ADMINISTRADORES DA VIDA

ADMINISTRADORES DA VIDA

Infelizmente esquecemos que tudo o que temos e somos pertencem a Deus. Davi afirma no Salmo 24.1: “Ao SENHOR pertence a terra e tudo o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam.” Paulo escreveu em Romanos 11.36: “Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!” 

A falta de conhecimento de que tudo pertence a Deus, cria em cada um de nós um falso conceito de posse. Isso é algo muito perigoso. Quando acreditamos que somos donos de tudo o que temos, faremos também de tudo para ter mais, controlar o que pudermos, e buscaremos com unhas e dentes impedir que algo se perca. 

E o que essa visão de posse pode fazer com vida? Ela pode trazer muitos estragos. Os que acreditam que são possuidores sofrem por demasiado com a perda de algo; sentem demasiadamente o fracasso; se consomem profundamente quando o planejado não ocorre; frustram-se demais; se estressam demais; e o pior, se decepcionam demais consigo mesmos, com pessoas, e infelizmente, com o próprio Deus. 

Mas quando se está ciente de que a vida e tudo o que ela proporciona é apenas um comodato divino, abre-se então uma maravilhosa oportunidade para a gratidão, o contentamento e a generosidade. Crer que Deus é o dono de tudo, faz com que sejamos mais conscientes e competentes em nossa missão de vida. 

O segredo é viver constantemente a lembrança de que não somos donos de nada, apenas administradores do que dEle temos recebido. Isso significa que somos apenas administradores da vida, da saúde, das habilidades e das capacidades. Somos administradores do cônjuge, dos filhos e da família. Somos administradores de empresas, do emprego, dos recursos, bens, dinheiro e tempo. Somos meros administradores.

Os administradores da vida agem como Davi, quando doou boa parte de seus recursos financeiros e bens para a construção do Templo de Jerusalém. Davi ao doar afirma o seguinte em 1 Crônicas 29.11,12,14: “Teu, SENHOR, é o poder, a grandeza, a honra, a vitória e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu, SENHOR, é o reino, e tu te exaltaste por chefe sobre todos. Riquezas e glória vêm de ti, tu dominas sobre tudo, na tua mão há força e poder; contigo está o engrandecer e a tudo dar força… Porque quem sou eu, e quem é o meu povo para que pudéssemos dar voluntariamente estas coisas? Porque tudo vem de ti, e das tuas mãos Lhe damos.”

O incrível de tudo é que os administradores da vida sabem lidar melhor com as perdas. Eles têm sempre um coração resignado e grato porque entendem que o Senhor não somente é o dono, mas é também soberano sobre tudo. Ele age conforme Sua perfeita vontade. Essa foi a postura de Jó quando perdeu seus filhos e todos os seus bens. Ele diz em Jó 1.21: “…Nu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei; o SENHOR o deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR!”

A vida de cada um de nós será bem mais tranquila e em paz quando entendermos que tudo o que temos, somos e nos tornamos é apenas uma dádiva de Deus, não para ser possuída, controlada ou deificada (endeusada), mas um meio, uma forma onde Ele será mais conhecido, mais glorificado, mais honrado e mais adorado.

Não possua! Administre!

JESUS E A PALAVRA DE DEUS

JESUS E A PALAVRA DE DEUS

Jesus afirmou em Mateus 5.18,19: “Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra. Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus.”

Jesus veio para cumprir a Lei e os Profetas. Sua obediência foi total e completa para com a Palavra de Deus. Ele amou, obedeceu, estudou, memorizou, ensinou e pregou a Palavra de Deus.

Jesus valorizou a Palavra de Deus afirmando que “…nem um i ou um til jamais passará da Lei até que tudo se cumpra.” Yod (traduzida por um “i”) era a menor das letras do alfabeto hebraico, quase tão pequena como uma vírgula. O “til” (grego “keraia”) era um acento, sinal que distinguia algumas letras hebraicas de outras. O ensino de Jesus é que a Palavra de Deus permanecerá para sempre. Nem um “i” ou um “til” da Lei deixará de se cumprir. Jesus valoriza e dá importância à Bíblia. 

