LIVRES DO ÓDIO

LIVRES DO ÓDIO

O ódio é um egoísmo agudo. O ódio é uma força destruidora, tanto para quem odeia como para quem é odiado. 

O “Holocausto” foi a perseguição e o extermínio sistemático, organizado e patrocinado pelo governo nazista de aproximadamente seis milhões de judeus pela Alemanha e seus então colaboradores. Alguns poucos sobreviveram a esse ódio racial, dentre esses estava Lyudmila Botcharova. 

Lyudmila nasceu em Minsk, na Bielorrússia, em 1940. Apenas três anos depois, ela foi mandada, junto com sua mãe e avós maternos, para o campo de extermínio Auschwitz II – Birkenau, ao sul da Polônia. Estima-se que 1,1 milhão de pessoas tenham morrido neste lugar nas mãos do regime Nazista, durante a II Guerra Mundial. Mas Lyudmila sobreviveu. No entanto, o que ela viu e sentiu nas mãos do III Reich deixou cicatrizes eternas. O número – 70.072 -, que servia para identificá-la entre os 1,3 milhão de prisioneiros, continua lá, tatuado no antebraço esquerdo de Lyudmila. Mais do que marcada no corpo, o ódio contra ela e tantos outros judeus, marcaram acima de tudo, suas almas. 

O apóstolo João escreveu em 1 João 2.9: “Aquele que diz estar na luz e odeia a seu irmão, até agora, está nas trevas.” O que João afirma nesse texto é que se alguém diz seguir Jesus e odeia seu irmão, não é Jesus quem dirige sua vida, mas o pecado. 

João gosta muito de antíteses. Ele contrasta “luz” com “trevas”; e agora contrasta “amor” com “ódio”. Luz combina com amor; ódio combina com trevas. Assim, quem se diz conhecer a Jesus, conhece a Deus, obedece a Ele e ama as pessoas. A fé verdadeira é sempre vista numa correta relação com Deus e com as pessoas. 

O ódio é um pecado. O “ódio” está sempre associado com a mágoa, a inveja, o rancor, a ira e a antipatia às pessoas. Não é sem motivo que João afirma em 1 João 3.15: “Todo aquele que odeia a seu irmão é assassino…” O “ódio’ sempre mata, tira, destrói, fulmina, arranca, golpeia, revida e abate. O “ódio” consome a pessoa por dentro até que consuma o outro por fora. Contudo, a fé verdadeira não combina com o ódio, mas com o amor; amar a Deus e as pessoas. 

Você ama as pessoas? Você está permitindo que mágoas e rancores dominem seu coração? Por favor, não deixe que seus relacionamentos se acabem por mal-entendidos. Sente-se com as pessoas; converse; peça perdão; perdoe. Não permita que o ódio domine sua vida. 

Queira ter as pessoas por perto. Aprenda a conversar, perdoar, rir, chorar junto; passear, brincar e até brigar. Mas queira ter as pessoas por perto. 

Não combina você dizer que “vive com Jesus”, “segue Jesus”, “crê em Jesus” e “anda com Jesus” e não consegue viver com gente, servir gente, apoiar gente, andar com gente, e pior, odiar gente.

O ódio envenena o corpo físico, a mente e a própria alma. Livre-se do ódio!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s