UMA VIDA ÍNTEGRA

UMA VIDA ÍNTEGRA

Os vários escândalos financeiros e a corrupção que o Brasil vive, em especial no caso da Petrobrás, nos leva a indagar: será que realmente compensa viver uma vida íntegra?

A palavra “integridade” vem do latim “integritate” que significa “inteiro”. Na prática uma “pessoa íntegra” é aquela que não divide sua vida. A realidade pessoal, profissional, familiar, financeira, sexual e social faz parte do todo de seu viver.

Não basta conhecer definições, frases, estudos, conceitos, histórias e ensinos sobre integridade. O que vale mesmo é viver de forma íntegra.

Os que vivem de forma íntegra são pessoas sólidas e firmes. Elas se mantém coesas no meio dos momentos difíceis. Eles são fortes para dizer “não” ao que é corrupto, mentiroso e escuso. Elas sabem que a melhor coisa da vida é viver com a consciência pura e limpa diante de Deus e das pessoas.

Foi assim que Paulo se esforçou em viver: Ele diz em 2 Coríntios 1.12: “Porque a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência, de que, com santidade e sinceridade de Deus, não com sabedoria humana, mas, na graça divina, temos vivido no mundo e mais especialmente para convosco.”

Ser íntegro não significa ser perfeito. Ser íntegro significa fazer o que é certo. Se perfeição fosse o padrão de integridade, ninguém o seria. Todos tropeçamos em alguma coisa.

A hipocrisia é o grande inimigo da integridade. Somos hipócritas quando sabemos a verdade e não a praticamos; quando dizemos e não fazemos; quando aparentamos ser o que não somos.

Lembre-se: a falta de integridade o(a) deixa vulnerável a Satanás e ao mal. Quando você começa a dividir sua vida em pedaços sua integridade já foi embora.

Compensa sim viver uma vida íntegra! Vale a pena viver com uma consciência pura e limpa nesse mundo diante de Deus e dos homens como Paulo viveu.

A pessoa íntegra não receia que as pessoas vejam por fora o que acontece por dentro.

Seja íntegro(a)!

Anúncios

SERÁ QUE DEUS SE IMPORTA?

SERÁ QUE DEUS SE IMPORTA?

Em Marcos 4.38 os discípulos fizeram essa pergunta. Eles estavam em um barco quando o vento e as ondas vieram violentamente. O barco começou a encher-se de água e Jesus estava dormindo. Os discípulos vivenciando uma tragédia O acorda e diz: “Mestre! Nós vamos morrer! O senhor não se importa com isso?”

Jesus para demonstrar que realmente se importava, despertou e disse ao mar: “…Silêncio! Fique quieto! O vento parou, e tudo ficou calmo.” E depois Ele fez uma pergunta crucial aos seus discípulos: Por que é que vocês são assim tão medrosos? Vocês ainda não têm fé?” (Marcos 4.39,40)

Sim, Jesus se importou com a segurança de seus discípulos, mas ao mesmo tempo os confrontou em relação a fé deles no cuidado providencial de Deus.

A verdade é que se Jesus está no barco, mesmo que dormindo, não há nada a temer. O barco NUNCA irá afundar. Ninguém irá morrer.

Pode ser que as tempestades da vida estejam batendo com força no barco da sua vida. Talvez haja uma forte tempestade em sua saúde, seu emprego, seu casamento, seus filhos, sua dignidade, seus recursos etc.

A pergunta básica é: Jesus está no barco do seu viver? Se há um forte e sonoro “sim”, então você não precisa temer nada. Ele ainda é autoridade sobre tudo e acalma tudo o que quiser e quando quiser.

Encare todas as tempestades da vida como oportunidade de fé. Deus planejou usar aqueles homens para Sua glória no futuro; nada poderia acontecer a Eles naquele momento.

Suas tempestades não estão fora do controle soberano de Deus. Ele sabe tudo. Ele vê tudo. Mas Ele também lhe faz uma pergunta: você crê ou não que eu importo com sua vida? É sua fé nEle que faz a diferença quando os medos chegam.

Em Hebreus 13.5 temos uma grande promessa: “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei.” Deus está sempre perto. Ele não te deixa e não te abandona. Por isso, descanse e confie! Deus realmente se importa. Ele tem um plano perfeito e quer lhe usar.

Assim, se as tempestades e medos baterem na porta de sua vida, mande a fé atender.

Tenha um bom dia!

PRECISO DE PAZ

PRECISO DE PAZ

Vivemos num mundo onde o grau de estresse, frustração e ansiedade é tão grande que nossa alma clama desesperadamente por paz.

