ARREPENDA-SE!

ARREPENDA-SE!

Arrependimento na Bíblia significa “desviar-se”, “retornar” e “mudar de mente”.

Arrependimento na Bíblia é uma profunda revolução espiritual para com Deus; é a mais poderosa mudança no coração que afeta toda a razão, intelecto e emoções, produzindo uma mudança radical de propósito e postura de vida.

Arrependimento na Bíblia é um apelo; é uma chamada para mudança; é uma postura de abandono do pecado de tudo o que desagrada a desonra a Deus.

O verdadeiro arrependimento começa quando se deixa de lado o caminho errado e segue-se o caminho certo. Foi essa a proposta que João Batista fez a elite religiosa de Israel em Mateus 3.8, quando disse: “Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento”.

O verdadeiro arrependimento começa quando a pessoa transpõe o auto-engano; quando se é dominado pela real convicção do pecado; quando se renuncia definitivamente a vida de pecado e tudo o que desonra e ofende a Deus. Essa foi a postura do filho pródigo em Lucas 15.18,20a quando disse: “Levantar-me-ei, e irei ter com o meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e diante de ti…E, levantando-se, foi para seu pai…”

O verdadeiro arrependimento começa quando se está disposto a restituir. O rico publicano Zaqueu, mudou de vida ao dizer a Jesus em Lucas 19.8: “…Senhor, resolvo dar aos pobres a metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais.”

O verdadeiro arrependimento começa quando se discerne a perversidade, a insensatez, a culpa, mas também deseja o perdão, o abandono do pecado e por viver de uma forma que agrada a Deus. É a postura do publicano em Lucas 18.13 que, com medo de sequer olhar para o céu, bateu no peito e gritou: “Deus, sê propício a mim, pecador!”

As palavras em Isaías 55.7 são de confronto, consolo e esperança aos que levam o arrependimento a sério: “Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo, os seus pensamentos; converta-se ao SENHOR, que se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar.”

Assim, o apelo de Deus é: arrependa-se!

AME AO PRÓXIMO!

AME AO PRÓXIMO!

Jesus afirmou em Marcos 12.31: “…Amarás o teu próximo como a ti mesmo…”

Amar é tudo! Se sua fé, ortodoxia, teologia, doutrina, conhecimento, habilidade, capacidade e dom, não o conduz a AMAR pessoas, nada disso serve.

Em 1 João 4.8 o apóstolo diz:
“Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor.”

Tudo o que somos e temos deve convergir para amar pessoas. Essa é a clara demonstração de uma fé viva e vibrante.

Jesus explica como amar ao próximo em Mateus 5.44-48: “Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai celeste, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos. Porque, se amardes os que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem os publicanos também o mesmo? E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os gentios também o mesmo? Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.”

Paulo explica como amar ao próximo em Romanos 13.8-10: “A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei. Pois isto: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, e, se há qualquer outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. O amor não pratica o mal contra o próximo; de sorte que o cumprimento da lei é o amor.”

João explica como amar ao próximo em 1 João 3.16-18: “Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos. Ora, aquele que possuir recursos deste mundo, e vir a seu irmão padecer necessidade, e fechar-lhe o seu coração, como pode permanecer nele o amor de Deus? Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade.”

O que falta agora é você ir e amar ao próximo como acabou de aprender.

O QUE SIGNIFICA “AMAR A DEUS”?

O QUE SIGNIFICA “AMAR A DEUS”?

Um professor da Lei (escriba) achega-se a Jesus em Marcos e faz a seguinte pergunta: “Qual é o principal de todos os mandamentos? (Mc 12.28)

Os mestres da Lei determinaram que haviam 613 mandamentos nos primeiros cinco livros da Lei (Pentateuco ou Torah). Dos 613, 248 eram afirmativos e 365 eram negativos. Essas leis eram divididas entre PESADAS E LEVES. Mas ele nunca chegaram em um consenso de quais leis eram PESADAS E LEVES. Com isso em mente, eles achavam que Jesus havia criado sua própria teoria em relação aos mandamentos.

Ao perguntarem, eles estavam testando a Jesus para ver se ele iria mostrar desprezo ou negligência pela Lei de Moisés afim de incriminá-lo.

Jesus então responde em : “Respondeu Jesus: O principal é: Ouve, ó Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor! Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força.” (Mc 12.29,30)

Jesus cita o famoso “Shamah” (forma hebraica do verbo “ouvir”) de Deuteronômio 6.3-5. Esse texto era citado por todo judeus pela manhã e pela noite. Ao responder, Jesus resume totalmente o propósito de Deus para todo ser humano: amá-Lo.

