CONFIE CERTO

Confiar de forma certa é um grande desafio, especialmente quando os problemas dificuldades e crises chegam. Quando os desafios da vida chegam somos tendentes a confiar de forma errada.

Por exemplo, somos prontos a confiar de forma errada em nós mesmos e em nossas capacidades. Ainda que Davi fosse um exímio guerreiro e soubesse lidar muito bem com suas armas, ele não confiou em sua própria habilidade. Ele diz no Salmo 44.6: “Não confio no meu arco, e não é a minha espada que me salva.”

Podemos também errar confiando no homem. Diante da crise podemos confiar erradamente no amigo, no parente, no colega, nos governantes, no profissional, no líder espiritual, ou e outros. Mas o Salmo 146.3 nos ensina: “Não confieis em príncipes, nem nos filhos dos homens, em quem não há salvação.” Em Jeremias 17.5 somos exortados: “…Maldito o homem que confia no homem, faz da carne mortal o seu braço e aparta o seu coração do SENHOR!”

Como então confiar de forma certa? A Bíblia nos convoca a confiar somente em Deus. O Salmo 40.4 somos ensinados: “Bem-aventurado o homem que põe no SENHOR a sua confiança…” O Salmo 22.4,5 declara: “Nossos pais confiaram em Ti; confiaram, e os livraste. A Ti clamaram e se livraram; confiaram em Ti e não foram confundidos.”

Quando sua vida começa a abalar, e a ansiedade e o medo chegam, agarre-se em Deus; confie só nEle. Você acerta na vida quando confia em Deus. Nele você terá a segurança, alegria e força para enfrentar qualquer desafio que esteja à frente. Faça do Salmo 56.3 seu lema de vida: “Em me vindo o temor, hei de confiar em Ti.”

Agostinho sabiamente afirmou: “Confie seu passado à misericórdia de Deus, o seu presente ao amor de Deus e seu futuro à providência de Deus.”

Confie certo! Confie em Deus!

O CRISTO QUE TRANSFORMA

A Bíblia claramente afirma que uma pessoa não é salva de seus pecados por causa de boas obras, práticas de ritos, dogmas, fervor ou por qualquer outra prática religiosa. A salvação está somente e unicamente na pessoa de Cristo. Pedro afirmou categoricamente em Atos 4.12: “E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos.”

Jesus é Deus que se tornou homem para nos salvar. Ele, sem pecado, deu Sua vida na cruz do calvário para pagar o preço pelo pecado, sendo Ele mesmo a expiação substitutiva e suficiente para a justificação e reconciliação de qualquer pessoa com Deus, o Pai. Ele se tornou o único mediador entre o homem e Deus. Paulo declarou solenemente em 1 Timóteo 2.5: “Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus.”

O “evangelho” é a simples e a pura mensagem de “boas novas”, de que todos os pecadores estão condenados eternamente, mas aqueles que se achegarem a Deus reconhecendo e se arrependendo de seus pecados, crendo na Pessoa e na obra substitutiva de Cristo na cruz, serão eternamente salvos. Jesus afirmou em João 3.17,18: “Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que este fosse salvo por meio dele. Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, por não crer no nome do Filho Unigênito de Deus.”

Cristo é suficiente e exclusivo para a sua salvação.

Deus espera que você deposite sua fé somente em Jesus, tendo a mesma atitude de Paulo em Filipenses 3.9: “…ser achado nEle (Jesus), não tendo justiça própria, que procede de lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé.”

Jesus é o único Salvador. Ele é o Cristo que transforma.

A VERDADE QUE TRANSFORMA

Em João 17.17, Jesus orou ao Pai dizendo: “Santifica-os na verdade; a Tua Palavra é a verdade.”

Esse é um grande versículo da Bíblia. O conteúdo dessa oração contém três componentes básicos.

O primeiro é, “santifica-os”. O que significa um processo de transformação para Deus e do jeito de Deus. É como se Jesus estivesse dizendo: “Pai, mude-os!”

