O CRISTÃO E O DINHEIRO

O CRISTÃO E O DINHEIRO

John Davison Rockefeller foi o primeiro bilionário do mundo. Em 1937 (ano de sua morte) sua fortuna foi avaliada em 1,4 bilhões de dólares. Quando ele morreu alguém perguntou ao seu contador particular: “Quanto Rockefeller deixou?” E o contador de pronto respondeu: “Ele deixou TUDO”!

Precisamos ser sábios na forma como lidamos com o dinheiro. Ninguém levará dinheiro consigo para a sepultura. O cristão sempre deve reconhecer que todos seus recursos vem do Senhor e deve administrá-los para Sua glória.

O cristão deve reconhecer que o dinheiro…

# 1 – Precisa ser adquirido por meio do trabalho honesto. O dinheiro precisa chegar por meio de um trabalho justo e que honra a Deus. Provérbio 13.11 nos ensina:
“Os bens que facilmente se ganham, esses diminuem, mas o que ajunta à força do trabalho terá aumento.”

O cristão deve reconhecer que o dinheiro…

 # 2 – Precisa ser usado a bem da família, dos necessitados e do avanço do Reino de Deus sobre essa terra.

O cristão deve reconhecer que o dinheiro…

#3 – Perde o poder quando é doado generosamente. Em 2 Coríntios 9.7 diz: Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria.”

O cristão deve reconhecer que o dinheiro…

#4 – Precisa ser administrado por meio de um orçamento. O cristão diferencia NECESSIDADES de DESEJOS. O cristão não vai além de sua receita mensal; ele não contrai dívidas que não pode pagar; ele não usa inadequadamente cartão crédito, cheques pré-datado, prestações ou empréstimos em bancos. Ele não é um agiota e não trabalha e nem estimula a agiotagem.

O cristão deve reconhecer que o dinheiro…

#5 – Precisa ser investido sabiamente. Ele ora a Deus, busca conselhos e procura entender o universo financeiro em que vive e faz investimentos sábios.

O cristão deve reconhecer que o dinheiro…

#6 – Pode deixa-lo rico. Mas caso isso ocorro, ele sabe que sua riqueza precisa ser vista como uma RESPONSABILIDADE e MINISTÉRIO e não uma oportunidade de ascensão a um novo STATUS social. O cristão usa sua riqueza como um meio de demonstrar seu amor a Deus e as pessoas.

Assim, o cristão precisa estar sempre consciente de que o dinheiro é um “meio” e não um “fim.” Ele não deve jamais permitir dinheiro desfaça, minimize ou destrua seu casamento, sua família, sua reputação e acima tudo os valores de Deus em sua vida.

COMO DEUS USA O DINHEIRO EM NOSSAS VIDAS

COMO DEUS USA O DINHEIRO EM NOSSAS VIDAS

Estatísticas mostram que muita gente passa pelo menos 80% do dia pensando sobre finanças. Isso inclui como gastar, poupar, adquirir, investir, aplicar, comprar etc. Alguns pensam em ter mais do que já tem, outros pensam em não perder o que adquiriram e outros ainda se endividam para possuir o que não podem.

A Bíblia fala muito sobre dinheiro. Há pelos menos 700 versículos bíblicos sobre finanças. 38 parábolas de Jesus tratam de alguma forma sobre dinheiro..

Há um princípio bíblico simples sobre finanças: quando encaramos o dinheiro na perspectiva de Deus vamos desfrutar de liberdade financeira.

Erramos porque achamos que dinheiro e finanças tem mais haver com a economia do país e a quantidade que temos do que como Deus o usa em nossas vidas. Precisamos entender o que Deus diz sobre dinheiro e precisamos obedecer e entregar a Ele essa área da nossa vida.

Deus trabalha em nossas vidas por meio do dinheiro.

#1 – Deus usa o dinheiro em nossa vida para fortalecer a nossa confiança nEle. Em Mateus 6.31-33 Jesus diz: Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” Devemos confiar que Deus cuidará de nossas vidas e de nossas necessidades. Ele é poderoso para nos suprir em tudo o que precisamos.

