O QUE VOCÊ ESTÁ PLANTANDO?

O QUE VOCÊ ESTÁ PLANTANDO?

Há muito tempo atrás, uma menina chinesa chamada Mei se casou e foi viver com o marido e a sogra no mesmo teto. De acordo com a antiga tradição chinesa, a nora tinha que se curvar à sogra e obedecê-la, em tudo. Depois de alguns dias, Mei passou a não se entender com a sogra. As personalidades delas eram muito diferentes e Mei foi se irritando com as críticas que freqüentemente sofria de sua sogra.

Meses se passaram e Mei e sua sogra cada vez discutiam e brigavam mais. Mei, já não suportando mais, decidiu tomar uma atitude. Ela foi visitar um amigo de seu pai, o Sr. Huang.

Depois de ouvi-la com atenção, o Sr. Huang lhe deu um pacote de ervas e lhe disse: “Vou lhe dar essas ervas que irão lentamente envenenar sua sogra. Você não poderá usá-las de uma só vez para se libertar dela, porque isso causaria desconfianças. A cada dois dias, ponha um pouco destas ervas na comida dela. E para ter certeza de que ninguém suspeitará de você quando ela morrer, por favor, seja cuidadosa em agir de forma amigável e amorosa com sua sogra.” Mei depois de ouvir atentamente disse: “Sim, Sr Huang, eu farei tudo o que o senhor me pediu.”

Semanas se passaram e a cada dois dias, Mei servia a comida “especialmente tratada” à sua sogra. Ela sempre lembrava do que o Sr Huang tinha recomendado sobre evitar suspeitas e assim controlou o seu temperamento, obedecendo a sogra e a tratando como se fosse sua própria mãe.

Mei tinha controlado o seu temperamento e quase nunca se aborrecia. Os meses foram se passando e Mei não teve nenhuma discussão com a sogra, que agora parecia mais amável e mais fácil de lidar. As atitudes da sogra também mudaram e elas passaram a se tratar como mãe e filha.

Um dia, Mei foi novamente procurar o Sr Huang para pedir-lhe ajuda e disse: “Querido Sr Huang, por favor, ajude-me a evitar que o veneno mate minha sogra! Ela se transformou numa mulher agradável e eu a amo como se fosse minha mãe. Não quero que ela morra por causa do veneno que eu lhe dei.”

Sr Huang sorriu e acenou com a cabeça dizendo: “Mei, não precisa se preocupar. As ervas que eu lhe dei eram vitaminas para melhorar a saúde dela. O veneno estava na sua mente e na sua atitude, mas foi jogado fora e substituído pelo amor que você passou a dar a ela.”

É bom sempre lembrar que na maioria das vezes, recebemos das outras pessoas o que damos a elas. Por isso é preciso se ater no que se está plantando na vida das pessoas.

Lembre-se também que o plantio é algo opcional, a colheita é obrigatória, mas é preciso ter cuidado com o se que planta.

Certas são as palavras do Senhor Jesus em Mateus 7.12: Tudo o que quereis que os homens vos façam, fazei-o vós a eles...”