EM MOMENTOS DIFÍCEIS

Hoje, o mundo e as pessoas estão passando por momentos difíceis. Todos anseiam pela paz. Davi, no Salmo 4, encontrava-se em grande aflição, estando sob ameaças de seu filho, Absalão. Absalão deu um golpe de Estado e procurou matar Davi. Em meio a todos os seus perigos, inclusive o da própria vida, Davi declarou no versículo 8: “Em paz me deito e logo pego no sono, porque, SENHOR, só tu me fazes repousar seguro.” Como alguém poderia ter tanta paz diante de tantos conflitos?

Davi nos ensina que em momentos difíceis, a paz não é ausência de conflitos e guerras, antes é o estabelecimento de um relacionamento firme e confiante em Deus apesar das circunstâncias.

A vida não é justa. Você terá problemas, dificuldades e feridas que podem lhe tornar uma pessoa melhor ou amargurada. Em seus momentos difíceis você crescerá ou desistirá. Você se tornará quem Deus quer que você seja ou seu coração se tornará duro e difícil.

Através de um encontro pessoal com o Senhor Jesus Cristo, a sua relação com Deus é restaurada e você experimentará de Sua paz para passar por todos os momentos difíceis de sua vida. Essa paz com Deus será vivenciada consigo mesmo, com as pessoas, e se transformará numa força espiritual para você lidar com qualquer circunstância. Jesus afirmou em João 14.27: “Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou…”.

Você precisa decidir como responderá aos momentos difíceis da sua vida. Não fuja de seus problemas porque eles se avolumam. Não tente descartá-los fazendo de conta que eles não existem. Não se desespere. Há esperança para você, se você confiar em Deus.

Em momentos difíceis de sua vida, o que acontece COM você não é tão importante quanto o que acontece EM você.

Anúncios

O TEMPO DE DEUS

Os avanços tecnológicos modernos nos ensinam que somos capazes de obter o que queremos. Como resultado não somos só mais impacientes, mas achamos cada vez mais difícil discernir o tempo de Deus.

O Salmo 18.30 afirma que “…o caminho de Deus é perfeito…”. Ele faz tudo corretamente, sabe e tem o tempo certo para tudo. Salomão declarou em Eclesiastes 3.11: “Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo…”.

O tempo de Deus nunca é cedo, e nunca chegou tarde. Ele está no controle total de tudo e todos desde a eternidade e até a eternidade. O problema é que queremos o que queremos, e queremos agora. Nossa natureza humana não quer esperar em Deus. Na agitação frenética de nossas vidas, achamos difícil esperar por qualquer coisa ou por qualquer pessoa.

O problema central é que nossa impaciência revela o quanto realmente somos ignorantes quanto a Deus, e o quanto não confiamos nEle. Deus nos chama não só a confiar nEle, mas também nos fortalecer nEle enquanto esperamos. Isaías 40.31 diz: “Mas os que esperam no SENHOR renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam.”

Para o seu próprio bem, você precisa confiar que Deus está controlando sua situação e que tem o Seu perfeito tempo para tudo.

Você precisa aceitar no seu coração a promessa de Jeremias 29.11: “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais.”

Nancy Guthrie aconselha: “Embora seja difícil esperar em Deus, e ainda que nos pareça que Ele seja lento em agir, o tempo dEle é sempre o melhor e perfeito.”

No tempo de Deus tudo fará sentido. Confie nEle!

ERRANDO NOS PROBLEMAS

Em Atos 27, Paulo embarcou para Roma juntamente com outros prisioneiros. No versículo 10, Paulo avisou aos líderes do navio, dizendo: “…Senhores, vejo que a viagem vai ser trabalhosa, com dano e muito prejuízo, não só da carga e do navio, mas também das nossas vidas.” Mas eles decidiram continuar a viagem e o desastre foi inevitável.

Nessa história há três erros práticos que podemos cometer quando os problemas chegam em nossas vidas.

O primeiro erro é ouvir mais os homens do que a Deus. Em 27.11 afirma que “…o centurião dava mais crédito ao piloto e ao mestre do navio do que ao que Paulo dizia.” O centurião ouviu os “especialistas” mais do que a Deus. Assim, nenhum especialista desse mundo deve ser empecilho para que você ouça a voz de Deus. Ouça sempre e prioritariamente o que Deus está lhe dizendo.

