VENCENDO O PECADO — PARTE 2

Para vencer o pecado você precisa usar os recursos de Deus. O primeiro é andar no Espírito Santo e o segundo é habituar-se a ler, meditar e praticar a Palavra de Deus em sua vida.

O terceiro recurso que a Palavra de Deus revela em sua seriedade para vencer o pecado é a oração. Você não vencerá o pecado sem orar. O Senhor Jesus mesmo ordenou em Mateus 26.41: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.”

A oração faz com que você reconheça suas próprias limitações enquanto lhe leva ao inesgotável poder de Deus. A oração faz com que você dependa dEle e busque nEle ajuda para lidar com qualquer tipo de pecado.

O quarto recurso que a Palavra de Deus revela em sua seriedade para vencer o pecado é a comunhão com o povo de Deus, a igreja. Hebreus 10.24 ensina: “Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras.”

Não há lugar para “carreira solo” na vida cristã. Para você vencer seus pecados é preciso de irmãos e irmãs ao seu redor. É algo poderoso para sua vida ter alguém que converse, ore, encoraje, console e lhe repreenda. Todos podemos cair a qualquer momento, mas uma pessoa ou um grupo de prestação de contas pode lhe dar motivação e encorajamento que você precisa para superar o pecado.

Andar no Espírito, aprender e praticar a Palavra Deus, orar e manter comunhão com o povo de Deus, são recursos que progressivamente lhe conduzirão à vitória sobre o pecado e ao crescimento espiritual.

Foque nesses recursos de Deus para vencer o pecado, e Ele mesmo será fiel em purificar, santificar e mudar sua vida, e acima de tudo, lhe usar.

Por Roberto Naves Amorim

——————————

Para ouvir esse conteúdo click no link abaixo:

https://www.spreaker.com/episode/22232324

VENCENDO O PECADO – PARTE 1

1 João 2.1,2 declara: “Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo.”

Deus odeia o pecado e tem recursos para ajudar a todos aqueles que querem seriamente vencer qualquer tipo de pecado. Esses recursos estão revelados em Sua Palavra.

Se você levar a sério cada recurso dado por Deus, gradativamente você vencerá o pecado, tornando-se mais e mais parecido com o Senhor Jesus.

O primeiro recurso que a Palavra de Deus revela em sua seriedade para vencer o pecado é a pessoa do Espírito Santo. Paulo afirmou em Gálatas 5.16: “Digo, porém: andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne.”

Nessa passagem você é ensinado a andar no Espírito, ou seja, você precisa aprender a ceder totalmente ao controle do Espírito em sua vida. Isto significa que você deve escolher seguir a direção do Espírito Santo, ao invés de ser dirigido pelos desejos e paixões pecaminosas de sua carne.

O segundo recurso que a Palavra de Deus revela em sua seriedade para vencer o pecado é a própria Palavra. Paulo afirmou em 2 Timóteo 3.16,17: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.”

Assim, Deus dá a Sua Palavra para que você possa aprender a pensar do jeito dEle, escolhendo por caminhos certos e evitando caminhos errados. Você então precisa habituar-se a ler, meditar seriamente e aplicar a Palavra de Deus nas áreas específicas de sua vida, especialmente aquelas com que luta contra o pecado.

Por Roberto Naves Amorim

—————————

Para ouvir esse conteúdo click no link abaixo:

https://www.spreaker.com/episode/22208955

PREPARE O SEU CORAÇÃO PARA RECEBER A PALAVRA EM CULTO PÚBLICO

Deus valoriza grandemente sua Palavra. Na verdade, tudo começou com ela. Gênesis 1.3 afirma: “Disse Deus…”. O autor de Hebreus interpreta as verdades desse versículo dizendo que “Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem” (Hb11.3).

