ONDE VOCÊ SE ENCONTRA?

A desilusão paira no ar. A sociedade está insegura, insatisfeita, desnorteada, perdida pela ausência de valores morais, etc.; a situação beira ao caos; há uma crise no ar.

Enquanto o quadro social é difícil, ainda não são poucos os que lidam com a realidade de suas próprias vidas. Alguns dizem: “minha vida está vazia; está chata”’, “algo parece estar faltando; deve haver algo mais do que isso”. Parece sempre haver uma incansável busca existencial.

O problema é que se busca soluções em algo ou alguém errado. A questão é que nada e ninguém podem responder e suprir as profundas necessidades da alma. A segurança, esperança, satisfação, alegria, realização, paz, a razão de viver, etc., não se encontram em si mesmo, na religião, nas pessoas, nos bens ou nas circunstâncias da vida.

Salomão, escreveu em Eclesiastes 3.11: “Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem…” Salomão ensina que Deus colocou desejos em seu coração por coisas eternas e espirituais. Suas inquietações só podem ser somente satisfeitas nEle. Agostinho observou: “Fizeste-nos para Ti e o nosso coração não está tranquilo até que descanse em Ti.”

Tentar satisfazer as necessidades mais profundas de sua alma com realidades externas, é perder esforço, expectativa e tempo. Em qualquer crise de sua vida a resposta não está em você, nas pessoas ou nas circunstâncias. Onde está a resposta?

A resposta final para a crise da alma, da vida, da sociedade e do país encontra-se em Jesus Cristo. Ele afirma em João 10.10: “…Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância…” Jesus se apresenta como a solução para sua crise. Tudo que o que você procura está em Jesus.

Responda: Onde você se encontra hoje? Em crise ou em Cristo?

UM MAPA PARA A ORACÃO

Por vezes não sabemos como começar e manter a nossa oração. Davi no Salmo 25.16-21 nos apresenta um mapa com os principais aspectos importantes de uma oração.

1 – SEJA HONESTO

No versículo 16, Davi abriu o seu coração para Deus: “Volta-te para mim e tem compaixão, porque estou sozinho e aflito.” A exemplo de Davi, faça o mesmo. Abra-se para Deus. Seja honesto e conte a Ele todos os segredos do seu coração.

2 – SEJA ESPECÍFICO

Davi foi específico em sua oração ao dizer nos versículos 17, 19: “Alivia-me as tribulações do coração; tira-me das minhas angústias…. Considera os meus inimigos, pois são muitos e me abominam com ódio cruel.” Diga você também a Deus o que deseja. Seja específico!Diga a Ele o que você realmente quer.

3 – CONFESSE SEUS PECADOS

Davi confessou seus pecados. Ele diz no versículo 18: “…perdoa todos os meus pecados.” A confissão faz parte da vida de oração. Quando você reconhece seus pecados, sua via de comunicação com Deus tornar-se aberta. O pecado impede o fluir natural da oração.

4 – EXPRESSE SUA FÉ

Davi expressa sua fé ao dizer no versículo 20: “Guarda-me a alma e livra-me; não seja eu envergonhado, pois em ti me refugio.” Davi estava convicto de que a palavra final em sua vida não eram seus problemas e nem seus inimigos, mas Deus. Não adianta você saber de Deus, você precisa de uma forma prática afirmar sua fé nEle quando estiver orando.

5 – COMPROMETA-SE COM DEUS

Davi no versículo 21 se compromete com Deus, dizendo: “Preservem-me a sinceridade e a retidão, porque em ti espero.” Assim, você também deve se comprometer com Deus fazendo sempre o que é certo e justo, enquanto espera pela ação de Deus em sua vida.

Devemos orar; devemos aprender a orar, porque como A. B. Simpson diz: “A oração é o elo que nos conecta com Deus.”

O PROBLEMA DO PECADO

No Salmo 25.7 Davi orou ao Senhor dizendo: “Não te lembres dos meus pecados da mocidade, nem das minhas transgressões. Lembra-te de mim, segundo a tua misericórdia, por causa da tua bondade, ó SENHOR.”

Na primeira parte do texto, Davi faz uma humilde oração a Deus. Ele diz: “Não te lembres dos meus pecados da mocidade, nem das minhas transgressões…” Davi tem uma visão nítida da santidade de Deus. Ele sabe que seu pecado O ofende.

