O QUE É SER UM “CRISTÃO”?

O  QUE É SER UM “CRISTÃO”?

Cristãos, não-cristãos e cristãos nominais são marcados pelas diferenças.

Suas crenças, estilo de vida, a visão do mundo, das pessoas, dos padrões sociais, pensamentos, desejos, interesses, os conceitos de Deus, do presente e do futuro, ações e reações são antagônicos e irreconciliáveis.

Os cristãos seguem a Bíblia como a Palavra de Deus. Eles a leem , estudam, memorizam, pregam e ensinam-na. Para eles ela é sem erro, única e autoridade máxima sobre assuntos diversos, sendo a norma da prática de vida.

Os cristãos não abandonam as verdades da Bíblia por causa da relevância do homem, da mudança cultural ou da “evolução social”.

Os cristãos creem em Jesus como o Senhor e Salvador. Eles não colocam outra pessoa como mediador entre Deus e o homem. É só Jesus! Ele é Deus que se tornou homem, viveu uma vida sem pecado, e pagou na cruz o preço pelo pecado. Ressuscitou dos mortos, subiu aos céus e voltará.

Os cristãos creem no arrependimento dos pecados, porque entendem que são pecadores perante de Deus e reconhecem que nada pode purificá-los senão o próprio Deus. E Ele o faz a todos os que se achegam a Ele nos méritos de Jesus.

Os cristãos estão conscientes de que não são melhores que ninguém. Eles são mendigos que acharam o pão e querem levar a outros mendigos para que tenham sua fome espiritual saciada.

Os cristãos reconhecem que por terem sidos alcançados por Jesus, sentem a responsabilidade de dizer e proclamar a outros quem é Ele e o que Ele faz.

Assim, ser cristão não significa pertencer a cristandade. Antes é decidir viver a vida de Jesus e assumir ser diferente. É ser “sal da terra” e “luz” do mundo (Mt 5.14,16)

Você é realmente um seguidor de Jesus. Você é um verdadeiro cristão?

Anúncios

DESVENDENDO O MITO DO “CRESCIMENTO ESPIRITUAL”

DESVENDENDO O MITO DO CRESCIMENTO ESPIRITUAL

ONDE VOCÊ ESTÁ? ONDE A IGREJA ESTÁ?

Por Roberto N. Amorim

Fazer uma análise da espiritualidade pessoal e da igreja não é algo fácil. A realidade é que muitos estão apáticos espiritualmente. De forma passiva frequentam a igreja – as vezes por anos – com pouca ou nenhuma força em sua jornada espiritual.

Há uma tendência universal de pensamento que “crescimento espiritual” tem haver com algo que se faz, como faz e quanto faz.

Na igreja a medida seria a quantidade de pessoas, de batismo, de dinheiro, de programas, de pregações, de estudos, de pequenos grupos, de classes etc. A saúde espiritual pessoal e da igreja não pode ser medida por números ou “coisas que estamos fazendo.” Isso precisa ser desmitificado.

Quantas vezes se encanta pelo “quanto” e se deixa de responder a pergunta simples e primeira de Deus: “onde estás”? (Gn 3.9)

Essa é uma pergunta relevante e que centra em Deus. Onde se está pessoalmente no relacionamento com Deus? Onde a igreja está em sua caminhada com o Senhor?

Essa pergunta leva todos na capacidade de mensurar algo. Ela  leva de volta a Deus. Adão errou porque deveria ter dito que se afastou do Senhor e precisava desesperadamente reatar o que em milésimos de segundos havia perdido. É no retorno a Deus que se encontra o verdadeiro “crescimento espiritual.”

Pessoas e igrejas crescem à medida que voltam-se para Deus. “Em Cristo” é uma expressão constantemente usada por Paulo em suas cartas. É no abraçar a verdade que estamos “em Cristo” e vivendo “em Cristo” que tudo muda no quadro espiritual.

A análise do crescimento espiritual que volta no retorno e foco em Deus precisa fazer perguntas certas. Tais como:

1 – Estou voltando-me para Deus todos os dias?

2 – Estou com meu coração centrado em Deus? Penso em Deus? Penso em suas verdades? Busco praticá-las?

3 – Quanto entendo e vivo a pessoa de Jesus?

4 – Estou ciente de que “em Cristo” há a verdadeira vida e estou atento aos “ladrões” diários dessa vida?

5 – Onde espiritualmente estou hoje?

Crescer espiritualmente é “crescer em Cristo”. Quando se estabelece um relacionamento com Jesus, confia-se somente nEle para salvação eterna, o próximo passo é estar, manter e relacionar com Ele.

É perto de Cristo – momento a momento –  que as pessoas e igrejas aprendem a depender dEle, viver dEle e com Ele. É nessa convivência diária – que Jesus chama de “permanecer” em João 15 – que o cristão recebe ajuda, orientação e força para lidar com a vida.

Crescimento espiritual foca centrar a vida em Cristo. Isso inclui a entrega do dia a dia, das decisões, das expectativas, da vontade, do interesse, dos anseios e da agenda. Centrar em Cristo significa entregar, render  e submeter totalmente a Ele.

