EM CRISE EXISTENCIAL

EM CRISE EXISTENCIAL

O ser humano comumente vive desiludido, desesperançoso e desesperado. Ele é plenamente dominado por um extremo descontentamento que o faz pensar constantemente no “novo” como a solução de sua crise existencial. Ele acha, por exemplo, que algo novo o levará a uma vida melhor. Assim ele quer um novo emprego, um novo amor, um novo carro, uma nova casa, um novo país etc. Ele é compulsivamente inquieto e insatisfeito. E pior, logo que realiza um desejo surge outro.

Platão afirmou que o espírito humano vive numa caverna; falta a ele o senso de eternidade. Dizia ele que os indivíduos são seres vazios que vivem em busca de preencher seu mundo interior com algum entretenimento ou com algum objeto.

A crise existencial do ser humano é tão interessante que mesmo quando as coisas aparentemente parecem até estar indo bem, surge um sentimento de falta; um sentimento de algo que traga satisfação, alegria, esperança e razão permanente para viver.

Mas segundo a Bíblia, tudo o que todos estão procurando está em Deus. Salomão, escreveu em  Eclesiastes 3:11: “Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem…” O que significa isso? Significa que Deus criou cada um de nós com desejo de coisas eternas e espirituais. Em outras palavras: todos têm uma inquietude que só Deus pode satisfazer.

Tentar satisfazer a alma com coisas externas é perda de tempo. Quem insiste em agir assim apenas aumenta o vazio, a frustração e a solidão. A alma não pode ser satisfeita com mais um drink, mais um gole, mais uma noitada, mais um caso, mais uma viagem, mais uma compra, mais uma droga, mais uma hora extra de trabalho etc. A alma não se preenche com um “mais mais” que nunca cessa. Isaías 55.2 o próprio Deus afirma o seguinte: “Por que vocês gastam dinheiro com o que não é comida? Por que gastam o seu salário com coisas que não matam a fome? Se ouvirem e fizerem o que eu ordeno, vocês comerão do melhor alimento, terão comidas gostosas. Escutem-me e venham a mim, prestem atenção e terão vida nova.”

Tentar desassociar Deus da vida é como achar que um peixe sobreviverá fora da água. A nossa fonte de vida está em Deus. A existência humana só encontra razão nEle. Agostinho afirmou:  “Fizeste-nos para Ti e o nosso coração não está tranqüilo até que descanse em Ti”.

A crise existencial deixa de ser crise quando volta-se para o Eterno, o Criador, o que trouxe tudo a existência. E essa volta é feita por meio de Seu Filho Jesus. Foi Ele mesmo afirmou em João 6.35: “…Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome; aquele que crê em mim nunca terá sede.”

Jesus não é uma das opções para a crise existencial, Ele é a solução definitiva para ela. E quem se entregou a Ele, sabe muito bem disso.