Ao pedir que Deus não se lembre de seus pecados na juventude, Davi reconhece que suas atitudes quando jovem foram tolas e arrogantes. É como se ele dissesse a Deus: “Senhor, perdoe-me por minha imaturidade e ignorância. Eu fiz escolhas erradas, pensando que sabia o que era melhor para mim”.

Davi também diz: “Não te lembres… das minhas transgressões…” Algumas traduções dizem “meus caminhos rebeldes”. Isso significa que Davi diz que houve um tempo em que ele sabia o que era certo aos olhos de Deus, mas voluntariamente escolheu o que era errado; escolheu pecar.

As atitudes da vida sempre precisam ser encaradas na perspectiva do Santo Deus. É preciso seriedade no tratamento dos pensamentos, palavras e procedimentos. É preciso parar e refletir se a vida está realmente agradando a Deus.

Davi termina o texto pedindo ao Senhor que se lembre dele “…segundo a tua misericórdia, por causa da tua bondade…” Ele está ciente de que Deus em sua graça, amor, misericórdia e bondade pode perdoá-lo e lhe transformar profundamente.

A misericórdia e a bondade de Deus serão percebidas e valorizadas em sua vida quando você enxergar seriamente os seus pecados diante da realidade de que Deus é santo e abomina o pecado. Por isso, trate com seriedade cada pecado cometido contra Ele.

O pecado é o problema. A solução está no arrependimento e confissão.

PERGUNTAS NÃO RESPONDIDAS

Habacuque era um profeta de Deus no Antigo Testamento que desejava muito que o povo de Israel caminhasse em seriedade espiritual. Ele queria que Deus fizesse algo urgente e punisse a nação para que ela pudesse andar em retidão.

Na verdade, Habacuque questionou a própria sabedoria de Deus e Sua possível inércia em não tratar com mais severidade o povo. Sendo assim, ele pergunta em 1.2,3: “Até quando, SENHOR, clamarei eu, e tu não me escutarás? Gritar-te-ei: Violência! E não salvarás? Por que me mostras a iniquidade e me fazes ver a opressão?…”

Todos nós também somos de alguma forma como Habacuque diante das circunstâncias da vida. Todos somos tendentes a fazer perguntas para Deus que O questionam quanto ao Seu amor, graça, bondade e sabedoria. Achamos que Ele nos deve uma explicação; isso nada mais é do que a demonstração de nossa própria ignorância e arrogância.

No capítulo 3, algo acontece com Habacuque. A invés de se manter perguntando, Ele decide orar. Enquanto orava ele recobrava o seu discernimento espiritual. Após aquietar sua alma e olhar para Deus, Habacuque explode em fé, dizendo em 3.16-19: “…Pois, em silêncio, devo esperar o dia da angústia… Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto no Deus da minha salvação. O SENHOR Deus é a minha fortaleza, e faz os meus pés como os da corça, e me faz andar altaneiramente.”

Deus pode não responder as suas perguntas, mas Ele lhe dá grandes respostas quando você se dispõe em confiar nEle. O dia que você decide crescer no conhecimento dEle, a sua vida fica muito mais simples, flui, e a paz torna-se uma companheira constante.

OS MURMURADORES

A tendência humana é murmurar. Comumente murmura-se das pessoas, das oportunidades, do tempo, das circunstâncias, das condições, etc. A lista é grande. Paulo afirmou em Filipenses 2.14: “Fazei tudo sem murmurações nem contendas…”

A grande verdade é que os murmuradores revelam a realidade de seus corações egoístas. Ao reclamar eles apenas dizem: “eu mereço algo melhor”. Eles tentam se inserir no centro do universo, desejando que tudo gire ao seu redor e seja feita de sua forma.

Os murmuradores cometem um grande erro espiritual: eles não conseguem ver a vida na ótica de Deus. Eles não entendem que Deus está trabalhando nesse mundo permitindo tudo. Situações da vida são usadas por Ele para levá-los a orar mais, confiar mais e agradecer mais. Deus quer que se entenda que Ele está no controle de tudo e de todos.