Crescimento espiritual centrado em Cristo precisa passar por três níveis básicos:

01 – Conhecimento das doutrinas básica da fé.

Seguir a Cristo inclui entender o que Jesus entendia a partir da Palavra. As atitudes de pessoas são dirigidas por suas crenças. A crença cristã inclui entender as verdades da fé expostas na Palavra. É necessário um fundamento da fé.

É preciso compreender o que a Bíblia diz sobre Deus, Jesus, o Espírito Santo, a criação, os anjos, o diabo, os demônios, o pecado, a salvação, a santificação, a Palavra, a igreja, o futuro etc. Esses são conceitos que a igreja deve oferecer de forma curricular para a vida de sua membresia. É aqui que a base e o fundamento da fé é lançado.

São nas verdades de Deus que a fé é pavimentada. Por meio dela a vida estará preparada para decisões no padrão de Deus.

02 –  A vida devocional diária

Vida devocional diária inclui retirar-se em um tempo específico, num local específico, com materiais específicos, com um objetivo específico. Isso significa manter regularmente um tempo e local para ler, estudar, meditar e memorizar na Palavra de Deus. É um tempo de registrar o que Deus fala por meio de Sua Palavra. É um tempo para colocar o coração na presença de Deus. É tempo para louvar, confessar, pedir, suplicar e agradecer.

Vida devocional singnifica: “alimentar por si mesmo”. Não há crescimento espiritual quando pessoas dependem de culto, do pastor, do aconselhamento, do pequeno grupo, das conferências, seminários etc. É preciso ter um tempo diário para alimentar-se. É nesse tempo que Deus fala.

Vida devocional diária e regular inclui disciplina, hábito e constância.  É nesse tempo que a paixão por Deus é renovada; o amor por Deus é nutrido; a satisfação por Deus é estimulada. Tempo com Deus não pode ser substituído por nada.

03 – Ser e render-se a Cristo.

Quando se internaliza as verdade da fé e se tem um tempo exclusivo com Deus, a vida espiritual surge de forma forte e vigorosa. A “cor de Cristo” começa aparecer na “pele espiritual”.

Pessoas que sabem no que crê e mantém uma vida regular com o Senhor, tornam-se parecidos com Cristo e por isso são verdadeiros adoradores, evangelista, amantes de pessoas e servos.

É triste ver quantas igrejas tentam provocar adoração, serviço, evangelismo e relacionamento com pessoas na força de programas e atividades.

O resultado final de alguém centrado em Cristo é que ele se tornará como Cristo e fará as coisas que Cristo fez.

O chamado em Cristo é ser sempre ser como Cristo. A pessoa nesse nível passa a reproduzir de forma prática aquilo que Cristo é e faz. Há uma compreensão simples do chamado em “amar as pessoas e amar a Deus” e ao mesmo tempo viver a missão dada: “fazer discípulos de todas as nações”.

Nesse nível do “crescimento espiritual” a pessoa está disposta a “dar sua vida por Cristo”. Tudo se torna importante e entendido de uma forma espiritual. Dinheiro, poder, casamento, serviço, oportunidades, poder, entretenimento, sexo, decisões etc, passam pelo crivo único da pessoa de Jesus. Tudo é rendido a Ele. Tudo faz sentido.

Crescimento espiritual é um processo. Ele acontece a um ritmo determinado pelo Espírito Santo usando as circunstâncias de cada um. Contudo, uma vez que se intende os níveis, torna-se mais simples e tangível saber onde se encontra e como o progresso espiritual está se processando.

Assim, fica a pergunta: onde você está espiritualmente? Onde sua igreja está espiritualmente?

LIDANDO COM A IRA

LIDANDO COM A IRA

Por Roberto N. Amorim

A Bíblia diz…

Efésios 4:31-32

“…Longe de vós toda a amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmias, e bem assim toda a malícia. Antes sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus em Cristo vos perdoou.”

Tiago 1:19-20

“Sabeis estas coisas, meus amados irmãos. Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não produz a justiça de Deus.

Ira e amargura são terrivelmente prejudiciais ao amor bíblico, aos relacionamentos harmoniosos e à maturidade em Cristo.

Fracassar em despojar-se da ira e da amargura entristece o Espírito Santo, dá oportunidade a Satanás para agir na sua vida, enfraquece o seu testemunho diante de outros e rompe a unidade no Corpo de Cristo.

Lidar biblicamente com a ira e a amargura requer obediência completa à Palavra de Deus em todas as circunstâncias e com todas as pessoas, ainda que os seus sentimentos ordenem o contrário (baseado em Mateus 5:16; Romanos 14:19; 1 Coríntios 13:4-5; 2 Coríntios 2:10-11, 5:14-15; Gálatas 5:17-26; Efésios 4:1-3, 26-27, 31-32; 6:11; Colossenses 3:8-15; Hebreus 12:15).