O segundo erro é seguir a multidão. Em 27.12 lemos que “…a maioria deles era de opinião que partissem dali…”. A maioria quase sempre está errada. Por exemplo, a maioria dos israelitas que saíram da escravidão do Egito, após um tempo no deserto rumo à terra prometida, queriam voltar ao Egito; eles estavam errados. Não sucumba diante da pressão da maioria; ela lhe impede que você faça a vontade de Deus.

O terceiro erro é confiar nas circunstâncias. Em 27.13 diz que “Soprando brandamente o vento sul, e pensando eles ter alcançado o que desejavam, levantaram âncora e foram…”. Paulo os advertiu que eles estavam indo para uma tempestade, mas eles navegaram olhando as boas circunstâncias do momento. Você não deve entrar por todas as portas abertas ou oportunidades que lhe aparecem. Você precisa perguntar sempre a Deus qual é a Sua plena vontade.

Não cometa esses três erros em sua jornada de fé. Decida seguir a direção de Deus para sua vida.

EM DESESPERO

Desespero é um sentimento de desesperança, angústia e aflição, aliado a um profundo desânimo e descrença em tudo e todos.

Em 2 Coríntios 1-8-11, Paulo conta-nos sobre sua experiência com o desespero. Ele diz: “Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tribulação que nos sobreveio na Ásia, porquanto foi acima das nossas forças, a ponto de
desesperarmos até da própria vida. Contudo, já em nós mesmos, tivemos a sentença de morte, para que não confiemos em nós, e sim no Deus que ressuscita os mortos; o qual nos livrou e livrará de tão grande morte; em quem temos esperado que ainda continuará a livrar-nos, ajudando-nos também vós, com as vossas orações a nosso favor…”

Paulo diz que o desespero tem sua origem nas circunstâncias difíceis da vida, as quais ele as chama de “provações”. Como Paulo, precisamos saber qual é o origem do nosso desespero e encara-lo de frente.

Paulo também aponta que alguns tipos de circunstâncias nos levam ao desespero a ponto de querermos desistir de viver. Ele diz: “…porquanto foi acima das nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida.”

Paulo nos ensina que em nosso desespero devemos ir urgentemente a Deus e confiar nEle. Ele diz: “… tivemos a sentença de morte, para que não confiemos em nós, e sim no Deus que ressuscita os mortos; o qual nos livrou e livrará de tão grande morte; em quem temos esperado que ainda continuará a livrar-nos…”

Paulo ainda nos ensina que no desespero devemos buscar apoio e ajuda de outros, especialmente de suas orações. Ele afirma: “…ajudando-nos também vós, com as vossas orações a nosso favor…”

Se hoje você está desesperado fale abertamente com Deus sobre seus dilemas, enquanto entra em contato urgente para que alguém lhe ajude em oração.

Não se desespere no desespero.

REAGINDO ÀS ACUSAÇÕES

Durante boa parte do ministério de Jesus, seus oponentes o observavam em tudo com o fim de acusá-lo. Lucas 11.53,54 afirma que “…passaram os escribas e fariseus a argui-lo com veemência, procurando confundi-lo a respeito de muitos assuntos, com o intuito de tirar das suas próprias palavras motivos para o acusar.”

A última e fatal cartada de acusação que seus opositores fizeram, foi perante Pilatos. Mateus 27.12,14 afirma que Jesus quando foi “acusado… nada respondeu… de modo que o governador ficou muito impressionado.”

Jesus diante das acusações manteve silêncio. Por que Ele reagiu assim? Primeiro, porque sua consciência não o acusava de nada, nem diante de Deus e nem diante dos homens. Segundo, porque Ele sabia que no plano eterno do Pai era necessário passar por toda maldade de seus opositores. Terceiro, para se solidarizar com aqueles que são acusados injustamente.

Diferente do Senhor Jesus, algumas acusações contra nós podem proceder. Contudo podemos também ser alvos de acusações injustas. É preciso refletir sobre a origem e de quem procede as acusações.