Nesse texto, Jesus é claro em afirmar o valor da obediência e do ensino ao menor dos mandamentos. Ele faz uma conexão entre a Palavra de Deus e a entrada no Reino dos céus. 

Não é só obedecer, é também ensinar. E não é só ensinar, é ensinar da forma certa. Nem todos os mandamentos tem o mesmo “peso”, mas o que importa não é a dimensão do mandamento, mas QUEM deu o mandamento. 

Deus é ofendido quando se afrouxa e relaxa em seus mandamentos. Afrouxar a verdade é diminuir a autoridade de Deus. Deus é desonrado quando Sua Palavra, por menor que seja, não é obedecida e ensinada corretamente. Quem o faz no relaxo “será considerado mínimo no reino dos céus”, mas quem o faz com zelo “será considerado grande no reino dos céus.”

Deus nos deu seus mandamentos para que possamos obedecê-los e ensiná-los. Jesus é o exemplo máximo de obediência e ensino da Palavra.

Deus busca pessoas sérias. Aqueles que O amam, obedecem, e não se envergonham em ensinar Suas verdades. 

Você obedece e ensina fielmente as verdades de Deus?

UMA CONSCIÊNCIA TRANQUILA

UMA CONSCIÊNCIA TRANQUILA

Um certo homem cometeu uma grande fraude na empresa em que trabalhava. Sua consciência não o deixava dormir. Para aliviá-la escreveu à empresa o seguinte: “Envio anexo uma parte do valor que fraudei da empresa. Caso não consiga dormir em paz hoje à noite, enviarei mais uma parcela amanhã.”

A consciência é algo presente na vida de todos. Segundo a Bíblia a consciência é uma poderosa voz que avalia moralmente os atos, os pensamentos, os planos, os desejos, as opiniões, os interesses, as vontades, as reações. Ela pode sussurrar, debater, discutir ou gritar conosco. 

Em João 8, os saduceus e fariseus trouxeram a Jesus uma mulher pega em adultério. Usando o Antigo Testamento, esses homens queriam difamar a Jesus. Ele simplesmente disse a eles: “Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra.” Mas eles acusados pela consciência, saíram e foram embora. (João 8.7,9).

Deus nos fala pela consciência. Ele a implantou em cada ser humano. Em Romanos 2.15 lemos: “Estes mostram a norma da lei gravada no seu coração, testemunhando-lhes também a consciência e os seus pensamentos, mutuamente acusando-se ou defendendo-se.” Através da consciência, Deus escreveu sua Lei em nossos corações. Por ela, Deus nos confronta com nossos erros e pecados, nos leva ao arrependimento e nos conduz ao perdão. 

A sua consciência hoje lhe deixa desconfortável? Talvez ela esteja lhe dizendo: “não vá a tal lugar; não ande com tais pessoas; não leia isso; não assista tal programa na TV; fuja desse site; não minta.” Talvez você esteja tentando calá-la. Mas a consciência apenas está lhe dizendo: “pare com isso e mude de vida.”

Sua consciência lhe diz que você precisa dar um passo em direção a Deus. Davi nos diz no Salmo 32.3,4: “Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio.” 

Somente a verdadeira confissão diante de Deus pode libertá-lo de uma consciência culpada. Faça isso agora, e viva tranquilo com sua consciência diante de Deus e diante dos homens.

SUA ALMA ESTÁ SACIADA?

⁠SUA ALMA ESTÁ SACIADA?

Jesus disse: “Aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna.” (João 4.14).

A alma de todos está sedenta. Ela busca algo para preencher e ser saciada. E é em Jesus que essa busca cessa.

A mulher samaritana estava em busca de algo para sua alma. Achava que vários relacionamentos preencheriam o vazio; achava que a religião o pudesse fazer. Mas ela nunca imaginou que naquele dia comum, algo incomum aconteceria: ela encontraria tudo o que precisava para sua alma em Jesus.

Jesus explica como uma alma pode ser saciada.

Em primeiro lugar – NINGUÉM PODE PROVIDENCIAR SEU PRÓPRIO SACIAMENTO.