#2 – Deus usa o dinheiro para satisfazer as necessidades reais de pessoas. Em 1 Timóteo 6.17,18 lemos: Exorta aos ricos do presente século que não sejam orgulhosos, nem depositem a sua esperança na instabilidade da riqueza, mas em Deus…que pratiquem o bem, sejam ricos de boas obras, generosos em dar e prontos a repartir.” Dinheiro é uma dádiva e benção de Deus para abençoar os que precisam.

#3 – Deus usa o dinheiro para confrontar-nos espiritualmente. Em Mateus 19.16-22 Jesus conta a história do jovem rico. Ele queria a salvação. Mas o pobre-rico jovem perdeu sua alma. Não porque não era religioso; não porque não sabia os mandamentos. Ele perdeu sua alma porque priorizou o dinheiro mais do que tudo. O dinheiro era seu ídolo. A proposta de Jesus no versículo 21 foi: “…Vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me. E no versículo 22 o jovem reage assim: “…retirou-se triste, por ser dono de muitas propriedades.” A exemplo do jovem rico, muitos perderão sua alma eternamente porque colocar o dinheiro como a coisa principal da vida.

Por isso, não deixe o dinheiro ser controlar a sua vida. Eleja Deus o centro de tudo. Adore e sirva somente a Ele.

O DINHEIRO NA PERSPECTIVA CORRETA

O DINHEIRO NA PERSPECTIVA CORRETA

Dinheiro é um assunto atual e que nos influencia. Diariamente ouvimos sobre os índices das bolsas de valores, a cotação do dólar, taxa celic, inflação etc.

O problema em relação ao dinheiro é não coloca-lo na perspectiva correta. Temos a tendência de desprezá-lo, ignorá-lo ou super valorizá-lo. Podemos desenvolver conceitos e atitudes erradas em relação ao dinheiro.

Um desses conceitos errados é afirmar que “o dinheiro é a raiz de todos os males.” Não é isso que a Bíblia ensina. Em 1 Timóteo 6.10 Paulo nos diz que “ o AMOR ao dinheiro é a raiz de todos os males.”

Outro princípio falso é que a pobreza é um sinal de espiritualidade e de bom relacionamento com Deus. Isso também não é verdade. Na Bíblia temos homens ricos como Abraão, Isaque, Jacó, José, Davi, Salomão, José de Arimatéia, Filemom e tantos outros. Todos eles eram ricos e tiveram um exemplar relacionamento com Deus.

Outra visão errada em relação ao dinheiro é que “dinheiro é coisa do diabo.” Não. O dinheiro pode ser usado por ele. Satanás tenta a ganância para estimular o pecado da preguiça, mentira, falsidade, corrupção, roubo etc. O dinheiro pode tanto servir a Deus, como ao diabo. Isso é uma questão de decisão.

Uma atitude errada para com o dinheiro é aquela que diz que “o meu dinheiro é meu e eu o uso como quero.” Essa é uma visão egoísta e mesquinha. No Salmo 24.1 Davi afirma: “Ao SENHOR pertence a terra e TUDO o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam.” Tudo o que existe nesse mundo pertence a Deus. Somos todos mordomos dEle e um dia prestaremos conta pelo que Ele nos tem confiado.

Lembre-se sempre: tudo o que você é e tem é uma dádiva, benção e presente das graciosas mãos do Senhor. Em 1 Crônicas 29.14 Davi ao contribuir diz: “Porque quem sou eu, e quem é o meu povo para que pudéssemos dar voluntariamente estas coisas? Porque TUDO VEM DE TI…”.

É Deus que lhe capacita, dá habilidade, inteligência, destreza e oportunidade. É Ele que coloca pessoas certas, no tempo certo, com oportunidades certas para lhe abençoar e fazer de você uma benção para muita gente.

Por use o dinheiro na perspectiva correta. Nunca esqueça dos princípios do Salmo 62.10: “…se as vossas riquezas prosperam, não ponhais nelas o coração.”

