PERTENCER A DEUS

PERTENCER A DEUS

O apóstolo João afirmou em 1 João 4.6: “Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus nos ouve; aquele que não é da parte de Deus não nos ouve. Nisto reconhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro.”

 Ao usar a frase “…nós somos de Deus…”, o apóstolo João estabelece o princípio do “pertencer a Deus.” E “pertencer a Deus” significa ser dEle, viver com e para Ele, e manter um relacionamento íntimo com Ele. Quem pertence a Deus tem o seu conforto e consolo; vive tranquilo e em paz. E Deus sabe muito bem aqueles que lhe pertecem. Paulo afirmou em 2. Timóteo 2.19: “Entretanto, o firme fundamento de Deus permanece, tendo este selo: O Senhor conhece os que lhe pertencem…”

João, no texto, faz uma outra afirmação categórica: “…aquele que conhece a Deus nos ouve…” Isso significa que os que pertecem a Deus tem um grande desejo de ouvir e aprender de Deus com o objetivo final de praticar e compartilhar Suas verdades. Por um outro lado, João também afirma: “…aquele que não é da parte de Deus não nos ouve.”

 Todos podem pertecer a Deus. Ele não está distante e nem indisponível; Ele é acessível. Jesus fez Deus acessível a todos, e por meio dEle o relacionamento com Deus é instaurado. Paulo afirmou essa verdade em Romanos 7.4: “Assim, meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, a saber, aquele (Deus) que ressuscitou dentre os mortos…”

Deus não é uma franquia religiosa. Ele não é propriedade de ninguém. Deus está pronto a se relacionar com qualquer um que esteja disposto a crer em Jesus, recebê-Lo como Salvador e Senhor e obedecê-Lo. É sempre bom lembrar que para se relacionar com Deus a “senha” é Jesus. Ele disse em João 14.6: “…ninguém vem ao Pai, a não ser por mim.”

Pertencer a Deus deve gerar um profundo compromisso com Ele. Os que pertecem a Deus são seus filhos amados. O alvo agora de ser aprender e centrar a vida em Jesus. Uma nova realidade de vida deve surgir e fluir.

Alguém acertadamente afirmou: “Temos a ilusão de que a vida se torna preciosa e ficamos melhores na medida que coisas nos pertencem. Esta é uma ilusão que facilmente nos domina. Por isso lutamos muito para conquistar bens e neles colocar o nosso nome. Nos sentimos seguros quando podemos verificar nosso extrato e ele nos diz que o saldo é mais que suficiente. Mas isso é uma grande ilusão. Há muitas coisas que o dinheiro não pode comprar e que bem algum pode garantir. O segredo da segurança e da paz para viver neste mundo não é possuir, é pertencer. Pertencer a Deus!”