos sempre a oportunidade de reagir certo e errado às circunstâncias e pessoas.

Teremos sempre a oportunidade de parar e refletir na vida, corrigindo erros e se resignando diante das consequências de erros cometidos.

Teremos sempre a oportunidade de erguer a cabeça e ir adiante quando nem Deus e nem a consciência acusam do que se é acusado.

Teremos sempre a oportunidade de começar de novo, o mesmo recomeço que Deus deu a Jacó, Sansão, Davi, a mulher Samaritana, Zaqueu, Pedro e tantos outros na Bíblia e na história que erraram.

Teremos sempre a oportunidade de lembrar que a vida não se acaba pelos erros, fracassos, julgamentos e decepções, porque no fundo precisamos de tudo isso para aprendermos que, enquanto vivermos não podemos colocar nossa confiança no outro, nas circunstâncias e nem em nós mesmos, mas em Deus.

Teremos sempre, graças ao Senhor, Suas palavras que nos inspiram e encorajam, como as que estão em Jeremias 29.11, que diz: “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais.”

Teremos sempre, diante do hoje e do agora, o privilégio de também decidir a vida como o salmista ensina no Salmos 37.5: “Entrega o teu caminho ao SENHOR, confia nele, e o mais ele fará.”

É muito bom saber que em e com Deus, teremos sempre novas e maravilhosas oportunidades.

DECIDA HOJE!

DECIDA HOJE!

Ao terminar sua liderança com o povo de Israel, Josué no capítulo 24 convoca os líderes da nação e os leva a uma última decisão. No versículo 15 Josué afirma: “Porém, se vos parece mal servir ao SENHOR, escolhei, hoje, a quem sirvais: se aos deuses a quem serviram vossos pais que estavam dalém do Eufrates ou aos deuses dos amorreus em cuja terra habitais. Eu e a minha casa serviremos ao SENHOR.” Nos versículos 16 e 18 os líderes respondem: “…Longe de nós abandonarmos o SENHOR para servirmos a outros deuses… nós também serviremos ao SENHOR, pois Ele é o nosso Deus.” 

Josué e os líderes de sua época reafirmaram juntos um dos princípios fundamentais da Bíblia: os desejos de Deus são mais importantes do que os nossos desejos!

Todos os dias duas estradas estão diante de você: seguir seus próprios desejos ou escolher pelos desejos de Deus.

Uma dessas estradas leva a um relacionamento pacífico, pessoal e íntimo com Deus; ao crescimento espiritual. Essa estrada produz paz e tranquilidade na vida. 

A outra estrada leva à deterioração da vida espiritual; ao endurecimento do coração; à minimização do erro e do pecado; à falência emocional, relacional e até mesmo às doenças físicas. 

Deus convida você a decidir hoje pelos valores que guiarão sua vida. Ou você continua seguindo seus próprios desejos ou se entrega totalmente para seguir aos desejos de Deus.

Sinceramente, espero que haja coragem suficiente em sua vida para que você possa decidir pelos desejos de Deus, e assim definir sua vida da mesma forma que Josué e os líderes fizeram, dizendo: “Eu e a minha casa serviremos ao SENHOR… nós também serviremos ao SENHOR, pois Ele é o nosso Deus.” 

Decida hoje pelos desejos de Deus!

ESCOLHENDO PELA VIDA

ESCOLHENDO PELA VIDA

A vida é preciosa porque Deus a concede a cada um de nós. Precisamos escolher por ela, mesmo em face dos problemas. 

Alguns versículos do Salmo 139 apresentam razões para você escolher pela vida. 

1º – Deve-se escolher pela vida porque Deus sabe tudo sobre você. Os versículos 1,2 afirmam: “SENHOR, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me assento e quando me levanto; de longe penetras os meus pensamentos.” Deus lhe conhece muito bem. Saber que Ele sabe, traz sempre calma, confiança e paz para se viver cada momento da vida. 

2º – Deve-se escolher pela vida porque Deus está ao seu lado; você nunca está só. Os versículos 9,10 declaram: “Se tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos mares, ainda lá me haverá de guiar a tua mão, e a tua destra me susterá.” Deus está com você. Ele continua lhe liderando e o sustentando no meio de seus problemas.

3º – Deve-se escolher pela vida porque só Deus tem o controle total dos seus dias. O versículo 16 afirma: “…no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda.” Independente de quanto tempo se vive, Deus controla os dias da sua vida. Deve-se então viver um dia de cada vez, bem vivido, para a glória de Deus e para o bem das pessoas ao redor. 

Diante dos problemas aprenda a duvidar de si mesmo; não creia no que você pensa e sente; ore a Deus pedindo o mesmo que o salmista fez nos versículos 23 e 24: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.” 

Lembre-se sempre: Quanto mais de Deus em sua vida, mais razão para viver. 

A CURA PELA CONFISSÃO

A CURA PELA CONFISSÃO

Milhões de pessoas no mundo estão se alimentando de modo a prejudicar gravemente a saúde. Muitas outras pessoas ainda não sabem que o resultado muito mais desastroso da vida é a “ingestão” do pecado.

O pecado é letal. Ele traz culpa, frustração e desânimo. O pecado suga a força emocional e o ânimo da vida. Davi experimentou isso de forma profunda ao declarar no Salmo 32.3: “Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia.”

Muitos também desconhecem que a mais saudável escolha espiritual é ir a Deus, se arrepender dos pecados e receber dEle o perdão. 1 João 1.9 afirma: “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.”

Para você ser espiritualmente curado não racionalize e nem minimize o pecado. De forma prática, pegue uma caneta e papel; ore a Deus pedindo que Ele mostre seus pecados. Sem pressa, escreva todos eles; confesse-os ao Senhor; rasgue o papel e o jogue fora.

Ao buscar o perdão de Deus aos seus pecados você higieniza sua alma; isso produz alívio e saúde para o corpo porque a confissão destrói a culpa que o pecado produz e traz cura.

Deus sempre cura a alma dos que confessam seus pecados e dá-lhes um novo começo de vida.

Confesse seus pecados e seja curado.

PRECISAMOS DO OUTRO

PRECISAMOS DO OUTRO

Ninguém vive sozinho. Precisamos do outro. Paulo afirmou em Romanos 14.7: “Nenhum de nós vive para si mesmo, nem morre para si.”

Precisamos de alguém para nos gerar; para nascer. Precisamos de outros para vir ao mundo.

Precisamos de outros para ser e aprender algo, para ter uma profissão, para nos empregar; para pagar o nosso salário. 

Precisamos de pessoas com profissões humildes para nos dar suporte a vida: o porteiro, o gari, a doméstica, a passadeira, o pedreiro, o jardineiro, o motorista de ônibus, o ambulante e tantos outros

Precisamos de outra pessoa para dividir a vida, ter filhos e um lar, porque os mais íntimos sabem quem realmente somos e não se negam a mostrar nossas qualidades e fraquezas. 

Precisamos do outro para conversar, interagir, debater ideias, consolar, encorajar, animar, apontar caminhos e nos confrontar.

No final, ainda precisaremos de pessoas para cuidar de nossa saúde, e futuramente precisaremos de outros para providenciar os documentos e compras diversas quando morrermos, para estar em nosso funeral e nos enterrar.

Pessoas são presentes de Deus para essa vida dura, difícil e passageira, e o pouco que se pode fazer é ser grato e dizer sempre a outro, “muito obrigado”. 

O mais alto grau de imaturidade e insensatez nessa vida é acharmos que somos e nos tornamos alguém sem o outro. 

Precisamos do outro.