DEUS É AMOR!

DEUS É AMOR!

Em 1 João 4.8-10 lemos: “Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. Foi assim que Deus manifestou o seu amor entre nós: enviou o seu Filho Unigênito ao mundo, para que pudéssemos viver por meio dele. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.”

O texto diz que “Deus é amor”. Deus não só tem amor, não só dá amor, mas Ele é a fonte do amor. “Deus é amor.” Ao afirmar assim, João nos diz que o amor é um atributo, uma qualidade de Deus e um aspecto central de Seu caráter. A palavra grega usada por João para “amor” no texto é “agape”. Agape é o “amor incondicional”; é o amor ilimitado, sem barreiras e que entrega sem querer receber nada em troca. E assim que Deus ama.

A expressão mais plena do amor de Deus é expressado em Jesus Cristo, Seu Filho Amado. O texto diz que “foi assim que Deus manifestou o seu amor entre nós: enviou o seu Filho Unigênito ao mundo, para que pudéssemos viver por meio dele. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.”  Dr Billy Graham afirmou: “…Quando Cristo estava pendurado, sangrando e morrendo na cruz, era Deus dizendo ao mundo: ‘Eu te amo’”. Deus deixou claro que o Seu amor nos é oferecido por meio de Jesus. Através dEle cada um de nós tem a oportunidade hoje e agora de se relacionar com Deus nessa vida e por toda a eternidade.

A história do filho pródigo, em Lucas 15, é a história do amor de Deus para com as pessoas. Aquele filho que abandonou o lar para viver e dirigir sua própria vida, um dia caiu em muitos e profundos problemas. Mas, vendo sua miséria, ele desejou voltar para o pai porque sabia o quanto ele era amoroso e bondoso para com seus funcionários. Ele decidiu voltar para casa porque sabia que seu pai era um homem bom e faria alguma coisa para com ele, mesmo que viesse a não o considerar mais como filho. E quando decidiu voltar, o pai não só o recebeu com um forte abraço, um caloroso beijo de amor, mas  restituiu a ele as condições de filho. O pai dessa história é Deus, o Deus de amor.

“Deus é amor” e isso tem haver com sua vida. Se você decidir caminhar em sua direção e voltar para seus braços, você O encontrará e o receberá de braços abertos, demonstrando Ele o Seu amor por você. Não importa por onde você andou e o que já experimentou. Seus braços estão abertos se você vier a Ele. Agostinho disse: “Deus ama cada um de nós como se houvesse apenas um de nós.”

A pergunta é: Você virá e receberá o Seu amor?