Jesus disse: “Aquele, porém, que beber da água que EU LHE DER.” A resposta está em Jesus. Ele é a origem da satisfação; vem dEle; é uma ação espiritual e fora do âmbito da normalidade. O saciar da alma não é providenciado pelas próprias mãos, mas em Jesus.

Em segundo lugar – A PESSOA PRECISA QUERER VIR A JESUS.

Jesus disse: “aquele, porém, QUE BEBER…” A transformação de uma vida não vem por imposição, por atos religiosos, por esforço ou pelo conhecimento. Não, ela vem por EXPERIMENTAR. Não adianta saber e ter o remédio se a pessoa não se dispõe a toma-lo. A mudança não vem pelo conhecer a “água”, mas por experimentar, por “beber”. Jesus só é real para quem nEle crê, O recebe e O vive.

Em terceiro lugar – A ALMA SACIADA EM JESUS FICA COMPLETAMENTE SATISFEITA.

Jesus disse: “…nunca mais terá sede…” Quem vem a Jesus completa em sua vida aquilo que a religião, os prazeres, as pessoas, as circunstâncias, os esforços, a cultura, a filosofia, o entretenimento nunca conseguiram dar. Jesus vem na vida e completa tudo o que faltava. Quem vem a Jesus NUNCA MAIS precisa buscar satisfação em nada.

Em quarto lugar – A ALMA SACIADA EM JESUS TORNA-SE UM CANAL DE BÊNÇÃO.

Jesus disse: “a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna.” Quando a alma está satisfeita, a vida vive. A água espiritual que Jesus dá produz uma “fonte” de bênçãos para si e para outros.

Sendo assim, pare de tentar produzir a sua própria satisfação. Entregue-se a Jesus e deixe Ele preencher todos os vazios de sua alma.

APRENDENDO A COMUNICAR

APRENDENDO A COMUNICAR

Comunicar é uma arte. Comunicar envolve expressar de forma verbal ou não verbal os pensamentos e sentimentos.

Não se comunicar gera muitos conflitos. Conflitos não resolvidos por sua vez intensificam os problemas. Os problemas para serem resolvidos precisam de uma boa comunicação.

Há pessoas que não se comunicam porque vieram de um histórico familiar repressivo; outras não sabem se expressar; outras são culturalmente limitadas; e outras ainda são extremamente tímidas e temem serem rejeitadas ou censuradas.

A Bíblia nos ensina a comunicar com eficiência. Ela nos dá parâmetros simples e práticos para uma excelente comunicação.

Bons comunicadores…

1. SÃO BONS OUVINTES

Em Tiago 1.19 lemos: “…Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.”

Muitos conflitos seriam resolvidos se buscássemos ouvir e entender melhor o que outro está tentando falar. 

Bons comunicadores…

2. PENSAM ANTES DE FALAR

Salomão nos ensina em Provérbios 15.23: “O homem se alegra em dar resposta adequada, e a palavra, a seu tempo, quão boa é!”

Muitos se comunicam atropeladamente e de forma irada. Não é à toa que os conflitos se acumulam e os relacionamentos murcham.

Bons comunicadores…

3. FALAM A VERDADE

Paulo nos ensina em Efésios 4.25: “Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo…”

Nenhum relacionamento sobreviverá na base da mentira, hipocrisia e falsidade. A verdade precisa ser dita com amor, sensibilidade e franqueza, mas precisa ser dita.

Bons comunicadores…

4. ESCOLHEM O TEMPO CERTO PARA FALAR

Em Eclesiastes 3.1,7 Salomão nos ensina que: “…há tempo para todo propósito debaixo do céu” e há “…tempo de estar calado e tempo de falar.”

Você pode ter toda a razão, todo o argumento e uma boa atitude ao se comunicar, mas se errar o tempo para falar, não alcançará seu objetivo e ficará frustrado. Há um tempo certo para falar.

Se você se deixar conduzir por esses princípios bíblicos e simples de comunicação, os seus relacionamentos vão melhorar e muito.

