ENFRENTANDO O DESÂNIMO

ENFRENTANDO O DESÂNIMO

Todos temos uma razão para desanimar e “jogar a toalha”. Ficamos desanimados por brigas entre parentes e amigos queridos, pela frieza e insensibilidade das pessoas, desrespeito com o dinheiro público, falta de segurança pública, traição, objetivos não alcançados, acusações infundadas, perda de habilidade, capacidade e saúde; falta de reconhecimento profissional e etc. A lista é grande.

Lillian Weber é uma senhora americana de 99 anos. Todos os dias ela cumpre um mesmo objetivo: Fazer um vestido infantil por dia para crianças carentes da África. Ela já produziu cerca de 800 vestidos e sua meta é produzir 1000 antes de completar 100 anos. Ela conta que todos os vestidos são feitos no mesmo padrão de corte, mas cada um possui costuras e detalhes individuais que diferenciam cada vestido, valorizando a individualidade de cada menina que o recebe. Ela não se deixa desanimar na tarefa de fazer vestidos.

É muito fácil desanimar. Mas Paulo, por exemplo, não se deixou desanimar. Em 2 Coríntios 4.1 ele escreve: “Deus, na sua misericórdia, nos deu essa tarefa, e é por isso que nunca ficamos desanimados.” Ele pregou o evangelho de Jesus com muita bravura. Ele enfrentou uma série de problemas para ir adiante com a tarefa dada por Deus de pregar o Evangelho. O que o encorajava? Paulo considerava a grandeza de sua vocação. Ele não focava em si, nos seus problemas ou na sua dor. Ele estava consciente de que Deus lhe havia dado um chamado e poder para ir adiante em sua vocação.
Quando o desânimo bater precisamos combatê-lo. Precisamos sair de nós mesmos e ir adiante no poder de Deus. Tanto Paulo como Lillian Weber poderiam desanimar em cumprir seus objetivos. Mas por que nunca o fizeram?  Porque eles focaram em algo maior.

Você e eu passaremos pelo desânimo. E para enfrentá-lo precisaremos mais do que nossa própria capacidade. Precisamos pedir pelo poder de Deus. O mesmo poder que Jesus buscou em oração no jardim do Getsêmani e que O capacitou a ir a cruz e pagar o preço por nossos pecados, mesmo enfrentando a dor e o deboche.

É o poder de Deus que destrói o desânimo e  lhe capacita a sair de si, servir pessoas e fazer a diferença. Por isso, se você está desanimado(a), peça ao Senhor o Seu poder e enfrente o desânimo!