As acusações contra você são justas ou injustas? Se são justas, peça perdão a Deus e a quem ofendeu. Caso sejam injustas, aja como Jesus: mantenha silêncio e deixe Deus tratá-las para você.

As acusações sempre são testes que revelam seu estado espiritual. Porque se você for acusado justamente e resolve ignorar, o pecado do orgulho aparece. Mas se for acusado injustamente e deixar que Deus trate, Ele verá Jesus em você e honrará sua humildade.

Saiba reagir corretamente diante das acusações.

AME A DEUS!

Jesus afirmou em Mateus 22.37-38: “Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento. Este é o primeiro e maior mandamento.”

O que o Senhor Jesus quer dizer nessas palavras é que nosso amor e nossa adoração a Deus precisam ser algo exclusivo e prioritário.

Devemos amar a Deus em tudo o que somos, temos e nos tornamos. O fim gracioso de todo o ser humano é amar a Deus. Nada deve ocupar mais nossa atenção do que Ele. Ele precisa ser o supremo, recebendo devoção exclusiva. Se assim não o for, seremos idólatras.

Idolatria tem a ver com o que amamos mais do que Deus. Idolatria é o que e a quem amamos, devotamos tempo, recursos e esforços. O que amamos ocupa nossas motivações, desejos, pensamentos, palavras e ações. João Calvino afirmou: “Cada um de nós, desde o ventre de nossas mães somos artesãos de ídolos.” Idólatras usam a Deus para alcançar o que desejam.

Idolatria é mais do que render-se a um ídolo feito por mãos humanas. Idolatria significa devotar amor completo àquilo ou àquele que se tornou o centro de tudo. Idolatria significa colocar a esperança e confiança em algo ou alguém que não seja o Senhor.

Tudo o que você ama, deseja, espera e confia mais do que Deus é idolatria. Tudo o que você procura para ser feliz, realizado e ter significado, fora de Deus é idolatria.

Se você não entender onde estão os seus ídolos, você não buscará arrependimento e mudança verdadeira.

O que Jesus deseja é que você ame a Deus. Se Ele for a maior prioridade de sua vida todo o resto terá o devido lugar.

Abandone a idolatria. Ame a Deus!

OUSADOS EM DEUS

Hananias, Misael e Azarias se tornaram cativos em Babilônia. Na Babilônia suas vidas foram extremamente mudadas. Seus nomes foram mudados, suas roupas foram mudadas e seu idioma foi mudado. A Babilônia os mudou em muitas coisas, mas não conseguiu mudá-los em seus valores e convicções espirituais.

No capítulo 3 de Daniel, o rei Nabucodonosor construiu uma grande estátua de ouro e mandou que todos a adorassem. Mas esses homens não a adoraram.

Nabucodonosor ficou indignado e mandou chamá-los. Em Daniel 3.14,15, o rei disse o seguinte: “…É verdade…que vós não servis a meus deuses, nem adorais a imagem de ouro que levantei? Agora, pois, estai dispostos…prostrai-vos e adorai a imagem que fiz?… porém, se não a adorardes, sereis, no mesmo instante, lançados na fornalha de fogo ardente. E quem é o deus que vos poderá livrar das minhas mãos?”

A essa palavra, esses ousados homens disseram nos versículos 16-18: “Ó Nabucodonosor, quanto a isto não necessitamos de te responder. Se o nosso Deus, a quem servimos, quer livrar-nos, ele nos livrará da fornalha de fogo ardente e das tuas mãos, ó rei. Se não, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses, nem adoraremos a imagem de ouro que levantaste.”

Esses homens se dispuseram a não só defender suas convicções de fé, mas morrerem por elas. Furiosamente eles foram lançados na fornalha ardente, mas porque foram ousados em Deus, Ele graciosamente os salvou.

Hoje, mais do que nunca, precisamos urgentemente de pessoas ousadas, corajosas, audaciosas, intrépidas e destemidas em Deus. Pessoas dispostas a ir adiante em suas convicções, prontas a sofrerem retaliações e ousados em dizer “não” para o pecado e o mundo, e “sim” para Deus.

Você será uma delas? Você está pronto para ser ousado em Deus e confiar nEle quanto às consequências?