A segunda é a “verdade”. A verdadeira transformação foi e será pela “verdade” de Deus. Onde a verdade se encontra? O Salmista afirmou no Salmo 119.151: “…todos os teus mandamentos são verdade.”

O terceiro componente é, a “Palavra”. Jesus não deixa dúvida que a verdade transformadora e significativa vem da boca de Deus. Ela é que transforma e muda. A Palavra de Deus é absoluta, autoritária e verdadeira.

Não há outra fonte de transformação a não ser pela Palavra de Deus; caso houvesse, Jesus teria falado. A verdade da Palavra de Deus é que realmente muda e transforma poderosamente qualquer pessoa.

A Palavra de Deus é viva, poderosa, permanente, verdadeira e confiável. O salmista declarou no Salmo 119.160: “As tuas palavras são em tudo verdade desde o princípio, e cada um dos teus justos juízos dura para sempre.” Jesus mesmo afirmou em Lucas 21.33: “Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão.”

A Bíblia é o maior e o melhor livro que já foi escrito porque Deus é o seu único autor. Ele a preservou e a promoveu. Nesse livro não falta nada!

Assim, coloque Sua confiança nas verdades da Palavra de Deus. Leia, estude, medite, memorize e a ouça . Faça dela sua companheira diária. O Espírito Santo lhe levará ao conhecimento de Deus por meio de Jesus através da Palavra de Deus.

A Bíblia contém, e é, a verdade que transforma.

ADMINISTRANDO O SUCESSO

Provérbios 27.21 afirma: “O crisol é para a prata e o forno é para o ouro, mas o que prova o homem são os elogios que recebe.”

Comumente pessoas caem em ruína, não porque passam por dores ou sofrimentos, mas porque se deixam dominar pelo sucesso. Uma estrela da música ou do cinema, um atleta, um grande empresário, um político, pseudos pregadores do nosso tempo e tantos outros, podem conseguir o sucesso, mas se o sucesso as possuírem, elas se tornarão arrogantes e vaidosas. Mais pessoas se perderam no sucesso do que nos sofrimentos.

O maior perigo na administração do sucesso é o poder que ele tem de afastar os bem-sucedidos de Deus. Davi reconheceu isso ao dizer no Salmo 62.10: “…se as vossas riquezas prosperam, não ponhais nelas o coração.”  Os bem-sucedidos são tendentes a se esquecerem de Deus quando tudo lhes está indo bem. Eles são enganados pela auto suficiência.

Deus nos prova e nos experimenta com o sucesso. Não necessariamente num grande sucesso, porque segundo a Bíblia, até um pequeno elogio torna-se um sucesso e um teste. Alguém disse que o elogio é semelhante ao chiclete; você pode mastigá-lo, mas não deve engoli-lo. O elogio pode ser muito prejudicial.

Como você lida com um elogio? Como você lida com seu crescimento financeiro e pessoal? Como você lida com sua imagem? Qual tem sido sua atitude para com Deus diante de algum sucesso em sua vida?

É tão fácil se esquecer de Deus quando o sucesso chega à sua porta. Contudo é preciso administrá-lo com um coração humilde e grato a Deus. O seu aparente sucesso na vida sem Deus pode lhe levar a algum lugar, mas sem Ele, o sucesso ficará sem propósito e sem utilidade.

Administre o sucesso vindo de Deus para a glória dEle.

COMO POSSO SER SALVO?

Fazemos muitas perguntas e por vezes não fazemos a mais importante de todas elas: “Onde passarei a eternidade depois que minha vida terminar nesse mundo?”. “Como posso ser salvo?”. Essa é a pergunta mais importante. Por quê?

Porque o próprio Senhor Jesus afirmou em Marcos 8.36: “Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” A alma de todos corre risco; é preciso que ela seja salva. Mas como?

