AME AO PRÓXIMO!

AME AO PRÓXIMO!

Jesus afirmou em Marcos 12.31: “…Amarás o teu próximo como a ti mesmo…”

Amar é tudo! Se sua fé, ortodoxia, teologia, doutrina, conhecimento, habilidade, capacidade e dom, não o conduz a AMAR pessoas, nada disso serve.

Em 1 João 4.8 o apóstolo diz:
“Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor.”

Tudo o que somos e temos deve convergir para amar pessoas. Essa é a clara demonstração de uma fé viva e vibrante.

Jesus explica como amar ao próximo em Mateus 5.44-48: “Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai celeste, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos. Porque, se amardes os que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem os publicanos também o mesmo? E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os gentios também o mesmo? Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.”

Paulo explica como amar ao próximo em Romanos 13.8-10: “A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei. Pois isto: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, e, se há qualquer outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. O amor não pratica o mal contra o próximo; de sorte que o cumprimento da lei é o amor.”

João explica como amar ao próximo em 1 João 3.16-18: “Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos. Ora, aquele que possuir recursos deste mundo, e vir a seu irmão padecer necessidade, e fechar-lhe o seu coração, como pode permanecer nele o amor de Deus? Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade.”

O que falta agora é você ir e amar ao próximo como acabou de aprender.

Um comentário em “AME AO PRÓXIMO!

  1. Vivemos num mundo mesquinho, em que se confunde, gostar, com amar. Gostar é um sentimento de conveniência, gosta-se daquilo que lhe “serve” que lhe dá algum prazer ou lhe preenche uma necessidade, a exemplo de um sapato, uma roupa, um relógio ou um automóvel. Amar, é tangencialmente diferente de gostar, não é se servir, amar, acima de tudo, é se doar, se dedicar a alguém, mesmo quando isso nos custe a própria segurança e até a vida. Durante toda história da humanidade, o amor sempre foi um sentimento condicional. Jesus nos ama incondicionalmente, a ponto de se oferecer na cruz do calvário por nós, mesmo sendo quem somos, pecadores indignos. Claro que somos imperfeitos, nunca amaremos com perfeição como ELE nos ama, mas, devemos lutar contra nossa natureza egoísta e, vivermos mais próximos possível, o verdadeiro amor com que fomos comprados para a vida eterna. Forte abraço, Shalom.

Os comentários estão fechados.