AS PORTAS E OS CAMINHOS

Jesus afirmou em Mateus 7.13,14: “Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela), porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela.”

Jesus antes de concluir o Seu “Sermão do Monte” exige uma decisão de seus ouvintes. Ele apresenta duas portas com dois caminhos:

A primeira é a “porta estreita”. Essa é a porta onde o caminho é difícil, cheio de limites demarcados por Deus segundo a Sua Palavra. Um caminho onde há um “jugo suave” e um “fardo leve”; onde há lutas e provações; onde os pensamentos e vontades são centrados em Deus. Esse é o caminho que conduz à vida e poucos decidem por ele.

A segunda porta é a “porta larga”. Essa é a porta da facilidade, do caminho fácil, espaçoso, confortável, de frouxidão moral, de opiniões diversas, tolerante, permissivo, sem freios no pensamento e na conduta, onde se persegue as próprias inclinações. Esse é um caminho superficial, egoísta, hipócrita, ambicioso, de religião ritualista, em que nada precisa ser aprendido, tudo é natural, largo e “free”. Um caminho que conduz a perdição e a maioria entra por ele.

Ninguém está neutro nessa escolha. Se você escolher o caminho largo, você decide continuar dirigindo sua vida, mantendo-se na justiça própria, no orgulho e na religiosidade vazia. Se você escolher o caminho estreito, você decide arrepender-se de seus pecados, abandonar sua forma de viver e seguir a Jesus.

Não se ressinta! Não decidir pela porta e o caminho estreito que conduz à vida, é continuar na porta e no caminho largo que o levará a perdição.

O que você vai decidir?