A Bíblia deixa claro que a alma de todo ser humano está perdida espiritualmente porque todos são pecadores. Romanos 3.23 diz: “Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus.” Porque todos pecaram, a consequência visível é a morte física. Romanos 6.23 diz: “Porque o salário do pecado é a morte…”

Enquanto a consequência visível do pecado é a morte física, ela não é o único tipo de morte. Há a morte eterna. Enquanto a morte física separa a alma do corpo; a morte eterna separa a pessoa eternamente de Deus. Foi Jesus mesmo que afirmou em Mateus 25.46: “E irão estes para o castigo eterno, porém os justos, para a vida eterna.”

Se o pecado é o que conduz a morte física e eterna, como então alguém pode ser salvo eternamente do pecado?

O pecado conduz a uma justa penalidade. O homem não pode pagá-la. Por Sua graça, bondade, amor e misericórdia Deus decidiu pagá-la. Então Deus tornou-se um ser humano. O Deus Jesus se tornou um ser humano. Deus veio até nós. Jesus veio a esse mundo.

Jesus veio a esse mundo e voluntariamente se entregou na cruz do calvário como o sacrifício pelo pecado. Na cruz Ele recebeu a ira de Deus, expiou e pagou o preço do pecado. Sobre isso 1 João 2.2 afirma: “…Ele (Jesus) é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro.”

Jesus morreu, mas não ficou morto. Ele ressuscitou; ele voltou dos mortos ao terceiro dia. Sua ressurreição demonstrou que a Sua morte foi realmente o sacrifício aceitável, perfeito e suficiente para o pecado. Ele é o único Salvador e Senhor autorizado pelo Pai.

Em Atos 16.30 um certo homem perguntou a Paulo e Silas: “Senhores, que me é necessário fazer para me salvar?” Paulo e Silas responderam no versículo 31: “Crê no Senhor Jesus e serás salvo.”

Assim, para que você seja salvo é necessário que você reconheça seus pecados diante de Deus; se arrependa deles; creia na Pessoa e na obra de Jesus na cruz por você. E ao fazer isso, Deus lhe concede e lhe garante a vida eterna.

Você pode ser salvo eternamente hoje e agora. Sua parte é apenas receber, em fé, a salvação que Deus oferece em Jesus.

INTIMIDADE COM DEUS

Intimidade é a experiência de conhecer e ser conhecido por alguém. Dentre os vários componentes para a intimidade, o principal é a confiança. Quando se confia há aproximação. Não se pode ser íntimo de alguém se não há confiança. A confiança é o coração da intimidade.

A Bíblia nos mostra que Deus é íntimo com aqueles que se achegam a Ele e nEle confiam. O Salmo 25.14 afirma: “A intimidade do SENHOR é para os que o temem…” O Salmo 73.28 declara: “Quanto a mim, bom é estar junto a Deus…” Quanto mais confiamos em Deus, mais intimamente o conhecemos.

Agora, o acúmulo de conhecimento de Deus não produz intimidade com Ele. Somos gratos pelos recursos cristãos como bons livros, artigos, sermões, ensinos, entrevistas, filmes, músicas, documentários etc. Mas nada disso produz intimidade com Deus. O conhecimento bíblico que não conduz à confiança em Deus, produz orgulho.

Tiago 4.8 afirma: “Aproximem-se de Deus, e ele se aproximará de vocês!…” Em Gênesis 5.22 Enoque fez isso. O texto diz que “Enoque andou com Deus…” Isso significa que Ele fazia de Deus o centro, o alvo, o foco, o propósito, o significado, o tema, o tudo de sua vida. Ele confiava em Deus e se achegava a Ele. Enoque era íntimo com Deus.

A intimidade com Deus está sempre disponível e acessível a você. Quando Deus vê que você se aproxima dEle e confia plenamente nEle e em Suas promessas, Ele se manifesta a você.

Deus lhe convida para que você desfrute de uma comunhão íntima com Ele. A porta para essa intimidade começa em Jesus. Ele mesmo diz em João 14.6: “…ninguém vem ao Pai, senão por mim.”