A FUTILIDADE DA POPULARIDADE

A FUTILIDADE DA POPULARIDADE

Uma pessoa popular é aquela que tem a apreciação, admiração e simpatia do povo; que recebe uma estima pública. 

A popularidade é o desejo de muitos. Ser alguém reconhecido no que faz, é e se tornou algo extremamente convidativo, e até mesmo pode trazer benefícios. Mas é sempre bom lembrar que a popularidade tem um preço.

Em Eclesiastes 4.16, Salomão conta-nos sobre a vida de um monarca. Ele diz: “O número de pessoas que um rei governa é muito grande; no entanto, quando deixa de ser rei, ninguém é agradecido pelo que ele fez. É tudo ilusão, é tudo como correr atrás do vento.” 

Salomão afirma que o tal rei governou e tinha influência sobre muitas pessoas. Com certeza todos sabiam quem era o rei, e a muitos trouxe benefícios. Contudo, quando passou seu reinado, ninguém lhe foi grato pelos benefícios de seu reinado. E a conclusão final é que correr atrás do poder e da popularidade é algo sem valor. 

Walt Disney fez uma afirmação sobre sua popularidade. Ele disse: “Tanto quanto me lembro, ser uma celebridade nunca me ajudou a fazer uma boa imagem, ou fazer com que minha filha me obedecesse; ou me capacitou para impressionar melhor minha esposa. A popularidade nunca me ajudou nem a manter a pulga fora do meu cão…”

Sábio é que você não faça da popularidade o foco de sua vida. Concentre antes em construir um legado de vida. Construa sua vida em princípios e valores.

Sábio também é nunca tentar viver para agradar ou suprir as expectativas dos outros. Isso produzirá stress e um peso na vida. 

Em Marcos 1, quando Jesus curou um leproso, Ele disse ao leproso o seguinte no versículo 44: “Olha, não digas nada a ninguém…” Por que Jesus disse isso ao homem? Porque Jesus não queria dar a falsa impressão às multidões que Ele veio para ser um “curandeiro”, um “solucionador de problemas humanos”. Todos os seus milagres eram realizados para apresentar suas características como Messias e Salvador. Ele estava focado em resolver o problema maior, o pecado. O pecado era o causador de todos os males físicos, da psique e do espírito. Jesus resolveu não ser popular, mas abençoar pessoas. É sempre bom lembrar que as multidões a quem Ele curou e cuidou foram as mesmas que um dia clamaram: “crucifica-O, crucifica-O”. 

Buscar a popularidade pela popularidade, é algo fútil, inútil e sem valor.

SEMEANDO E COLHENDO

SEMEANDO E COLHENDO

Boa parte da Bíblia foi escrita originalmente para uma sociedade agrária. As pessoas estavam extremamente familiarizadas com o trabalho na terra; o cultivo de plantações. Muitos dos ensinos de Jesus envolveram a vida agrícola e por isso há várias referências sobre “semear e colher”.

Semear e colher é uma lei do mundo natural, como também o é do mundo espiritual. Um homem colhe o que semeia. Paulo ensina em Gálatas 6.7: ”Não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá.”

Há consequências naturais das ações. O mundo opera sob a lei de causa e efeito. Não há maneira de contornar isso. Cada vez que se escolhe uma ação, naturalmente se recebe uma consequência. 

A verdade é que todos estamos plantando o tempo todo. Plantamos pensamentos, atitudes, dinheiro, recursos, palavras, etc. E sempre colheremos o que plantarmos. E tudo começa com uma semente. E uma semente produz várias outras.

O que se semeia, se colhe! A Bíblia afirma com clareza: “…os que lavram a iniquidade e semeiam o mal, isso mesmo colhem…” (Jó 4.8); “…semeiam ventos, colhem tormentas…” (Os 8.7); “…o que semeia a perversidade colhe males…” (Pv 22.8).

Muitos inadvertidamente acreditam que a vida irresponsável, sem regras, sem disciplina, sem normas, sem valores e sem limites é a verdadeira vida. Engano! A vida é um constante “semear e colher”, seja no campo profissional, moral, educacional, familiar, físico, emocional, relacional e acima de tudo, espiritual. 