Deus, ao criar o homem, lhe ordenou claramente que não comesse da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dela comesse, morreria (Gn2.16,17). Isto significava que Adão manteria intimidade com Deus, segurança e vida para sempre se obedecesse àSua voz. Infelizmente, o primeiro casal não ouviu a Deus,mas ouviu a voz de Satanás (Gn 3.1-5). E Deus confrontou o homem por sua desobediência: “Visto que você deu ouvidos à sua mulher e comeu do fruto da árvore da qual eu lhe ordenara que não comesse, maldita é a terra por sua causa…” (3.17). A expressão hebraica “deu ouvidos” advém do verbo hebraico שָׁמַע (shamá). É a mesma palavra para “ouvir”, “escutar”, “obedecer”. Adão ouviu sua mulher ao invés de continuar ouvindo (obedecendo) a Deus.

Assim, entendemos que a voz de Deus é suprema, entretanto desde que o pecado entrou no mundo a tendência de todos não é ouvir a voz do Senhor, mas ouvir a voz de Satanás, do próprio coração, da filosofia e do ensino humano.

O povo de Deus precisa aprender a habituar-se a ouvir a voz de Deus, e a sua voz está em sua Palavra. O Salmo 138.2 afirma: “…pois magnificaste acima de tudo o teu nome e a tua palavra”. Deus valoriza e se revela em Sua Palavra; seus discursos foram inspirados, escritos e preservados num livro chamado pela Bíblia de “Escrituras” (Jo 5.39; 2Tm 3.16) e porque ela revela Deus, ela é verdadeira, confiável e plena de autoridade sobre tudo e todos.

Então, Deus espera que todos  especialmente o seu povo  a valorizem e a ouçam, obedecendo-a. A palavra de Deus precisa urgentemente voltar a ser prioridade na vida pessoal de cada cristão. Ela precisa ser lida, estudada e meditada e acima de tudo, praticada. Os lares precisam se reunir ao redor da Palavra de Deus. Pais e filhos precisam habituar-se a ouvir a voz do Senhor através dasua Palavra. A igreja precisa pregar e ensinar a Palavra. Na vida pessoal, familiar e congressional, a Palavra de Deus precisa ser a prioridade. É necessário viver assim seis dias por semana e juntos uma vez por semana. Ambos são necessários.

A igreja, como a comunidade dos seguidores de Jesus, precisa fazer da Palavra de Deus sua mais alta prioridade e colocar-se sob a autoridade dela. É responsabilidade da igreja pregar e ensinar a Palavra em culto público. Isso implica que pastores, pregadores e líderes devem solenemente cumprir a ordem dada pelo apóstolo Paulo: “Prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina” (2Tm 4.2).

Pregai! Essa foi a ordem dada por Jesus ao comissionar seus discípulos quando disse: “…pregai que está próximo o reino dos céus” (Mt 10.7). Reforçou essa mesma ordem quando de sua ressurreição, antes de voltar aos céus:“…ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Mc 16.15). Pedro, cumpriu cabalmente essa ordem logo no início da igreja, tendo um auditório com judeus e diversas outras nações representadas (At 2). 

Desde o início da igreja, a tônica e o viés apostólicostornaram-se claros e definidos: “…nos dedicaremos à oração e ao ministério da Palavra” (At 6.4). Enquanto na “oração” os apóstolos falavam do povo a Deus, através do “ministério da Palavra” eles falavam de Deus ao povo. Os apóstolos foram inspirados no exemplo de Moisés (Êx 7.2; 18.19), dos profetas (Is 38.4; Jr 2.1; 23.29; Ez 25.1; 30.1), de João Batista (Lc 1.15-17; 3.18) e do próprio Senhor Jesus (Mt 4.4; Mc 1.38; 2.2; 4.33).

Uma das formas poderosas de considerar e honrar a Palavra de Deus em culto público é ouvindo-a atentamente. Isso implica que o povo de Deus deve se preparar para receber a Palavra, e a atitude de cada membro da igreja precisa ser igual ou melhor do que a da multidão descrita em Lucas 5.1, a qual apertava Jesus “..de todos os lados para ouvir a palavra de Deus”.