Jesus explicou os detalhes de como amar a Deus. Ele afirmou:

“Amarás…”. Essa palavra advém do verbo grego “agapao”, que significa um amor relacional incondicional, que doa, que faz, que sacrifica, que se entrega.

…“de todo o teu/tua…” O que revela a natureza enfática desse amor.

…“coração” – Jesus usa o termo grego “kardia” que expressa o núcleo da identidade; a fonte de todos os pensamentos, palavras e ações. O centro de todo o ser.

“alma…” – Jesus usa a expressão grega “psiquê” que aponta para todas as afeições. “Alma” reflete o ser humano em toda sua realidade emocional, volitiva e psíquica, que faz a vida ser vida.

“entendimento” – Jesus usa palavra grega “dianoia” que significa a mente como a faculdade da compreensão, o pensamento, a escolha inteligente advindo do uso da razão.

“força” – Jesus usou a palavra grega “iskus”, que significa capacidade, poder, força. A expressão apresenta toda a capacidade que vem da ordem física e do vigor da vida.

O amor devido a Deus tem que fluir de todo o ser, com toda a expressão emocional, com toda a razão, com todo disposição e vigor, com o melhor que a vida tem a oferecer.

É muito claro que o Senhor nos diz para amarmos a Deus com uma sinceridade perfeita, com o máximo de fervor, com o exercício pleno de uma razão iluminada e com toda a energia de nosso ser.

Na verdade o mais puro, nobre, elevado, completo e abrangente amor deve ser dado ao único e verdadeiro Deus.

Amar a Deus é ter nEle o centro, a razão e o próprio desejo da vida. Por isso é certo dizer que quem ama a Deus tem “sede de Deus” (Salmo 42.2).

TENHA CORAGEM!

TENHA CORAGEM!

Os valores espirituais estão em plena escassez nesse mundo. Precisa-se de gente corajosa para falar, manter e viver esses valores. Pessoas ousadas, audaciosas, intrépidas e destemidas.

Um grande exemplo de coragem na Bíblia foram os três amigos de Daniel: Hananias, Misael e Azarias.

Diante da ordem de adorar uma estátua de ouro, entregar-se a idolotria, ou agradar a um vaidoso soberano, eles decidiram dizer “não”!

O rei babilônio, Nabucodonozor, diante do “não” tomado, indignado disse: “…É verdade…que vós não servis a meus deuses, nem adorais a imagem de ouro que levantei? Agora, pois, estai dispostos…prostrai-vos e adorai a imagem que fiz;”? E acrescentou: “…porém, se não a adorardes, sereis, no mesmo instante, lançados na fornalha de fogo ardente. E quem é o deus que vos poderá livrar das minhas mãos?”.

A essa palavra do rei, os corajosos jovens responderam: ” Ó Nabucodonosor, quanto a isto não necessitamos de te responder. Se o nosso Deus, a quem servimos, quer livrar-nos, ele nos livrará da fornalha de fogo ardente e das tuas mãos, ó rei. Se não, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses, nem adoraremos a imagem de ouro que levantaste.” (Dn 3.14-18)

Esses jovens estavam prontos a dar suas vidas por suas convicções espirituais.

Em Babilônia eles tiveram seus nomes mudados, suas roupas mudadas, sua cultura mudada e seu idioma mudado, mas nada naquela terra conseguiu mudar seus valores e convicções.

Tenha coragem! Ousadamente diga “não” ao que Deus diz “não” e diga “sim” ao que Deus diz “sim”. Não fique “em cima do muro”.

Na ausência, decadência e falência moral do mundo, as pessoas estão precisando e buscando gente corajosa e intrépida. Aquelas que sabem o que e em Quem crê; aquelas que são ousadas em tomar decisões baseadas em convicções, as quais não se abre mão e nem se negocia.

Você é uma pessoa corajosa? Você decide sua vida baseada em valores e convicções espirituais?

WHEN IT HURTS

WHEN IT HURTS

“…The Lord gave, and the Lord has taken away; Blessed be the name of the Lord.”—Job 1:21

Nobody looks forward to pain; rather, we seek to avoid pain. Pain leaves us feeling traumatized, desperate, disabled, disoriented and humiliated.

You might be hurting because of poor health, the death of a loved one, or a lost relationship, job, social standing, career opportunity, or even for having committed a serious error or sin.

Job in the Bible is a prime example of a person in pain. He was a very successful man who in a single day lost everything: his children, possessions, health, friends and finally even the support of his wife.