Há uma frase correndo solta na sociedade: “o importante é ser feliz!” Não, não é! O importante é fazer a vontade de Deus; o importante é agradar o Seu coração; o importante é ser sábio nas decisões da vida; o importante é conduzir a vida nos padrões que Deus estabeleceu. Isso é vida! 

Por isso, semeie o que quer colher. Não desista e nem deixe ninguém destruir sua semeadura. Mantenha-se firme plantando, mesmo nos momentos difíceis. O Salmo 126.6 nos ensina: “Quem sai andando e chorando enquanto semeia, voltará com júbilo trazendo os seus feixes…”

Um sábio disse: “Plante um pensamento, colha uma ação; plante uma ação, colha um hábito; plante um hábito, colha um caráter; plante um caráter, colha um destino.”

Assim sendo, responda: O que você está semeando hoje em seu casamento, na educação de seus filhos, na sua vida profissional, no uso de seus recursos e em seus relacionamentos? E acima de tudo, o que você está semeando em seu relacionamento com Deus?

Não se esqueça: todos colheremos amanhã o que estamos semeando hoje.

A DIREÇÃO DE DEUS

A DIREÇÃO DE DEUS

Eliezer era um servo de Abraão. Ele recebeu uma ordem direta de seu senhor, Abraão, para ir à casa de seus familiares e providenciar uma esposa para seu filho Isaque. Ele o fez. E quando estava perto, orou. Ele orou especificamente sobre tudo o que precisava. Deus ouviu sua oração e o guiou em tudo. Em Gênesis 24.27 lemos suas palavras: “ …quanto a mim, estando no caminho, o SENHOR me guiou à casa dos parentes de meu senhor…”

É claro que eu e você queremos ser guiados por Deus. Se você quer a direção de Deus em sua vida é preciso que você decida seguir alguns passos espirituais simples.

1. ORE

Muita gente diz: “preciso da direção de Deus para minha vida”, mas poucas vezes fala com Ele. Salomão nos ensina em Provérbios 3.6: “Reconhece-O em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas.” Aprenda a levar tudo a Deus em oração.

2. BUSQUE A PALAVRA DE DEUS

Não há direção de Deus para a vida que discorde de Sua Palavra. Deus não abençoa aquilo que está contra Sua Palavra. O salmista faz uma oração diretiva no Salmo 119.35: “Guia-me pela vereda dos teus mandamentos, pois nela me comprazo.” A Palavra de Deus é o guia certo e seguro para a vida.

3. BUSQUE CONSELHOS

Deus usa pessoas sábias, maduras e experientes para lhe dirigir e guiar. Por meio delas, o Senhor lhe mostra a direção. Salomão afirma em Provérbios 15.22: “Onde não há conselho fracassam os projetos, mas com os muitos conselheiros há bom êxito.”

4. ESTEJA ATENTO

Essa foi a postura de Eliezer em Gênesis 24. Enquanto ele orava por algo específico, o Senhor foi revelando sua direção porque ele estava atento. Por isso, esteja atento! Uma pessoa atenta estará mais sensível à direção de Deus.

5. FAÇA ALGO

Eliezer “estava no caminho” quando o Senhor o dirigiu. Por isso, vá em direção daquilo que deseja. Deus nunca fará aquilo que compete a você fazer. À maneira que você segue em direção ao que deseja ser guiado, Deus lhe conduzirá a locais, pessoas e circunstâncias certas. D. L. Moody disse: “Todos devem trabalhar e pedir a orientação de Deus.”

Se o seu desejo é ter a direção de Deus em sua vida, esteja certo de que Ele em tudo lhe dirigirá.

A VIDA ETERNA

A VIDA ETERNA

O apóstolo João afirmou em 1 João 2.25: “E esta é a promessa que ele mesmo nos fez, a vida eterna.” Essa promessa da “vida eterna” foi prometida pelo próprio Senhor Jesus em João 3.16: “Porque Deus amou o mundo, de tal maneira, que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

Pensar, falar e indagar sobre a “vida eterna” deveria ser algo prioritário a todos nós. Isso porque Jesus mesmo afirmou categoricamente em Marcos 8.36: “Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?”