Um grande exemplo da prática em ouvir a Palavra de Deus no Novo Testamento é a igreja de Bereia. Lucas descreve essa igreja dizendo: “Os bereanos eram mais nobres do que os tessalonicenses, pois receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo” (At 17.11). Isso talvez explique por que Paulo escreveu duas cartas corretivas para a igreja de Tessalônica e nenhuma para a igreja de Bereia.

A Palavra de Deus é a Verdade santificadora, ou seja, ela o afasta do pecado e o traz para Deus e a sua vontade. Jesus mesmo afirmou: “Santifica-os na verdade, a Tua palavra é a verdade” (Jo17.7). Assim, a verdade não é o que outro ou você diz, acha ou pensa. A verdade é o que Deus diz. Essa verdade está revelada nas “Escrituras”. Essa verdade precisa ser ouvida e aplicada atentamente na vida. Tiago exorta solenemente: “Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos” (Tiago 1.22).

Sendo assim, e sabendo que as “Escrituras” são a Palavra, a voz, o querer, o interesse, a norma e a vontade de Deus, e que ela nunca cairá em desuso, disponha-se a chegar em culto público para ouvi-la. Você precisa aprender a treinar seus ouvidos para ouvi-la e seus pés e mãos para praticá-la. Prepare o seu coração na semana orando por você, pelos demais ouvintes e pelo pregador. Ore para que o Senhor capacite o pregador na escolha, na explicação e na aplicação do texto bíblico. Ore quando estiver em culto público, pedindo ao Senhor para que as verdades possam falar ao coração de todos. 

Ouvir a Palavra de Deus é o remédio que pode mudar definitivamente uma sociedade, especialmente a igreja cristã em nossos dias. Em um mundo marcado pelo entretenimento, onde a visão é mais estimulada do que a audição, ouvir torna-se um grande desafio. Contudo, pertinentes são as palavras do Dr. John MacArthur: “A única esperança para esta ou qualquer outra sociedade é ouvir a Palavra do Senhor e obedecer.” (1)

Por Roberto Naves Amorim

(1)https://www.godtube.com/news/25-top-john-macarthur-quotes.html

A REALIDADE DA GUERRA ESPIRITUAL

Paulo afirmou em Efésios 6.11: “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo.”

O que Paulo apresenta nesse texto é a realidade de uma guerra espiritual. Nessa guerra espiritual o inimigo chama-se “diabo”. O termo “diabo” significa “caluniador, difamador e acusador”. O diabo é o arqui-inimigo de Deus e se opõe a tudo o que é dEle. Ele é o autor do pecado e do mal. Ele persegue o homem, alimentando todo tipo de inimizade entre a humanidade e Deus e entre a humanidade e a humanidade. Através de artifícios e truques l, ardilosamente ele induz o homem ao pecado, com o objetivo de afastá-lo do Senhor e por fim destruí-lo.

Paulo também ordena que cada um aja como soldado na guerra espiritual se vestindo de toda “armadura de Deus”, que conforme Efésios 6.13-17 inclui: o “cinto da verdade”, a “couraça da justiça”, as “sandálias do evangelho da paz”, o “escudo da fé”, o “capacete da salvação” e a “espada do Espírito, que é a Palavra de Deus”. É com a “armadura de Deus” que cada soldado dEle poderá ser capaz, apto e competente na batalha, mantendo-se firm

A guerra espiritual é real. Se você pertence a Jesus, Ele lhe dá um equipamento completo e lhe envia para a batalha. Mas o diabo, como uma de suas “ciladas”, pode colorir esse campo de batalha levando-o a pensar que você está em um “piquenique” ou em um “parque de diversão” espiritual, seduzindo-o para que você centre a vida em você mesmo, esperando ele, o tempo certo para lhe atacar e lhe destruir.

Abra seus olhos! Você está numa guerra espiritual.