Intimidade com Deus significa confiar nEle, desejar estar com Ele, centrar-se nEle, e fazer dEle o melhor e maior amigo.

DESEJOS ALINHADOS

Somos uma fábrica de desejos. Desejamos conforto, cura, paz, apoio, segurança, provisão, etc. Esses não são desejos errados; são apenas desejos humanos. O nosso problema não são os nossos desejos. O problema é quando eles nos dominam e buscamos satisfazer a cada um deles desconsiderando o que Deus quer e diz.

Um exemplo de tudo isso está em Gênesis 3. No versículo 5 Satanás diz a Eva: “Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal.”

Satanás ataca astutamente Eva. Ele a influencia de forma mentirosa por meio da lógica, fazendo-a questionar não só o mandamento dado por Deus (Gn 2.15-17), mas também o Seu caráter.

Ao enfraquecer o caráter de Deus, Satanás redireciona o desejo de Eva para a desobediência. Porque se Deus não é confiável, então não é necessário obedecê-lo; não é necessário acreditar que Ele é bom e amoroso.

Assim, Eva inicia o processo de seguir seus desejos e abandonar sua fé. Ela já não vê mais a árvore na perspectiva de Deus. O seu paradigma inicial foi mudado. Seus desejos agora a dominam, e sua fé em Deus é desmoronada.

Independente de Satanás e das decisões de Eva, Deus continua sendo bom e confiável. Devido ao seu grande amor, Ele põe em pratica um plano eterno, e envia ao mundo seu amado filho Jesus Cristo. No plano Ele morreria numa cruz e pagaria o preço pelo pecado. Os que nEle crerem teriam o retorno a Deus e a vida eterna.

Quando seus desejos estão desalinhados com os de Deus, sua vida se desestrutura. Mas se eles estiverem depositados em Deus, sua vida ganha direção, paz, satisfação, tranquilidade, significado e propósito, independente das circunstâncias.

Por isso, alinhe seus desejos e confie plenamente em Deus.

ONDE VOCÊ SE ENCONTRA?

A desilusão paira no ar. A sociedade está insegura, insatisfeita, desnorteada, perdida pela ausência de valores morais, etc.; a situação beira ao caos; há uma crise no ar.

Enquanto o quadro social é difícil, ainda não são poucos os que lidam com a realidade de suas próprias vidas. Alguns dizem: “minha vida está vazia; está chata”’, “algo parece estar faltando; deve haver algo mais do que isso”. Parece sempre haver uma incansável busca existencial.

O problema é que se busca soluções em algo ou alguém errado. A questão é que nada e ninguém podem responder e suprir as profundas necessidades da alma. A segurança, esperança, satisfação, alegria, realização, paz, a razão de viver, etc., não se encontram em si mesmo, na religião, nas pessoas, nos bens ou nas circunstâncias da vida.

Salomão, escreveu em Eclesiastes 3.11: “Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem…” Salomão ensina que Deus colocou desejos em seu coração por coisas eternas e espirituais. Suas inquietações só podem ser somente satisfeitas nEle. Agostinho observou: “Fizeste-nos para Ti e o nosso coração não está tranquilo até que descanse em Ti.”

Tentar satisfazer as necessidades mais profundas de sua alma com realidades externas, é perder esforço, expectativa e tempo. Em qualquer crise de sua vida a resposta não está em você, nas pessoas ou nas circunstâncias. Onde está a resposta?

A resposta final para a crise da alma, da vida, da sociedade e do país encontra-se em Jesus Cristo. Ele afirma em João 10.10: “…Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância…” Jesus se apresenta como a solução para sua crise. Tudo que o que você procura está em Jesus.

Responda: Onde você se encontra hoje? Em crise ou em Cristo?

UM MAPA PARA A ORACÃO

Por vezes não sabemos como começar e manter a nossa oração. Davi no Salmo 25.16-21 nos apresenta um mapa com os principais aspectos importantes de uma oração.