A Bíblia usa a palavra grega “aionios” para se referir a “eterno”. “Aionios” traz consigo o contexto de uma vida em “quantidade”, perpétua e sem fim, mas também se refere a uma “qualidade” de vida aqui e agora. Jesus disse em João 10.10: “O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.” “Abundância”, na língua original, refere-se a algo “extremo”. Assim, Jesus vem para oferecer ao que nEle crê uma vida plena, completa e “extrema” hoje e para sempre.

A “vida eterna” também significa escapar do poder da morte. A maldição advinda da entrada do pecado no mundo, não só trouxe a morte física, mas a morte eterna. “Morte” nunca significa na Bíblia “aniquilamento”, mas “separação”. Alguém “morto” significa que o corpo físico foi separado da parte imaterial; da alma. “Morte eterna” significa a eterna separação de Deus. Contudo, a morte não é o fim! A morte física e eterna existem por causa do pecado, mas Deus enviou Jesus para libertar os que creem nEle de todo o estrago causado pelo pecado. Paulo afirmou em Romanos 6.23: “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.” Jesus ainda afirmou em João 11.25,26: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente.”

Quando você crê e recebe a Jesus pela fé, você ganha dEle não só a certeza de uma vida após a morte, mas uma vida plena e cheia de significado aqui e agora. Você ganha um relacionamento direto, estreito e amoroso com Deus Pai e com Jesus. Jesus disse em João 17.3: “Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.”

A “vida eterna” é uma vida livre, plena e para sempre. A “vida eterna” é uma vida cheia de paz, alegria, segurança, de conforto, força e esperança. Essa é a vida que você deseja e sonhou, mas você nunca poderá tê-la por si mesmo. Ela está acessível, e é oferecida gratuitamente por Deus hoje e agora a todos aqueles que se dispuserem a crer e a receber a Jesus como o seu Senhor e Salvador.

Você hoje está disposto a crer e a receber a Jesus como seu Senhor e Salvador para ter a vida eterna?

ACERTANDO NA VIDA

ACERTANDO NA VIDA

Todos erramos. Todos falhamos de forma gritante. Todos sabemos que há áreas em nossas vidas que simplesmente não funcionam. A questão é que ninguém precisa fingir ou fugir dessa realidade. Tentar fazê-lo é ser vitimado pelo autoengano.

A Bíblia define a todos como “pecadores”. Ser um “pecador” significa que nossa propensão natural é desviar-se do que é certo, reto, direito e justo aos olhos de Deus.

Precisamos encarar nossos pecados com muita honestidade, sinceridade e seriedade diante de Deus. Em Provérbios 28.13 somos advertidos: “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.”

Há algumas simples verdades que aprendemos desse pequeno versículo. Em primeiro lugar aprendemos que nossa tendência natural é sempre encobrir o pecado e não dar o peso e o tratamento que ele merece. É muito mais fácil ignorar nossos pecados.

Em segundo lugar aprendemos que quando se encobre os pecados a vida emperra, trava e não anda. O pecado entope e bloqueia a alma, não deixando a vida fluir.

Em terceiro lugar aprendemos que há esperança para qualquer tipo de pecado. Quando se arrepende e se confessa, Deus muda a vida. Deus sempre vai ao encontro do humilde e do quebrantado de coração.

É sempre bom que você se lembre e se encoraje com o testemunho do salmista no Salmo 32.3,5: “Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia…Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado.”

Deus espera que você se volte para Ele, e quando o fizer Ele acertará sua vida; Ele a colocará no eixo como você deseja. Não tenha medo de confessar seus pecados, apenas não continue negando o que é tão óbvio para você e o que já está tão claro diante de Deus.

Erwin Lutzer afirmou: “O perdão é sempre livre. Mas isso não significa que a confissão é sempre fácil. Às vezes é difícil. Incrivelmente difícil. É doloroso admitir nossos pecados e confiar-nos aos cuidados de Deus. ”

O acerto de sua vida e a paz que tanto procura estão em humildemente admitir seus próprios erros e pecados diante de Deus e pedir o Seu perdão.