At the height of his pain and agony, he says something amazing: “Naked I came from my mother’s womb, And naked shall I return there. The Lord gave, and the Lord has taken away; Blessed be the name of the Lord.” — (Job 1:21).

Job in the middle of his pain, decided not to focus on his pain. Rather, he determined to center his life on God and worship Him. Why? Because he knew that he didn’t really own or deserve anything. He saw in God the source of all things, and he was aware of his own inabilities. In the midst of his pain, Job looked to God.

Job’s view of God was so detailed, accurate and clear that not even his great suffering was able to cloud that vision. Job could not avoid the pain, but he determined to trust God and let his suffering take him to a deeper and fuller commitment to God.

In the midst of great suffering, Job did not grow bitter. He didn’t understand what was happening when his world collapsed, but resolved to live beyond the pain and trust in God’s gracious purpose. And when the purpose was revealed, God delivered Job out of his suffering and blessed him (Job 42).

It’s not always possible to escape suffering or to understand its purpose. But like Job, you too can make a choice to trust, worship, depend upon and wait on God.

In the middle of your pain you can choose at any time to pray and ask God to continue giving you grace, peace, wisdom, serenity, strength and awareness of His precious love for you.

Feel the pain, but do not let it control you. Like Job, look at the pain in the light of God and His purposes.

SINTO-ME INSEGURO…ESTOU COM MEDO

SINTO-ME INSEGURO…ESTOU COM MEDO
Estamos passando por um período visível e real de insegurança. As notícias ruins chegam de todos os lados. Vivemos uma insegurança política em nosso país, às vésperas de uma eleição presidencial; convivemos com a realidade uma insegurança na saúde mundial diante do vírus ebola, que matou cerca de 10.000 pessoas; a economia mundial apresenta-se totalmente instável. Tudo isso gera insegurança e muito medo.

A pergunta surge: o que fazer? E a Palavra de Deus tem uma simples, eficiente e poderosa resposta: “NÃO TEMAS”!

“NÃO TEMAS” é uma expressão que aparece várias vezes na Bíblia. “NÃO TEMAS” não é uma frase de impacto ou de auto ajuda, antes é um MANDAMENTO divino. Deus nos ordena a enfrentar o medo confiando nEle.

Se você está vivendo diante de qualquer situação onde sente-se inseguro ou com medo, refrigere sua alma com a Palavra de Deus, que diz claramente, “NÃO TEMAS”.

Deuteronômio 31.8 – “O SENHOR é quem vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará; não temas, nem te atemorizes.”
Josué 1.9 – “Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares.”

1 Crônicas 28.2 – “…Não temas, nem te desanimes, porque o SENHOR Deus, meu Deus, há de ser contigo; não te deixará, nem te desamparará…”

Provérbios 3.25 – “Não temas o pavor repentino, nem a arremetida dos perversos, quando vier.”

Isaías 41.10 – “Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel.”

Marcos 5.36 – “Mas Jesus, sem acudir a tais palavras, disse…: Não temas, crê somente.”

Se a insegurança, o medo ou a “síndrome do pânico” bater, lembre-se das verdades acima e reaja como o salmista no Salmos 56.3: “Em me vindo o temor, hei de confiar em ti.”

O PROBLEMA DE HOJE

O PROBLEMA DE HOJE

Jesus ensinou em Mateus 6.34: “Não fiquem ansiosos a respeito do amanhã, porque o amanhã trará suas próprias ansiedades.”

Somos hábeis em dimensionar os problemas da vida. Por vezes achamos que não teremos forças suficiente para lidar por mais um dia.

Mas confiar em Cristo inclui crer que Ele dará força, sabedoria e graça para enfrentar os problemas que surgem hoje e não amanhã.

Deus dá Seus recursos de hoje para hoje. Faz parte de sua confiança nEle esperar que Ele renovará para amanhã o que o amanhã precisará.

O que se tem de comum entre o hoje e o amanhã é a confiança em Deus. É preciso ter fé na provisão do Senhor para hoje e para amanhã.

Viver o hoje é o desafio. O maravilhoso ensino bíblico é que Deus determina para cada dia apenas a quantidade de problemas que neste dia você é capaz de suportar.

A bondade, graça e misericórdia de Deus é dada a cada um, como o maná para os Israelitas no deserto: todos os dias. A provisão de Deus é para hoje, aqui e agora.

Quem se disciplina viver o dia de hoje, momento a momento, desfrutará a graciosa provisão de Deus e conseguirá degolar o mal do século: a ansiedade.

Sendo assim, anote os problemas de hoje; vá a Deus e os entregue um a um em oração; peça a Ele a força, sabedoria e solução para lidar; pela noite agradeça ao Senhor pelo o que Ele fez. E antes de dormir, entregue o amanhã ao Senhor e DURMA.