Por Roberto Naves Amorim

——————————

Para ouvir esse conteúdo click no link abaixo:

https://www.spreaker.com/episode/22133719

A NECESSIDADE DA PRESENÇA DE DEUS

A Bíblia fala da importância da presença de Deus no meio do seu povo. David Wilkerson escreveu: “Um dos maiores exemplos é visto em Moisés. Ele estava convencido de que sem a presença de Deus em sua vida, lhe seria inútil empenhar-se por qualquer coisa. Em Êxodo 33.15, Ele disse ao Senhor: “…Se a tua presença não vai comigo, não nos faça subir deste lugar.” Ele estava dizendo: “Senhor, sem a Tua presença não darei um passo; não irei a lugar algum.”

Moisés estava lidando com uma experiência nova. Ele estava liderando um povo egoísta e cheio de si. Ele os guiava pelo deserto. A situação dele não era fácil. Moisés tinha convicção de que sem a presença de Deus junto a ele, nada poderia ir bem.

A única maneira de você ir adiante em sua vida; enfrentando qualquer desafio ou problema, é ter a convicção da presença do Senhor com você. Sem Ele o fracasso lhe espera, apesar de qualquer esforço seu. O Salmo 127.1,2 afirma: “Se não for o Senhor o construtor da casa, será inútil trabalhar na construção. Se não é o Senhor que vigia a cidade, será inútil a sentinela montar guarda. Será inútil levantar cedo e dormir tarde, trabalhando arduamente por alimento. O Senhor concede o sono àqueles a quem ele ama.”

David Wilkerson também afirmou: “Se você tem a presença de Jesus em sua vida, você experimentará a divina ordem da parte de Deus. Você terá paz, tranquilidade, sem impaciência ou ansiedade, sem precisar correr de um lado a outro para buscar orientação, sem a sensação de que o chão está se abrindo. Você viverá em descanso, sabendo que Deus está no controle de tudo!”

Moisés estava convicto da necessidade da presença de Deus na vida dele. Você tem essa mesma convicção?

Por Roberto Naves Amorim

————————–

Para ouvir esse conteúdo click no link abaixo:

https://www.spreaker.com/episode/22073956

CONTRA UM BRASIL “CRISTOFÓBICO”

O nosso Brasil está cada vez mais “Cristofóbico”. Em um país onde há liberdade de crença, não se pode impor ou tentar impor qualquer religião, ideologia ou filosofia.

“Cristofóbico” não porque há apenas grupos que falam, argumentam, filosofam, “batem boca” e propõe até leis inócuas contra os valores que os cristãos defendem.

“Cristofóbico” porque há hoje uma segregação, discriminação, e nos últimos dias até um ódio expresso que dramatiza, debocha e humilha

cristãos. Há um levante ordenado hoje quanto a tudo o que é de “Cristo”, “cristão” e “cristandade”.

Um verdadeiro cristão não é ingênuo, ele sabe que seguir a Cristo inclui sofrimento e perseguição. Jesus mesmo predisse em Mateus 10.21,22: “Um irmão entregará à morte outro irmão, e o pai, ao filho; filhos haverá que se levantarão contra os progenitores e os matarão. Sereis odiados de todos por causa do meu nome…” Por vezes a perseguição é no nível psicológico, social ou familiar. Mas a perseguição pode incluir até abuso físico e morte violenta como a de Estevão em Atos 7, Tiago em Atos 12 e Paulo e Silas em Atos 16.

Mas qual deve ser a postura de um cristão diante daqueles que sofrem perseguição por sua fé em Cristo? Em Hebreus 13.3 somos ensinados: “Lembrai-vos dos encarcerados, como se presos com eles; dos que sofrem maus tratos, como se, com efeito, vós mesmos em pessoa fôsseis os maltratados.”

“Lembrar” significa: 1) Não viver com a atitude de que “isso não tem nada a ver comigo”; 2) Orar. Orar por proteção, solução, intervenção sobrenatural, sabedoria aos que estão diretamente envolvidos e pelos inimigos como o Senhor Jesus ensinou em Lucas 6.4 – 3) Condenar. Em um país democrático, cada cristão deve usar tudo o que pode para defender e propagar sua fé, principalmente as redes sociais, expondo o repúdio a toda ação “Cristofóbica”.

