EM BUSCA DA FELICIDADE

EM BUSCA DA FELICIDADE

 “Alegrai-vos no Senhor…” – Filipenses 3.1

 Queremos ser felizes. Sem alegria a vida é muito cansativa e opressiva.

 O primeiro sermão de Jesus teve a “felicidade” como tema. Ele explicou e aplicou verdades da alegria focada em Deus.

 Paulo no livro de Filipenses usa a palavra “alegria” cerca de 16 vezes. É importante lembrar que Paulo não estava de férias nas ilhas gregas quando escreveu Filipenses. Eles estava para ser executado em Roma. Seus dias eram difíceis e sombrios. Ele afirmou: “Alegrai-vos no Senhor…” (Fp 3.1; 4.4).

 O problema é que atrelamos nossa alegria a circunstâncias e pessoas. Quando circunstâncias não vem bem, nossa alegria vai embora. Quando pessoas nos decepcionam, a alegria se esvai. Por que? Porque o alicerce da alegria não é Deus.

 O que é ter a alegria da vida em Deus?

 Significa agarrar com firmeza numa crença simples que Deus está no controle de pessoas e circunstâncias; significa que nada está à deriva e que por onde você for, com quem se encontrar, o que fizer (certo ou errado), Deus está controlando e cuidando para seu bem (Rm 8.28); que Ele é a seu favor ( Rm 8.31); que seu amor nunca para e por isso você está sempre seguro (Sl 23.1,6) e não há nada a temer.

 Há uma razão, um propósito, um significado diante de um Deus que ama e cuida. Por isso você pode viver alegre ainda que tudo não esteja supostamente bem ou ajustado como gostaria.

 Alegria é uma decisão. Se você quer ser alegre precisa entrar em sintonia com os propósitos de Deus para sua vida.

 Foque nos propósitos de Deus e a alegria será um resultado natural.

Anúncios

HÁ ESPERANÇA?

HÁ ESPERANÇA?

Por Roberto N. Amorim

Somos tendentes a não continuar quando os obstáculos da vida chegam. Paramos algo e projetos por causa da doença, da morte, do desprezo, do deboche, do sarcasmo, da fofoca, da provação etc. Ficamos desanimados diante da oposição e a fé por vezes vacila.

O apóstolo Pedro escreveu para cristãos que enfrentavam duras tribulações. Ele trouxe a eles um grande incentivo e esperança ao dizer: Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos.” (1 Pedro 1.3).

Ao estudar o relato bíblico sobre a crucificação de Cristo, parece que no final a injustiça venceu. Seus discípulos perderam o ânimo. Contudo, a morte não teve a palavra final, porque Ele ao terceiro dia ressuscitou. E ao ressuscitar, a esperança voltou aos discípulo e por causa de Sua ressurreição, todos os que sofrem podem esperar e confiar nEle, porque nenhum problema tem a palavra final.

Não jogue fora sua esperança simplesmente porque o problema chegou. Segundo a Bíblia, sua esperança deve estar no Deus vivo e real. Não importa o tamanho do problema, mas sim o tamanho de seu Deus. Ele permite as dores para um propósito maior.

Se você abraçar seus problemas e focar nele, com certeza você cairá. Mas ao levantar seus olhos a Deus e confiar nEle, sua esperança voltará e seu ânimo será dobrado.

Sua fé deve ditar sua esperança. Se você não apoia em Deus, você cai. Olhe para Deus e não desista. O Deus vivo lhe dá uma fé viva para viver uma esperança viva para que você não só se mantenha vivo, mas vivificado.

Mude o foco do problema e da dor para a fé em Deus e a esperança nEle. Quando a corda da vida está ligada em Deus, ela sustenta diariamente a sua esperança.

A QUEM DEVO PROCURAR EM MINHA DOR?

A QUEM DEVO PROCURAR EM MINHA DOR?

Por Pr. Roberto N. Amorim

“Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo.” (Gálatas 6.2 )

 

A alma é curada quando a dor é compartilhada. Mas muitos se perguntam: “com quem vou abrir meu coração?” “Será que ao falar sobre meus problemas essa pessoa pode contar para outra; será que ela não vai fofocar?”

Sem dúvida muitos esbarraram na vida com pessoas julgadoras e fofoqueiras, e essa experiência horrível acabou por manter o coração fechado para pessoas que realmente podem ajudar.

O erro é que experiências com julgadores e fofoqueiros não podem estabelecer um padrão de que TODAS as pessoas não são confiáveis.

Nem todas as pessoas são imaturas. Há pessoas que amam, que se preocupam, que são discretas, que ajudam, que esforçam, que dão de si para o bem estar do outro. Pessoas que são incapazes de repassar um segredo; são dignas e humildes. Elas não julgam e nem fofocam porque entendem o estado de seu próprio coração.

Paulo nos ensina a levar as cargas uns dos outros. Isso significa que há sempre alguém disposto e maduro a ajudar a levar seu fardo.

A quem devo procurar para me ajudar?

Em primeiro lugar, procure pessoas que se colocam em seu lugar; pessoas que sentem sua dor; pessoas dóceis, amáveis, confiáveis, empáticas, dispostas, acolhedoras e maduras emocionalmente.

Segundo, procure pessoas que não se chocam com qualquer informação recebida; aquelas que não se chocam com a dimensão do pecado, do erro, ou de qualquer suposta história “escabrosa”. Gente que realmente entende a natureza humana segundo a Bíblia. Pessoas que sabem que desde que o pecado entrou no mundo, tudo é possível ao pecador.

Terceiro, procure pessoas que levam a Deus a sério; aquelas que ajudam baseado nos princípios de Deus e de Sua Palavra; pessoas que crêem no sobrenatural e na ação divina na história; pessoas que apontam para Jesus, porque sabem que Ele veio para os “cansados” e “sobrecarregados” e todos os que se achegam a Ele, entregando-se totalmente, recebem dEle alívio, descanso, paz e razão para vida. (Mateus 11.28-30)

Ore pedindo a Deus por alguém para lhe ajudar em sua dor, e confie que Ele trará até você. Não se feche a pessoas certas, porque elas serão o toque sobrenatural de Deus em sua vida.