ONDE ESTÁ O SEU TESOURO?

ONDE ESTÁ O SEU TESOURO?

André Massaro, da revista Exame, escreveu um artigo chamado “Ser rico” versus “Parecer rico”. No texto ele argumenta que “ o segredo das pessoas ricas é que elas investem grande parte do tempo e energia na construção de riqueza.”

Em Mateus 6.19-21 Jesus afirmou: Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam; porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.

Deus usa o dinheiro em nossas vidas para nos testar. Essa é uma ferramenta que Ele usa com destreza para revelar o mais profundo de nossos corações.

O dinheiro tem a capacidade de revelar quem realmente somos. A fatura do cartão de crédito, o extrato do banco, os boletos de pagamentos, as prestações, as aplicações etc, dizem claramente quais são nossas prioridades e onde estamos focando a vida.

Quando Jesus diz para “Não acumular tesouros sobre a terra…mas ajuntar tesouros nos céus…” Ele nos ensina que onde desejamos que nosso coração esteja, ali vamos colocar dinheiro, tempo e interesse.

O dinheiro é um teste para fé. O dinheiro deixa bem claro em quem realmente confiamos. Salomão nos exorta em Provérbios 11.28 dizendo: “Quem confia em suas riquezas cairá…” Se confiamos no dinheiro para segurança, esperança, felicidade e estabilidade, estamos certos de que o dinheiro torna-se-a nosso ídolo, senhor e deus. Ele passa ser a nossa confiança.

Por isso, use o dinheiro de uma forma que Deus aprova. Agradeça ao Senhor por ele, mas aprenda a dirigir o dinheiro de uma forma responsável, séria e honesta.

Não viva além de seus recursos e esteja livre do amor ao dinheiro. Evite comprar por impulso, antes economize para comprar o que é importante para você.

Aprenda a ser generoso. Seja generoso com todos que estão ao seu redor. Não deixe o dinheiro o controlar. Controle-o!

E por fim, pergunte sempre: onde está o meu coração?

CUIDADO COM A AVAREZA

CUIDADO COM A AVAREZA

Em Lucas 12.13-15 a Bíblia conta a história de um homem que solicitou que Jesus ordenasse para que seu irmão repartisse com ele a herança (vs 13). Contudo Jesus recusou atender ao pedido de disputa familiar porque essa função não era dele, mas das autoridades civis. Antes, proferiu um forte aviso no versículo 15: “…tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui.”

Jesus aponta para aquele rapaz e para todos nós um pecado perigosíssimo: a avareza. Avareza é o apego demasiado e mesquinho pelo dinheiro. É o desejo ardente de acumular riqueza. É a busca centralizada e desenfreado pelo dinheiro.

O apóstolo Paulo teve o cuidado de colocar a avareza na lista de pecados sórdidos e classifica-lo como IDOLATRIA. Em Colossenses 3.5 lemos: “Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a AVAREZA, que é idolatria.”

Ainda em 1 Timóteo 6.10 somos avisados: “Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores.”

Os avarentos são mesquinhos e costumam fazer conta de “centavos”. Eles são orgulhos e acham-se mais que os outros; vivem de forma esbanjadora e insensível as necessidades e problemas das pessoas. Eles são mais prontos a se envolverem com diversas ações ilícitas, especialmente o roubo e a corrupção e tornam-se indispostos, críticos e zombadores a tudo o que é de Deus.

Claro, todos somos tendentes a avareza. Por isso precisamos nos lembrar que a fonte de tudo o que temos vem de Deus. Não podemos colocar nossos esforços nessa vida para “ter” mais e ser mais. Antes devemos viver com um coração contente pelo temos e sermos generosos em usar os recursos para ajudar quem precisa.

Por fim, a palavra de Jesus em Mateus 6.20-21 precisa calar todos os dias em nossos corações: “…ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam; porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.”

Cuidado com a avareza!

