DEUS SE IMPORTA

DEUS SE IMPORTA

Em Jonas 1.2 Deus ordena ao profeta: “Vá depressa à grande cidade de Nínive e pregue contra ela, porque a sua maldade subiu até a minha presença”. Mas no versículo 3 a resposta dele foi: “…Jonas fugiu da presença do Senhor, dirigindo-se para Társis. Desceu à cidade de Jope, onde encontrou um navio que se destinava àquele porto. Depois de pagar a passagem, embarcou para Társis, para fugir do Senhor.”

Esse texto bíblico ocorre no ano de 770a.C. O grande poder mundial era a Assíria, cuja capital era Nínive. Jeroboão II, o rei de Israel estava fazendo conquistas contra a Síria motivado pelas profecias de Jonas, um profeta de Gate-Hefer (2 Reis 14.25).

Jonas foi comissionado por Deus para ir a Nínive. Nínive (no atual Iraque) ficava cerca de 900kms de distância de Israel. Contudo, Jonas foi para Társis. A distância de Israel a Társis (atual Espanha) era de cerca 4.000kms. Jonas não queria ir a Nínive porque ele odiava os assírios.

Os assírios eram um povo violento, cruel, sem escrúpulos e idólatra. Eles não temiam ao Senhor e Jonas achava que Deus não precisava se preocupar com eles. E para não cumprir seu chamado, o texto diz por duas vezes que “Jonas fugiu da presença do Senhor”.

As verdades espirituais transbordam nesse texto. Precisamos e muito aprender sobre o coração de Deus. Ele é um Deus de amor, bondade e misericórdia. Ele se importava com os assírios. Ele trabalha diferente de nós. Ele quer salvar a todos indistintamente. Ele não se preocupa com o estado religioso, civil, psicológico, racial, moral e social das pessoas. Ele as ama e quer salvar!

E porque Deus se importa, para algumas tarefas incompreensíveis e humanamente impossíveis, Ele escolhe pessoas. Como Jonas, o maior obstáculo para Deus agir sempre somos nós mesmos, com nossos preconceitos e egoísmo. A desobediência de Jonas é também a nossa: viramos as costas para Deus e nem buscamos saber que Ele se importa. Queremos mesmo é viver “nossa vidinha” do nosso jeito, baseado no que achamos ser melhor para nós. Gostamos por vezes de viver na alienação.

Por não compreender que Deus se importa, por vezes também queremos apenas Deus para nós. Criamos um “deus” que nos acuda, nos ajude, nos nos supra e nos sirva. Não pensamos em mais ninguém; o centro somos nós; que as “nínives” da história “se explodam”. Puro egoísmo!

Deus se importa! Ele quer que compreendamos que na Sua agenda Ele inclui outras pessoas.