NÃO AME O DINHEIRO

O apóstolo Paulo afirmou em 1 Timóteo 6.10: “Porque o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males…” Amar o dinheiro não significa apenas ser avarento e ganancioso; significa torná-lo prioridade na vida; significa confiar, esperar e sentir-se seguro com ele. Os que amam o dinheiro pecam porque confiam nele. Confiar em algo ou alguém naquilo que somente poderia ser em Deus é idolatria.

Os que amam o dinheiro vão além, por vezes acreditam que podem controlar tudo e todos; mantém-se soberbos e orgulhosos; enganam-se num falso senso de segurança e estabilidade, e até mesmo acreditam estar acima da lei e da justiça.

Jesus ao ter um encontro com um jovem rico, esse queria saber sobre a vida eterna. Mas quando confrontado para abandonar o amor ao dinheiro, ele foi embora muito triste. E após sua partida, Jesus afirmou categoricamente em Mateus 19.23: “Em verdade vos digo que um rico dificilmente entrará no reino dos céus.” Jesus não está dizendo que todos ricos não serão salvos, mas o problema é que a grande maioria dos ricos coloca o dinheiro em primeiro lugar; eles definem suas escolhas, relacionamentos, oportunidades e espiritualidade através da ótica financeira. E quem assim o faz, perde a sua alma.

O dinheiro é um problema? Não! Mas ele pode tornar-se um. O dinheiro é bom, mas pode corromper; a questão sempre é como lida-se com ele. O certo é que o dinheiro mal usado pode deturpar a linha da moralidade e da consciência.

A ordem bíblica é: Não ame o dinheiro. A cobiça é pecado. Cobiçosos precisam se arrepender e terem em Jesus o seu único tesouro. O amor precisa ser direcionado somente para Deus e para as pessoas. Assim, não ame o dinheiro.

Por Roberto Naves Amorim

Para ouvir esse conteúdo click no link abaixo:

https://www.spreaker.com/episode/22965905