AS PESSOAS MAIS SEGURAS DO PLANETA

AS PESSOAS MAIS SEGURAS DO PLANETA

Segundo o relatório do IPS (Índice de Progresso Social), uma organização internacional sem fins lucrativos que analisa a segurança em 132 países, o Brasil ficou no 11o lugar, sendo o mais inseguro o Iraque e o mais seguro a Finlândia.

Vivemos uma onde de insegurança mundial. E claro, o Brasil é um país muito inseguro para se viver. Mas o que fazer? Antes de tudo é importante ter uma perspectiva bíblica clara sobre o como lidar com a insegurança em nosso país.

É preciso lembrar que…

1o – DEUS É QUEM NOS GUARDA

Devemos orar por segurança. Davi ora no Salmo 16.1: “Guarda-me, ó Deus, porque em Ti me refugio.” É preciso sempre lembrar que Deus está no controle de tudo. É Deus que nos proteve. Salomão nos ensina em Provérbios 18.10: “Torre forte é o nome do SENHOR, à qual o justo se acolhe e está seguro.”

2o – DEVEMOS SER SÁBIOS

Salomão nos diz em Provérbios 22.3: O prudente vê o mal e esconde-se…” Essa é a nossa parte. Precisamos de ter cuidado por onde andamos, com quem andamos, como andamos e a que hora andamos. É preciso fugir das situações de risco. Ser prudente pode salvar a vida.

3o – O VIVER HONESTO TRAZ SEGURANÇA

Salomão nos avisa em Provérbios 10.9:  Quem anda em integridade anda seguro, mas o que perverte os seus caminhos será conhecido.” Por isso não queira ficar rico como o fim último de vida; fuja da vida fácil; não seja contraventor; não faça nada que seja contra lei, ainda que não concorde com ela. Os noticiários no mundo todo nos alertam sobre as consequência na vida dos desonestos, dos aproveitadores e dos espertos.

4o – NÃO ADIANTA TENTAR CONTROLAR TUDO

Isso é um desgaste infindável para alma. Não podemos controlar o crime organizado, os assaltos a mão armada, os crimes cibernéticos, as balas perdidas etc. Tudo isso traz muita tristeza. Mas podemos sim orar Senhor, confiar nEle e continuar vivendo. Aprendemos em 1 Pedro 5.7:Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.”

As pessoas mais seguras do planeta, sem dúvida, são aquelas que confiam em Deus a suas vidas e fazem muito bem a sua parte.

Viva assim!

PRATIQUE A PALAVRA!

PRATIQUE A PALAVRA!

Jesus disse em Mateus 7.24-27: “Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha. E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína.”

Segundo o ensino de Jesus uma casa pode ser bonita e ornamentada, mas se ela for construida num alicerce errado ruirá quando a tempestade bater trazendo desperdício de recurso e tempo. Assim também é a vida espiritual.

Para Jesus a prática da Palavra de Deus é o que realmente interessa. Se você não colocar em prática o que ouve não adianta nada. Você não ganha nenhum mérito espiritual porque apenas ouve Suas verdades. Você só terá a vida transformada quando praticar o que ouvir.

A única forma de se tornar um verdadeiro seguidor de Jesus é ouvir Sua Palavra e prática-la. Em 1 João 2.4 lemos: “Aquele que diz: Eu o conheço e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade.”

Jesus sempre enfatizou a prática da Palavra como algo prioritário. Em Lucas 11.27-28 uma mulher se levanta no meio de uma multidão e exclama: “…Bem-aventurada aquela que te concebeu, e os seios que te amamentaram! Ele, porém, respondeu: Antes, bem-aventurados são os que ouvem a palavra de Deus e a guardam!” O importante é a prática da Palavra!

Assim, em que alicerce você está construindo sua vida espiritual? Você é apenas um bom ouvinte ou um efetivo praticante?

A pratica da Palavra de Deus contitui a rocha onde você deve alicerçar sua vida. Não fazer isso é uma perda de tempo, esforço, recurso e da própria vida.

Pratique a Palavra!