Nosso dia a dia quase sempre tem sido marcado por circunstâncias incontroláveis, pessoas difíceis e problemas que aparecem sem dar explicações. Por vezes esquecemos que não temos o controle de nada; não podemos mudar ninguém e nem conseguimos ver a vida com um “final feliz”. Tudo nos faz perder a paz.

Com a falta de paz, queremos paz. Assim decidimos por tê-la a qualquer custo e comummente a buscamos em lugares errado. Alguns tentam achá-la afundando-se no trabalho, no dinheiro, no consumo de drogas, em mais um relacionamento amoroso; outros se debruçam na religião ou em diversos rituais; e outros ainda a buscam em qualquer outra coisa que prometa alívio.

Deus sabe que paz na vida é uma necessidade real. Um dos nomes de Deus na Bíblia é “Jeová Shalom”. “Shalom significa “paz”. “Jeová Shalom significa “O Senhor é paz”.

Em João 14.27 Jesus diz: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.”

Deus promete dar a paz por meio de Jesus Cristo. Não é algo que se precisa trabalhar e nem implorar para se ter. Ela também não obtida por mérito. A paz é um presente de Deus para os que se entregam e confiam somente em Jesus.

A paz que Deus dá não significa uma vida sem problemas. Antes é uma calma, serenidade, sabedoria e tranquilidade que Ele dá para se enfrentar as lutas do dia a dia sem estresse, agonia, ansiedade ou frustração.

Se você precisa de paz, entregue sua vida totalmente a Jesus e creia pela fé nEle e em suas palavras que diz: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou…”

Quem vem a Jesus não precisa tentar fabricar sua própria paz.

COMO POSSO SER SALVO?

COMO POSSO SER SALVO?

Essa deveria ser a primeira e a principal pergunta da vida. Muita gente gostaria de ter a certeza de que após a morte estará eternamente com Deus.

Quando Jesus estava na cruz um dos ladrões a seu lado fez-lhe um pedido: “…Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino.” (Lucas 23.42)

Observe que ele não pediu a Jesus para parar sua dor; não pediu para que o tirasse da cruz; muito menos pediu que o livrasse da morte. Ele apenas suplicou: “Jesus, lembra-te de mim…”

Por quê ele disse isso? Porque ele estava consciente de seus pecados. Em Lucas 23.41 ele afirma ao outro ladrão: “Nós, na verdade…recebemos o castigo que os nossos atos merecem…” Ele viu a realidade de seu pecado diante de Deus. Ele sabia que sua necessidade mais profunda era a salvação dos seus pecados. Ele cria que apenas e somente Jesus poderia salvá-lo.

O ladrão na cruz não tinha mérito nenhum. Na verdade ele tinha muitos deméritos. Mas ao lhe suplicar pela salvação de sua alma, Jesus respondeu amavelmente: “Em verdade te digo que HOJE estarás comigo no paraíso.” (Lucas 23.43).

A Bíblia diz claramente em Atos 16.31: “Crê no Senhor Jesus e serás salvo”. Quem reconhecer os seus pecados e crer que só Jesus pode perdoá-lo, como fez aquele ladrão, também será salvo e estará com Jesus na eternidade.

A Bíblia também diz em Efésios 2.8,9: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.”

A salvação não é baseada em obras, prática religiosa ou por uma boa ética de vida. Segundo a Bíblia, ninguém ganha a salvação por mérito. O ladrão na cruz não tinha mérito algum.

Se você HOJE confessar seus pecados e depositar sua plena confiança em Jesus Cristo, como fez aquele ladrão, assim como Jesus garantiu a ele a certeza de que estaria no céus, essa será a mesma garantia a você.

Hoje também pode ser o dia da sua salvação. Venha a Jesus como você está e Ele o receberá.

OUÇA MAIS

OUÇA MAIS!

Sabemos muito pouco sobre a importância do “ouvir.” Mas infelizmente temos sido “expert” no “falar”.

Queremos falar. Queremos contar o que somos, o que temos feito, como temos feito e o que nos tornamos.

Ouvir é um dos maiores desafios da vida. A Bíblia nos diz Tiago 1.19: “Todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar” (Tg 1:19).

Grandes atritos e frustrações nos relacionamentos diminuiriam absurdamente se nos envolvessemos melhor na arte do ouvir.

Assim sendo, aprenda a ouvir. Ouça com os olhos e ouça com o corpo. 80% da comunicação é não verbal.

Seja simpático e ouça com o coração. Procure entender as emoções por trás das palavras.

