O PERIGO DA INGENUIDADE

O PERIGO DA INGENUIDADE

 

Em Josué 9.14 lemos: “Os israelitas examinaram as provisões dos gibeonitas, mas não consultaram o Senhor.”
Quando Josué assumiu o comando dos filhos de Israel no lugar de Moisés, a nação já havia transposto vários obstáculos, como passado o Jordão a pé, derrotado Jericó com seus muros imponentes e subjugado os corajosos habitantes da cidade de Ai. Lendo os primeiros oito capítulos de Josué parece que nada poderia prosperar contra Israel. Mas o que as armas e as forças bélicas não fizeram, um astuto povo, chamado de gibeonitas, fez.
Em Josué 9.3-14 temos os detalhes dessa história. Os gibeonitas eram heveus; eles eram cananitas. Eles montaram uma delegação e vieram astutamente a Josué com jumentos carregados de coisas velhas. Os homens calçavam sandálias gastas e os alimentos que estavam com eles eram secos, esmigalhados e bolorentos. 
Com essa artimanha eles disseram a Josué que vieram de um lugar distante, que por tanto tempo para chegar, tudo se desgastou. E eles vieram para um acordo de paz com Israel porque ouviram das grandezas do Senhor no meio da nação. Após ouvir os gibeonitas, Josué e os líderes examinaram o que eles trouxeram e fizeram depois um acordo de paz com eles. 
Mas tristemente o texto afirma no versículo 14: “mas não consultaram o Senhor.” Depois do acordo, Josué e os líderes descobriram que eles eram cananeus e haviam mentido. Mas como Josué e os líderes haviam dado a palavra de paz a eles não puderam voltar atrás. Josué e os líderes foram muito ingênuos.
O erro de Josué e dos líderes nos mostra a principal lição: podemos nos precipitar decidindo algo por apenas achar que os fatos são convincentes demais.

Como os gibeonitas, tudo pode parecer muito claro e lógico, mas nem sempre o que aparentemente parece ser, muitas vezes é. Podemos estar sendo enganados por palavras lisonjeiras e bonitas; nosso orgulho pode ser inflamado por tais palavras; nossas emoções podem ser tocadas como nunca antes; o falso senso de segurança pode também nos enganar.
O erro principal de Josué e dos líderes nessa situação foi ter consultado a si mesmos e não ao Senhor. Josué, como líder, poderia ter dito aos gibeonitas: “Esperem aqui. Nós vamos ali orar e buscar ao Senhor sobre tudo o que vocês falaram. Ele nos revelará Sua vontade.” Uma simples e pequena decisão poderia ter mudado tudo.
Josué e os líderes foram ingênuos, mas você não precisa ser. Essa história está na Bíblia para lhe ensinar que você não precisa se precipitar numa decisão simplesmente porque os fatos parecem ser muito convincentes. Antes de decidir, busque ao Senhor.
Lembre-se que os gibeonitas ainda estão por aí, usando outros artifícios, porém com o mesmo propósito: enganar e ludibriar os ingênuos que não buscam saber a plena vontade de Deus para as pequenas e grandes decisões da vida.