Como cristãos devemos viver de forma pacífica e pacificadora, amando aos que nos odeiam, orando por eles e fazendo-os bem. Mas também devemos deixar claro que toda “alma é livre” para crer e viver como quer. Contudo devemos sempre combater a dogmatização, a violência, o proselitismo e a falta de respeito a crença.

Por Roberto Naves Amorim

ALÍVIO DOS PESOS DA ALMA

Na Bíblia, Deus sempre se manifesta como o Criador de tudo, o Provedor, o Sustentador e o Benfeitor de seu povo. Ele é o “Pai Celeste” que sabe e supre a seu tempo cada uma das necessidades.

No Salmo 38.9 somos ensinados: “Na tua presença, Senhor, estão os meus desejos todos, e a minha ansiedade não te é oculta.” Em 1 Pedro 5.7 aprendemos: “Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.” Paulo exorta em Filipenses 4.6: “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças.”

Nesses textos Deus nos diz que devemos entregar a Ele tudo; tudo o que possa estar pesando na alma; todos os problemas, inquietações e preocupações. Deus se importa com tudo o que acontece em nossas vidas. Ele não quer que carreguemos o peso de nossos problemas e aflições sozinhos. Devemos aprender a entregar a Ele nossas preocupações ao invés de permitir que elas nos dominem.

Baseados nesses ricos princípios da Palavra de Deus, faça com que sua vida seja mais simples e menos complexa. Aprenda a entregar em oração tudo ao Senhor.

Tudo o que estiver pesando sua alma: todos os seus desejos; todas as situações reais ou imaginárias; tudo o que você está tentando controlar, precisam ser colocados diante do Senhor, esperando dEle o suprimento e a solução.

Se você hoje tem qualquer preocupação, lance-a totalmente sob os cuidados do Senhor. Entregue tudo a Ele. Ore! Entregue tudo e peça que Ele lhe inunde com Sua paz, dando-lhe sabedoria e discernimento para cada situação, cada problema ou cada dificuldade.

Peça ao Senhor que alivie hoje todos os pesos de sua alma.

Por Roberto Naves Amorim

—————————-

Para ouvir esse conteúdo click no link abaixo:

https://www.spreaker.com/episode/21652771

O CUIDADO DE DEUS

O Salmo 68.5,6 afirma que Deus é “Pai para os órfãos e defensor das viúvas é Deus em sua santa habitação. Deus dá um lar aos solitários, liberta os presos para a prosperidade…”

A visão do salmista é que Deus está presente quando da dor do órfão, da viúva, do solitário e dos presos. Deus é apresentado no texto como um pai, um defensor, um provedor e um libertador. Ele cuida e ajuda. O salmista, nas entrelinhas, revela Deus em Seu amor, graça, misericórdia e bondade.

Deus é aquele que providencia estabilidade física, espiritual e emocional. Deus dá um lar aos que precisam e traz liberdade e prosperidade aos que ficam presos às circunstâncias da vida. Deus cuida quando precisamos. Ele supre na mais profunda necessidade. Deus não está distante quando as tribulações emocionais, físicas ou materiais chegam.

Se seus pais nunca lhe deram atenção ou cuidado, deixe que Deus seja o seu verdadeiro pai, dando-lhe tudo o que você precisa emocionalmente.

Se você perdeu seu cônjuge, deixe Deus cuidar de você e de suas necessidades emocionais e físicas. Deixe que Ele lhe ampare.

Se você está longe de casa, sem ninguém para lhe apoiar, amar e cuidar, permita que Deus abra as portas para suas necessidades. Achegue-se a Ele.

Se você está injustamente preso em qualquer situação da vida, faça de Deus o Seu libertador. Deixe que Ele traga a solução que você precisa.

Deus está pronto para fazer por você o que você e nem ninguém podem fazer. Experimente hoje o cuidado de Deus. Lee Roberson afirmou: “…Muitas pessoas creem em Deus, mas confiam em si mesmas e não em Seu cuidado; por isso elas estão tão cheias de preocupação e medo.”

Entregue-se ao Senhor. Confie que Ele está cuidando de você.