Tire tempo para ouvir as pessoas a seu redor. Empreste a elas seu ombro e seus ouvidos. Você pode ser um grande instrumento de Deus para curar vidas.

Muita gente hoje poderia ser transformada pela simples ação de ser ouvida. Por isso, ouça mais!

PRECIPITAÇÃO

PRECIPITAÇÃO…

Usamos um provérbio comum, “não meta os pés pelas mãos”, ou seja, não se precipite. Precipitação é o ato de fazer algo antes do tempo determinado; é antecipar as coisas.

A natureza humana é impaciente. A impaciência produz ansiedade; a ansiedade produz pressa; a pressa produz atropelo; atropelo produz decisões erradas; decisões erradas estragam a vida.

Há muita gente que se apressa demais, age impensadamente e colhe resultados amargos e irreversíveis.

Há um grupo de pessoas na Bíblia que por causa da precipitação afundaram suas vidas e a de outras.

1. Sara se precipitou porque gerenciou o problema do seu jeito. (Gênesis 16.2)

2. Moisés se precipitou porque resolveu fazer justiça com as próprias mãos. (Êxodo 2.11-14)

3. Jonas se precipitou tomando a decisão de fugir quando era para ir. (Jonas 1.3)

4. Pedro se precipitou ao se deixar levar pelo seu ímpeto emocional – (João 18:10)

A Bíblia continua ensinando: “Não é bom ter zelo sem conhecimento, nem ser precipitado e perder o caminho. É a insensatez do homem que arruína a sua vida,” – (Provérbios 19.2,3). Em Eclesiastes 3.1 lemos: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.”

Em mãos desses princípios, ore mais, pense mais, demore mais, caminhe mais, reflita mais e aconselhe-se mais. O bom pode estar mais perto que você pensa, mas talvez seja necessário esperar um pouco mais.

Aprenda a depositar suas angustias, urgências e temores diante do Senhor. Ele sabe o tempo certo de todas as coisas e nunca está atrasado. O Seu tempo e sua vontade são sempre perfeito.

Decida esperar o tempo de Deus e fuja da precipitação.

O “VIRUS” DA AUTOCONFIANÇA

O “VIRUS” DA AUTOCONFIANÇA

“Sansão…se levantou e pensou: “Eu me livrarei como sempre.” (Juízes 16.20)

Nos capítulos 13 a 16 de Juízes temos a história de Sansão. Separado por Deus desde o ventre materno para ser um nazireu (Números 6) e um juiz em Israel, desde a sua juventude foi se afastando de Deus e dependendo cada vez mais de sua força física e de si mesmo. Um dia, no ápice de sua autoconfiança, foi enganado por seu próprio pecado e envolveu-se amorosamente com Dalila. Isso lhe custou os dois olhos e por fim a própria vida.

Por vezes agimos como Sansão. Cremos que estamos imunes a qualquer tentação ou sedução do pecado e deixamos nos levar pelo “vírus” da autoconfiança.

Acreditamos piamente que somos fortes o suficiente e extremamente capazes para manter “tudo sob o controle.”; cremos que podemos dominar a nós mesmos e estabelecer os próprios limites de segurança.

A autoconfiança nos ilude e nos faz sermos ousados e abusados. Quando estamos autoconfiantes fazemos coisas que nos leva a desconhecermos a nós mesmos.

Não podemos nos deixar enganar como Sansão. Sua vida nos ensina que a autoconfiança nos levará a queda, a culpa, ao desespero e a uma angústia profunda. O preço da autoconfiança é muito alto.

No final de sua vida, quando estava cego, sem nenhuma esperança, entregue totalmente nas mãos dos filisteus, Sansão ora a Deus dizendo: “… Ó SENHOR, meu Deus, peço que lembres de mim.” (Juízes 16.28). Ao buscar a Deus, Sansão é ouvido. Tudo teria sido diferente em sua vida se tivesse aprendido a render a Deus sua vontade e manter-se totalmente dependente dEle.

Assim, troque sua autoconfiança pela dependência de Deus. Aprenda a colocar todos seus anseios, desejos e necessidades em Suas mãos; aprenda a esperar nEle.

Quando você se sente seguro demais, sábio demais, inteligente demais, convencido demais, achando que é capaz de manter tudo sob o controle, pode ter certeza que a queda e o desastre estará muito mais perto do que você imagina.

“Vacine-se” contra o “virus” da autoconfiança. Aplique em sua vida os princípios de Provérbios 3.5,6: “Confia no SENHOR de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas vereda.”