Nada pode entrar e sair  de sua boca quando ela está fechada. Um dos maiores problemas da vida é quando abrimos a boca e expressamos nossa ira. Salomão nos ensina em Provérbios 29.11: “O insensato expande toda a sua ira, mas o sábio afinal lha reprime.” Salomão deixa claro que uma pessoa que expressa sua ira é um “insensato”.

A palavra hebraica “kecyl” tem outros sinônimos como “tolo”, “estúpido” “arrogante”. Ninguém gostaria de ter esses nomes, mas é assim que a Bíblia apresenta uma pessoa dominada pela raiva. O segredo, segundo Salomão para lidar com a ira é “reprimi-la” Essa é a atitude de um sábio. O segredo para tratar a ira é “esperar um minuto”, “retardar”, “segurar-se”, “não responder de pronto”, “dar um tempo”. Se a maioria das pessoas parassem para refletir antes de falar, muita desgraça teria sido evitada. A chave principal quando a ira vem é “controlar-se”.

 

O PLANO DE DEUS PARA LIDAR COM A IRA…

1 – Como Deus vê a ira

A ira (grande descontentamento, animosidade) que se desperta ou se expressa rapidamente é característica da velha natureza independente de Jesus Cristo e é contrária às Escrituras (Gálatas 5:19-20; Colossenses 3:8; Tiago 1:19-20).

A amargura relaciona-se à ira e demonstra uma grande insatisfação com a soberania de Deus em sua vida. A amargura surge de uma vida voltada para agradar o eu em vez de agradar ao Senhor (Atos 8:18-23; Romanos 3:10-18, esp. versículo 14) e causa muitos problemas (Hebreus 12:15).

2 – A graça Deus para lidar com a ira

Visto que a Palavra de Deus ordena que você abandone a ira e a amargura (Salmo 37:8; Efésios 4:31; Colossenses 3:8), é possível fazê-lo (1 Coríntios 10:13; Hebreus 2:17-18, 4:15-16).\

Você não precisa defender ou proteger aquilo que você entende ser os seus “direitos” (baseado em Salmos 37:23, 84:11-12; 1 Pedro 2:19-25), porque Deus faz com que todas as coisas cooperem juntamente para o bem daqueles que Lhe pertencem e O amam (Romanos 8:28-29).

COMO VOCÊ DEVE LIDAR COM A IRA…

 

1. Lide seriamente com a ira

Você deve ter domínio próprio (Provérbios 25:28), ser tardio para se irar (Tiago 1:19) e rápido em lidar com a ira (Efésios 4:26-27), despojando-se de toda raiva, amargura, exaltação, dissensão, fala abusiva e contenda.

Você não deve levar em conta as injustiças sofridas (Mateus 5:21-22; 1 Coríntios 13:5; Efésios 4:31; Colossenses 3:8; 1 Timóteo 2:8; Tito 1:7), mas se revestir de paciência, bondade, humildade, tolerâncias para com os outros, compaixão, perdão, amor e domínio próprio (Efésios 4:31-32; Colossenses 3:12-14).

2 – Seja prático em relação a ira

Enumere as circunstâncias ou relacionamentos em que você é (ou foi) tentado a ficar irado ou amargurado (baseado em Provérbios 9:6, 14:16; Mateus 7:1-5; Gálatas 5:16-21).

Formule um plano bíblico para não pecar naquelas determinadas situações e um plano de emergência para lidar com a ira e a amargura que possam surgir rápida e inesperadamente (baseado em Provérbios 28:13; Efésios 4:26-27; 1 Tessalonicenses 5:22; 2 Timóteo 2:15, 22; Tiago 1:19; 1 Pedro 1:13-16).

Confiando no poder e na provisão de Deus (João 15:5; Gálatas 5:24-25; 2 Timóteo 3:16-17), cumpra diligentemente aquilo que você planejou para evitar cair novamente em ira ou amargura (Tiago 1:22-25, 4:17).

Pratique o amor bíblico (Provérbios 10:12; 1 Coríntios 13:4-8a; 1 Pedro 1:22, 4:8; 1 João 4:11) concedendo perdão aos outros assim como Deus o concedeu a você (Marcos 11:25; Efésios 4:32; Colossenses 3:13) e fazendo atos bondosos e compassivos justamente para com aquelas pessoas com as quais você costuma ficar irritado (Efésios 4:32; 1 Pedro 3:8-9).

Fazer as perguntas certas quando a raiva vier podem nortear e ajudar muito:

– Por que estou com raiva? Como a raiva é um sintoma de algo é importante é preciso ver o problema como ele necessita ser visto.

– O que realmente desejo? Sempre há alguma necessidade que não está sendo satisfeita e nem necessariamente precisa ser satisfeita no momento.

– Como posso obter o que desejo? Sem dúvida perder a cabeça, perder a calma, ficar irritado não é a melhor maneira para obter o que quer e não necessariamente precisa se obter.

Você não pode deixar de ficar irado. A ira vem. O que você precisa é controlar a ira. Sua primeira decisão é se dominar. Você precisa segurar seu temperamento, refletir e depois  agir com calma.

Lide com a ira seriamente!