O ontem virou história; o amanhã não existe; viva o dia de hoje, momento a momento na presença de Deus com suas alegrias e problemas. Aí, então, você descobrirá o que é realmente a vida e o viver.

O QUE FAZER QUANDO A DOENÇA CHEGAR?

O QUE FAZER QUANDO A DOENÇA CHEGAR?

Por Roberto N Amorim

Não queremos ficar doentes. A doença física é uma realidade da entrada do pecado no mundo e todos, a dia menos dia, passaremos por ela. O que fazer quando a doença chegar?

Quando a doença chegar você precisa crer que…

– DEUS NÃO TE ABANDONOU

Davi tinha convicção da presença de Deus em sua vida. Ele O enxergava como seu “Pastor”. A realidade de Deus era algo constante e especialmente para os momentos difíceis. Ele diz no Salmo 23.4: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam.”

Assim, Deus está com você quando a doença chegar. Ele promete sua presença e daí a certeza de Sua força, ânimo e consolo. Ele não te abandona!

– SATANÁS TENTARÁ ABALAR SUA FÉ

Em Mateus 4.2,3 lemos sobre um episódio interessante da vida de Jesus: “E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome. Então, o tentador, aproximando-se, lhe disse: Se és Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães.

Jesus foi acometido de uma necessidade física real: a fome. A necessidade física de Jesus se tornou uma forma pela qual Satanás queria leva-lo ao pecado e desconfiar do cuidado do Pai. Quando da doença, Satanás também lhe apresentará oportunidades para abalar sua fé. Ele fará de tudo para que você ressinta, blasfeme e abandone a Deus. Alertado sobre isso, mantenha sua fé firmada no Senhor, ainda que a doença persista.

– SUA LUTA REAL É COM O SEU “EU”

Paulo em 2 Coríntios 2.7-10 relata sua dor e a busca o propósito de Deus por meio dela. A resposta de Deus é que Ele o queria mais simples e humilde. Depois de aprender isso, Paulo diz em 2 Coríntios 12.10: “Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.”

Deus usa a doença para destruir o pior que existe em você. Por vezes ele trata o egoísmo, a ira, a luxúria, o orgulho, a avareza, a ganância, a mágoa, a preguiça etc. Tudo isso é pior que qualquer doença. Assim, pela doença, sua luta pode ser mais aguerrida contra o seu “eu”, o “velho homem”, a “carne”.

– LER A PALAVRA DE DEUS É MAIS IMPORTANTE QUE ESTUDAR A DOENÇA

Quando a doença chegar você pode ir para seu médico e para o Google e saber todas as informações sobre ela e ter um diagnóstico preciso. Mas o que você precisa mesmo é ler a Palavra de Deus e encher seu coração de fé e esperança que só a Palavra pode dar. O Salmista nos diz: “Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos.” – Salmos 119.71

– É UMA BOA OPORTUNIDADE PARA CONSIDERAR A ETERNIDADE.

O apóstolo Paulo estava aprisionado em Roma, acreditando que poderia ser decapitado por sua fé a qualquer momento. Ele encara a eternidade em plena convicção, dizendo em Filipenses 1.20-23: Segundo a minha ardente expectativa e esperança de que em nada serei envergonhado; antes, com toda a ousadia, como sempre, também agora, será Cristo engrandecido no meu corpo, quer pela vida, quer pela morte. Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro. Ora, de um e outro lado, estou constrangido, tendo o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor.”

Assim, quando a doença chega é importante considerar a finitude da vida diante do fato da eternidade. Não se recuse pensar sobre a morte. A doença deve nos levar a apurar o que cremos e onde depositamos a esperança. Se sua fé está em Jesus, como era a de Paulo, você já é um vencedor da morte.

– DEUS CURA SOBERANAMENTE ATRAVÉS DE UM MILAGRE OU PELA MEDICINA

Diante da doença, em Sua graça bondosa e para seus fins soberanos, Deus pode trazer uma cura total. Devemos orar pela cura, fazer todos os tratamentos e tomar os remédios receitados, sempre com um coração submisso ao propósito de Deus. Lembremos que Ele é bom e cura se quiser, a quem quer, como quer, onde quer e para o que quer. Paulo nos lembra em Romanos 11.36: Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!”

Não deixe que a doença ganhe qualquer vitória sobre sua vida espiritual enquanto aparente e momentaneamente ela leve alguma vantagem no seu corpo físico. Traga sua doença aos pés do Senhor; Ele fará tudo dentro de seu bom propósito e para Sua glória eterna. Confie somente nEle!