ELES DECIDIRAM…

ELES DECIDIRAM…

Os primeiros cristãos abraçaram a fé em Jesus com compromisso, seriedade e coerência. Eles decidiram viver e ser diferentes. Eis as principais decisões que tomaram:

#1 – ELES DECIDIRAM OBEDECER AOS ENSINOS DE JESUS

Eles se comprometeram num viver digno, justo, submisso, entregues ao bem-estar do outro e em obediência irrestrita aos mandamentos de Deus. Eles tinham em Jesus uma razão para viver e morrer.

#2 – ELES DECIDIRAM FAZER A VONTADE DE DEUS

Eles sabiam que “amar a Deus” envolvia obedecê-Lo e fazer Sua vontade. Por agir assim, nunca pensaram na felicidade e no prazer momentâneo da vida como um fim último.

#3 – ELES DECIDIRAM AMAR PESSOAS

Decidiram fazer o bem a todos indistintamente; decidiram sair de si mesmos; decidiram focar no outro. Eles não eram consumistas e nem materialistas.

#4 – ELES DECIDIRAM PERDOAR

Eles decidiram não viver com mágoas, ressentimento e rancor de seus inimigos. Eles decidiram perdoar e obedecer o que Jesus ensinou em Lucas 6.27,28: “… amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam; bendizei aos que vos maldizem, orai pelos que vos caluniam.

#5 – ELES DECIDIRAM VIVER POR FÉ

Eles não tinham e nem exigiam resposta para tudo. Eles apenas davam passos de fé, confiando na bondade amorosa do Deus soberano. Estavam cientes de que a vida não é restrita simplesmente ao “aqui” e “agora”. Eles pensavam na recompensa eterna e futura.

#6 – ELES DECIDIRAM PROCLAMAR A JESUS

Eles estavam certos da missão clara dada por Ele: “…fazei discípulos de todas as nações…” Por isso, saíram pregando a Jesus como o “caminho”, a “verdade” e a “vida” para todos.

Por decidirem assim, esses primeiros cristãos não amaram o mundo, não viviam em crise de auto imagem, não eram narcisistas e não eram ansiosos ou depressivos.

Se quisermos viver com propósito e significado nessa vida, precisamos avaliar como estamos vivendo e DECIDIR viver os que ELES DECIDIRAM.

CONTRA UM MUNDO “CRISTOFÓBICO”…

CONTRA UM MUNDO “CRISTOFÓBICO”…

Nesse exato momento muitos cristãos no mundo estão sendo vítimas de atrocidades físicas e barbáries sem fim. O nosso mundo está cada vez mais “Cristofóbico”.

“Cristofóbico” não porque há apenas grupos que falam, argumentam, filosofam, “batem boca” e propõe leis inócuas contra os valores que os cristãos defendem como a existência e ação de Deus na história, o casamento, a família, a concepção de uma criança no útero etc. Estou indo além.

“Cristofóbico” porque há hoje uma segregação, discriminação, e nos últimos dias um ódio expresso que está aterrorizando, maltratando, humilhando, matando, esquartejando, degolando, fuzilando e crucificando cristãos. Estou falando da ação mundial de grupos islâmicos radicais. Estou falando da crueldade organizada, dogmatizada e propositada. Há um levante mundial ordenado hoje quanto a tudo o que é de “Cristo” e “cristão.”

Ninguém precisa esperar meses e anos para receber notícias das barbáries cometidas contra cristãos na Síria, Iraque, Paquistão, Índia, Indonésia, Sudão, Coreia do Norte, Níger e outros paises. Há diversas fotos e vídeos espalhados pela internet que expõe o horror.

É claro que um verdadeiro cristão sabe que seguir a Cristo inclui sofrimento e perseguição. Jesus predisse e avisou sobre isso em Mateus 10.21,22:Um irmão entregará à morte outro irmão, e o pai, ao filho; filhos haverá que se levantarão contra os progenitores e os matarão. Sereis odiados de todos por causa do meu nome…” Por vezes a perseguição é no nível psicológico, social ou familiar. Mas a perseguição pode incluir abuso físico e morte violenta como a de Estevão em Atos 7, Tiago em Atos 12 e Paulo e Silas em Atos 16.