Assim, antes de murmurar e exigir, é importante que você se lembre que você não merece nada do que é, tem ou se tornou. Tudo em sua vida é fruto da graça, amor e bondade de Deus. É nessa perspectiva que você deve viver. É preciso que você diariamente se lembre do Salmo 103.3-5 que afirma: “Ele é quem perdoa todas as tuas iniquidades; quem sara todas as tuas enfermidades; quem da cova redime a tua vida e te coroa de graça e misericórdia; quem farta de bens a tua velhice, de sorte que a tua mocidade se renova como a da águia.”

A melhor atitude que você deveria tomar é rapidamente confessar seu pecado de murmuração, e estabelecer uma postura diária de agradecimento. Aprenda a ser cordial e grato com todos os que estão ao seu redor e coloque Deus no centro de suas ações, decisões e reações.

Crie oportunidades para agradecer às pessoas e diga sempre a Deus: “obrigado, Senhor”.

O USO SÁBIO DAS PALAVRAS

Uma pessoa sábia entende que a língua é um problema e sabe até onde ela pode ir com suas palavras. Ela compreende o que, como, quando, onde e porque deve falar.

Uma pessoa sábia compreende quando deve manter-se calada sobre um assunto. Provérbios apresenta que uma pessoa sábia e prudente costuma ser reservada quanto ao uso de suas palavras. Ela falará na hora certa e não ficará dando sua opinião aqui e ali sobre tudo sem que outros lhe peçam. Ela aprendeu o princípio de Provérbios 12.23: “ O homem prudente oculta o conhecimento…”

Uma pessoa sábia reconhece o peso de suas palavras e sabe que pode errar se usá-las de forma errada. Ela entende bem a verdade de Provérbios 10.19, que diz: “No muito falar não falta transgressão, mas o que modera os lábios é prudente.”

Uma pessoa sábia entende que a humildade deve levá-la a não dizer certos assuntos para não dar ao outro um ar de soberba. Por um outro lado, ela também entende que por amor, certas coisas não devem ser ditas fora de tempo. Ela também nunca desperdiça suas palavras com aqueles que não querem ouvir ou a desprezam.

Uma pessoa sábia entende a importância de falar na hora certa e estabelece para si mesma o hábito de ouvir. Comumente ela só fala depois de ouvir porque está convicta do princípio de Provérbios 18.13: “Responder antes de ouvir é estultícia e vergonha.”

O Senhor Jesus sempre falou no momento certo, como também guardou silêncio quando foi necessário. Daí você precisa urgentemente pedir a Ele por sabedoria, prudência e inteligência em sua forma de falar. Não se exponha cometendo tolices no uso de suas palavras.

Blaise Pascal afirmou: “As palavras frias congelam as pessoas; palavras quentes as queimam, palavras amargas tornam-nas amargas; palavras iradas tornam-nas irritadas.”

Use sabiamente suas palavras.

A ESSÊNCIA DA MUDANÇA

Sua vida começa a mudar quando você reconhece que a direção que você mesmo está dando a ela não só está lhe levando a lugar algum, antes a está piorando.

Segundo a Bíblia, a piora da vida é o resultado último de não dirigi-la segundo os planos e propósitos de Deus. Quando você dirige sua vida em total desacordo com a vontade de Deus, sua vida não flui.

Ao tentar dirigir sua vida sem Deus, você peca contra Ele e colhe amargas consequências. Uma das formas de definir “pecado” é buscar decidir a vida do próprio jeito sem considerar o que Deus diz e pensa.

Esse reconhecimento de que você está dirigindo sua vida do seu próprio jeito é o primeiro passo, mas não é o único. O próximo passo é estar convicto diante do próprio Deus de que a forma que você dirige e conduz sua vida não O agrada, e que você está disposto a mudar diante dEle e para Ele. Essa atitude chama-se arrependimento.

O arrependimento inclui ver o pecado como Deus vê; inclui também tomar decisões práticas em abandoná-lo. Deus nos diz em Isaías 55.7: “Que o ímpio abandone seu caminho, e o homem mau, os seus pensamentos. Volte-se ele para o Senhor, que terá misericórdia dele; volte-se para o nosso Deus, pois ele perdoará de bom grado.”

Independentemente da quantidade e do tamanho de seus pecados, Deus o perdoa e o recebe quando você vem a Ele em arrependimento. Sua decisão última é aceitar e obedecer ao convite que Jesus faz em Mateus 11.28: “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.”

A essência da mudança de vida está em voltar-se total e plenamente para Deus por meio de Jesus.