DIANTE DA DOR

DIANTE DA DOR

“…o SENHOR o deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR!” – Jó 1.21

Não queremos dor; queremos alívio. A dor nos traumatiza, desespera, incapacita, descontrola e humilha a existência.

Pode-se estar em dor por causa da saúde, pela morte de alguém querido, por perder um relacionamento, o emprego, a posicão social, a carreira, a oportunidade, ou até mesmo por ter cometido um grave erro e pecado.

Jó na Bíblia é um exemplo máximo de uma pessoa em dor. Ele foi um homem bem sucedido e num só dia perdeu tudo. Jó perdeu seus filhos, seus bens, suas oportunidades, sua saúde, seus amigos e por fim o apoio de sua esposa.

No ápice de sua dor e agonia, ele diz algo surpreendente: “Nu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei; o SENHOR o deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR!” – (Jó 1.21).

Jó em dor, decidiu não focar na dor. Antes, sua decisão foi centrar sua vida em Deus e adorá-Lo. Por quê? Porque ele sabia que não era nem possuidor e nem merecedor de nada. Ele via em Deus a fonte de tudo, e estava consciente de sua limitação e controle. No meio de sua dor, Jó conseguiu ver a Deus.

A visão dele sobre Deus era tão precisa, acurada e nítida que nem a dor a turvou. Jó não pôde impedir suas dores, mas decidiu confiar em Deus e deixar que elas o levassem a um compromisso maior em melhor com Ele.

Diante da dor ele não se ressentiu. Ele não entendia o que ocorria quando seu mundo desabava, mas resolveu viver além dela e confiar nos bondoso propósito de Deus. E quando o propósito foi revelado, Deus o livrou da dor e o abençoou (Jó 42).

Nem sempre você poderá se livrar ou entender o motivo da dor. Mas como Jó, você pode também decidir confiar, adorar, depender e esperar em Deus.

Diante da dor você pode decidir orar nesse momento e pedir para que Deus continue lhe dando graça, paz, sabedoria, serenidade, força e consciência de Seu precioso amor.

Sinta a dor, mas não deixe que ela o controle. Como Jó, veja a dor na perspectiva e nos propósitos de Deus.

POR UMA “CULTURA DE GRATIDÃO”

POR UMA “CULTURA DE GRATIDÃO”

Basicamente somos muito mais prontos para reclamar, queixar, condenar, exigir e se irritar do que AGRADECER.

Reclamamos do tempo; queixamos do trânsito; condenamos pessoas; exigimos respeito; nos irritamos pelos problemas e pouquíssimas vezes paramos para AGRADECER.

Estamos tão dominados pelos afazeres, estressados com uma série de responsabilidades, que mal vivemos o dia de hoje; mal paramos para refletir, e pior, já ansiosamente prospectamos o dia de amanhã e esquecemos de AGRADECER.

AGRADECER significa dizer um “obrigado”, e expressar apreço por algo que tem recebido.

Devemos AGRADECER A DEUS por manter, prover, suprir, cuidar, proteger e sustentar a vida. No Salmos 118.29 lemos: “Rendei graças ao SENHOR, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre.” Em uma pequena reflexão nossa mente nos trará motivos sem fim para AGRADECER a Deus.

Devemos AGRADECER AS PESSOAS pelo mais pequenos e significativos gestos que ajudam, atendem, servem, encorajam e animam; gente que faz comida, que limpa, que lava a roupa; arruma nossos pertences, que telefona, que visita, etc. A lista é interminável. Pessoas que merecem um sincero “muito obrigado”.

Quem AGRADECE se põe no patamar humano mínimo que reconhece humildemente que a vida não gira em torno de si.

Quem AGRADECE anda na contra mão do egoísmo que sempre exige o “eu” e o “meu”.

Quem AGRADECE ganha um entendimento simples de que a vida é mais uma questão de “graça” do que de “mérito”.

Quem AGRADECE estabelece um estilo de vida que demonstra de forma prática o amor a Deus e o amor as pessoas.

Que você decida hoje AGRADECER. Que você comece seu dia agradecendo a Deus, assumindo a mesma postura do salmista no Salmos 103.2: “Bendiga o Senhor a minha alma! Não esqueça nenhuma de suas bênçãos”.

Que você se disponha a AGRADECER as pessoas que estão do seu lado. Aquelas que todos os dias lhe faz algo de bom, em especialmente as mais íntimas e com quem você convive todos os dias.

Que nos esforcemos e difundamos, a partir de hoje, por uma “CULTURA DE GRATIDÃO”.