A CONFISSÃO DOS PECADOS

A CONFISSÃO DOS PECADOS

A Bíblia tem muito a dizer sobre a confissão de pecados. Em Provérbios 28.13 lemos: “Quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia.”

A Bíblia afirma que todos precisamos confessar nossos pecados porque todos somos pecadores. Essa é a verdade exposta em Romanos 3.10,23: “…Não há nenhum justo, nem um sequer… pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus.”

A confissão de pecados é uma grande bênção e um direito outorgado por Deus. Por ela toda crise advinda pelo pecado é tirada e a comunhão com Deus é imediatamente restaurada. É acertado dizer que por meio da confissão dos pecados a alma é totalmente higienizada.

Confissão dos pecados é o ato de se apresentar diante de Deus para se declarar culpado de pecados pessoais específicos, com o propósito de obter o perdão e a purificação diante de Deus por meio da obra de Jesus na Cruz. O Salmista diz no Salmo 32.5: “Então reconheci diante de ti o meu pecado e não encobri as minhas culpas. Eu disse: ‘Confessarei as minhas transgressões ao Senhor’, e tu perdoaste a culpa do meu pecado.”

Confissão de pecados é o momento quando a consciência é repreendida pela Palavra de Deus por meio do Espírito Santo. É um ato que precisa ser contínuo e habitual. A Bíblia diz em 1 João 1.9: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça.”

O nosso coração é tão enganoso que podemos fazer da confissão algo formal, vago e cheio de chavões. Podemos praticar a confissão sem a real convicção do pecado e sem o arrependimento verdadeiro.

Muitos não confessam seus pecados. As razões básicas para isso é que talvez não creem no que a Bíblia ensina sobre a confissão e por isso não se veem como pecadores diante de Deus. Outros obstáculos a confissão são o orgulho, a consciência endurecida, a incredulidade, o medo de pecar novamente, ou a falta de compreensão correta em relação ao pecado.

Ao confessar os pecados devemos ser específicos. Alguém disse que pecamos no varejo, mas queremos confessar no atacado. São tendentes a dizer: “Senhor, perdoa todos os meus pecados.” Não! Precisamos confessar especificamente a inveja, orgulho, imoralidade sexual, ira, mágoas, difamação, julgamento, preocupação com o futuro, palavras maldosas, mau trato ao cônjuge, filhos ou pais, egoísmo, incredulidade, mentira, vontade de aparecer, etc. A lista específica é grande.

Sugiro que você tome um tempo – que pode ser agora – para pedir ao Senhor que mostre seus pecados, e confesse-os um por um.

Erwin Lutzer afirmou: “O perdão é sempre livre. Mas isso não significa que a confissão é sempre algo fácil. Às vezes é difícil. Incrivelmente difícil. É doloroso admitir nossos pecados e confiar-nos aos cuidados de Deus.”

Confessar os pecados pode ser doloroso, mas é o certo a fazer diante de Deus.