Mas qual deve ser a postura de um cristão diante daqueles que sofrem perseguição por sua fé em Cristo? Em Hebreus 13.3 somos ensinados: “Lembrai-vos dos encarcerados, como se presos com eles; dos que sofrem maus tratos, como se, com efeito, vós mesmos em pessoa fôsseis os maltratados.

“Lembrar” significa: 1) Não viver com a atitude de que “isso não tem nada a ver comigo”; 2) Orar. Orar por proteção, solução, intervenção sobrenatural, sabedoria aos que estão diretamente envolvidos e pelos inimigos como Senhor Jesus ensinou em Lucas 6; 3) Contribuir financeiramente com instituições que apoiam cristãos em perseguição; 4) Usar as redes sociais para expor o repúdio a toda ação “Cristofóbica”; 5) Enviar e-mail para as embaixadas desses países pedindo uma postura e ação.

Como cristãos devemos viver de forma pacífica e pacificadora. Devemos deixar claro que toda “alma é livre” para crer e viver como quer. Contudo devemos sempre combater a dogmatização, a violência, o proselitismo e a falta de respeito a crença e a postura do outro.

Não espere que nosso atual governo fará algo por essa causa. Um país como o Brasil que se cala diante das atrocidades na Venezuela, mantém laços estreitos com Cuba e Irã e fala de “islamofobia” na Assembleia Geral da ONU, é um país desacreditado, infantil e isolado na comunidade internacional.

Termino dizendo que se há um Islã moderado no mundo, que respeita tudo e todos, diante da realidade “cristofóbica”, essa é uma grande oportunidade para se levantarem e dizerem “não” a todo esse radicalismo. O silêncio do Islã moderado significa o que?

Façamos algo!

 

QUEM CRÊ, AMA. QUEM AMA, CRÊ.

QUEM CRÊ, AMA. QUEM AMA, CRÊ.

Em 1 João 3.17 lemos: “Ora, aquele que possuir recursos deste mundo, e vir a seu irmão padecer necessidade, e fechar-lhe o seu coração, como pode permanecer nele o amor de Deus?”

O amor precisa se revelado em ações objetivas, práticas e concretas. Os que fazem algo em favor das necessidades das pessoas revelam para elas mesmas, para outros e para Deus que “permanecem…no amor de Deus.”

Amar pessoas significa “fechar o coração.” “Fechar o coração” significa não manter um “jogo de empurra” simplesmente para se livrar do problema. Não diga: “isso não é comigo”. Não filosofe: “muita gente está passando dificuldade nesse mundo”. Não fuja da responsabilidade: “o governo, a sociedade, a igreja, a instituição ‘tal’ deveria fazer alguma coisa.” Antes, assuma a responsabilidade e faça algo!

Se você não consegue repartir seu pão, sua roupa, seu dinheiro, sua influência, seu poder e suas habilidades, não é que tipo de cristão você é, mas que tipo de ser humano que você demonstra?

É importante lembrar que sempre é mais fácil estar engajado na luta e na causa pelos problemas da humanidade do que amar o ser humano mais próximo; aqueles com com quem nos esbarramos todos os dias: pais, filhos, amigos, parentes etc.

Qualquer um pode se auto-avaliar se realmente crê em Deus e experimentou a nova vida que Jesus oferece, pelo simples fato de estar dominado e dirigido pelo AMOR.

AMAR exige sacrifício, entrega, abnegação, altruísmo, envolvimento, doação e ações que possam melhorar, ajudar e fazer crescer o outro, sem tirar um nada de proveito pessoal.

A melhor tradução de uma fé genuína em Jesus Cristo é amar a Deus, com um coração obediente e submisso e amar as pessoas. Quando isso é feito, a fé revela-se pelo amor e o amor autentica a fé.

Assim, quem crê, ama e quem ama, crê. É isso que Deus quer. É isso que precisa ser vivenciado.