Por Roberto Naves Amorim

————————————-

Para ouvir esse conteúdo click no link abaixo:

https://www.spreaker.com/episode/21606362

JESUS CONVIDA

A vida é difícil. No dia a dia nos sentimos cansados, chateados e abatidos. Por vezes na alma se instaura um grande vazio. Parece que em um determinado tempo tudo perde a razão, o significado, o propósito e o valor. No meio das trevas, a alma pede e busca por luz.

Quando Jesus veio ao mundo, o seu povo, os judeus, viviam debaixo de uma forte opressão. Eles politicamente eram oprimidos pelos romanos. Eles espiritualmente eram oprimidos por um grupo religioso que estabeleceu um relacionamento impossível com Deus por meio de regras e ritos. A vida do judeu comum da época de Jesus era debaixo de um insuportável fardo político e espiritual.

No meio das trevas e do vazio de seu próprio povo, O Senhor Jesus faz um convite maravilhoso em Mateus 11.28: “Vinde a mim todos vós que estais cansados e EU vos aliviarei…” O convite de Jesus é de DESCANSO E ALÍVIO.

O mesmo convite que fez ao Seu povo, Ele também faz hoje a cada um de nós. O Senhor Jesus continua a nos propor descanso dos fardos. Fardos do pecado, dos pesos da religião e da filosofia e das dores adquiridas por tentar dirigir a vida do nosso próprio jeito.

Só em Jesus a lágrima é enxugada; a escuridão cede à luz; a aflição cede à paz; a fraqueza cede à força; o ódio cede ao amor; o caos cede à ordem, o pecado cede ao perdão e o desespero cede à esperança.

É a graça de Jesus que faz o “temporal” da vida passar. NEle é que o vazio é preenchido; o significado e a razão da vida são encontrados. NEle a vida ganha brilho eterno; além do aqui e do agora. É nesse simples aceitar o precioso convite de Jesus, “Vinde a mim…” que sua vida ganha rumo, propósito e vida eternal.

Jesus convida: “Vinde a mim…” Você virá?

Por Roberto Naves Amorim

——————————-

Para ouvir esse conteúdo click no link abaixo:

https://www.spreaker.com/episode/21476357

O NOVO NASCIMENTO

O apóstolo João afirmou em 1 João 5.1: “Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido.”

Há dois nascimentos: o natural e o espiritual. O nascimento natural é o resultado em média de 42 semanas de um bebê. Através do parto a criança entra no mundo como ser humano, obtendo o registro de nascimento e todos os direitos e responsabilidades civis.

O nascimento espiritual é advindo do céu. Pessoas nascidas espiritualmente são chamadas na Bíblia de “nascidos de Deus”; “regenerados”. Jesus define o “novo nascimento” em sua conversa com o Rabi Nicodemos em João 3.3, Ele diz: “Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.”

“Novo nascimento” não significa nascer em um lar cristão; pertencer a cristandade; ser religioso; ler a Bíblia e orar; batizar-se; afirmar dogmas; crer em doutrinas conservadoras; “servir” em um ministério ou fazer o que é ético e moralmente correto.

O “novo nascimento” bíblico é uma obra do Espírito de Deus que transforma o pensamento, a vontade, o desejo, os interesses, as intenções e o comportamento. No momento do “novo nascimento” a pessoa se vê diante de Deus; vê seus pecados, sua rebeldia e se arrepende, ganhando dEle uma nova vida.

O “novo nascimento” necessariamente inclui crer unicamente em Jesus como Senhor e Salvador. O “nascido de novo” crê que Jesus morreu para pagar o seu pecado e que ressuscitou para sua justificação. Após “nascer de novo” a pessoa então se interessa em ser e viver como Jesus.

Se essas verdades fazem parte de sua vida, você é “nascido(a) de novo”. Caso não, você precisa urgentemente do “novo nascimento”; o nascimento do alto; o nascimento de Deus.

Por Roberto Naves Amorim

—————————–

Para ouvir esse conteúdo click no link abaixo:

https://www.spreaker.com/episode/21441488