1 – SEJA HONESTO

No versículo 16, Davi abriu o seu coração para Deus: “Volta-te para mim e tem compaixão, porque estou sozinho e aflito.” A exemplo de Davi, faça o mesmo. Abra-se para Deus. Seja honesto e conte a Ele todos os segredos do seu coração.

2 – SEJA ESPECÍFICO

Davi foi específico em sua oração ao dizer nos versículos 17, 19: “Alivia-me as tribulações do coração; tira-me das minhas angústias…. Considera os meus inimigos, pois são muitos e me abominam com ódio cruel.” Diga você também a Deus o que deseja. Seja específico!Diga a Ele o que você realmente quer.

3 – CONFESSE SEUS PECADOS

Davi confessou seus pecados. Ele diz no versículo 18: “…perdoa todos os meus pecados.” A confissão faz parte da vida de oração. Quando você reconhece seus pecados, sua via de comunicação com Deus tornar-se aberta. O pecado impede o fluir natural da oração.

4 – EXPRESSE SUA FÉ

Davi expressa sua fé ao dizer no versículo 20: “Guarda-me a alma e livra-me; não seja eu envergonhado, pois em ti me refugio.” Davi estava convicto de que a palavra final em sua vida não eram seus problemas e nem seus inimigos, mas Deus. Não adianta você saber de Deus, você precisa de uma forma prática afirmar sua fé nEle quando estiver orando.

5 – COMPROMETA-SE COM DEUS

Davi no versículo 21 se compromete com Deus, dizendo: “Preservem-me a sinceridade e a retidão, porque em ti espero.” Assim, você também deve se comprometer com Deus fazendo sempre o que é certo e justo, enquanto espera pela ação de Deus em sua vida.

Devemos orar; devemos aprender a orar, porque como A. B. Simpson diz: “A oração é o elo que nos conecta com Deus.”

O PROBLEMA DO PECADO

No Salmo 25.7 Davi orou ao Senhor dizendo: “Não te lembres dos meus pecados da mocidade, nem das minhas transgressões. Lembra-te de mim, segundo a tua misericórdia, por causa da tua bondade, ó SENHOR.”

Na primeira parte do texto, Davi faz uma humilde oração a Deus. Ele diz: “Não te lembres dos meus pecados da mocidade, nem das minhas transgressões…” Davi tem uma visão nítida da santidade de Deus. Ele sabe que seu pecado O ofende.

Ao pedir que Deus não se lembre de seus pecados na juventude, Davi reconhece que suas atitudes quando jovem foram tolas e arrogantes. É como se ele dissesse a Deus: “Senhor, perdoe-me por minha imaturidade e ignorância. Eu fiz escolhas erradas, pensando que sabia o que era melhor para mim”.

Davi também diz: “Não te lembres… das minhas transgressões…” Algumas traduções dizem “meus caminhos rebeldes”. Isso significa que Davi diz que houve um tempo em que ele sabia o que era certo aos olhos de Deus, mas voluntariamente escolheu o que era errado; escolheu pecar.

As atitudes da vida sempre precisam ser encaradas na perspectiva do Santo Deus. É preciso seriedade no tratamento dos pensamentos, palavras e procedimentos. É preciso parar e refletir se a vida está realmente agradando a Deus.

Davi termina o texto pedindo ao Senhor que se lembre dele “…segundo a tua misericórdia, por causa da tua bondade…” Ele está ciente de que Deus em sua graça, amor, misericórdia e bondade pode perdoá-lo e lhe transformar profundamente.

A misericórdia e a bondade de Deus serão percebidas e valorizadas em sua vida quando você enxergar seriamente os seus pecados diante da realidade de que Deus é santo e abomina o pecado. Por isso, trate com seriedade cada pecado cometido contra Ele.

O pecado é o problema. A solução está no arrependimento e confissão.